Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
03 Nov, 2022 - 19:15

8 cuidados a ter depois de um AVC

Catarina Milheiro

Após a alta hospitalar alguns doentes têm dúvidas sobre os cuidados a ter depois de um AVC. Saiba o que fazer e quais hábitos adotar.

Em alguns tipos de acidentes vasculares cerebrais (AVC) os sinais de alerta costumam ser identificáveis. E perante os primeiros sintomas, é crucial procurar de imediato ajuda especializada. Para além disto, após a alta hospitalar há que saber os cuidados a ter depois de um AVC e acreditar no tratamento para a recuperação. Afinal, são várias as questões dos pacientes.

Desde dúvidas sobre como se alimentar, quais os movimentos que deve ou não fazer e até as atividades mais recomendadas. Por isso mesmo, o mais importante durante a alta é fazer com que a família e o doente façam todas as questões com a equipa assistente.

Ou seja, perceber qual é a medicação proposta, os tratamentos, acompanhamento médico posterior e de que forma funciona a equipa de profissionais de várias áreas necessária para ajudar no processo de recuperação.

Fique connosco e conheça os cuidados a ter depois de um AVC.

Conheça 8 cuidados a ter depois de um AVC

O Acidente Vascular Cerebral é a principal causa de morte e de incapacidade em Portugal e no mundo. E ao contrário do que muitas pessoas possam pensar, é possível recuperar aplicando alguns cuidados a ter depois de um AVC.

De uma forma geral, falamos do tratamento e alimentação adequada, do apoio dos familiares e amigos e da mudança do estilo de vida.

atestado médico
1.

Informe-se com a equipa de médicos responsáveis

O primeiro cuidado a ter depois de um AVC é conversar e tirar todas as suas dúvidas com os médicos responsáveis pelo seu processo.

Tente perceber bem, com a ajuda de amigos ou familiares, o tipo de medicação que irá ter de tomar, as mudanças no seu dia-a-dia e de que forma estará a equipa organizada para o ajudar em toda a recuperação. Este passo é crucial para que se sinta devidamente apoiado e motivado.

2.

Faça uma alimentação saudável

A alimentação saudável é um excelente aliado na prevenção de um novo AVC. Como tal, uma das diretrizes na prevenção da doença vascular encefálica é precisamente uma dieta.

Assim, opte por consumir de forma consciente, alimentos com propriedades anti-inflamatórias – que aumentam a capacidade de libertar hormonas que inibem ou bloqueiam a ação inflamatória e ajudam na recuperação de lesões. Por exemplo: alho, hortaliças, peixes de água fria e profunda ricos em proteína, uvas, cerejas, amoras, castanhas, ómega-3, e vitamina C.

As carnes gordurosas, o consumo de fast-food, os doces e açúcares em excesso aumentam a inflamação no organismo (potenciada pelas gorduras trans e saturadas), utilizadas na preparação e processamento deste tipo de alimentos. Por isso, deve evitá-los ao máximo.

Converse com o seu médico e juntos, criem um plano alimentar devidamente ajustado ao seu caso clínico. Depois, siga-o à regra.

3.

Realize algum tipo de atividade física (caso seja possível)

Apesar de sabermos que cada caso é um caso e que nem sempre o paciente fica apto para a realização de algumas atividades físicas, este é um aspeto crucial para todos os que sofreram um AVC e conseguem movimentar-se.

A realização de uma atividade física ajuda a reduzir o risco de um novo AVC. Assim, sempre que a situação o permita, o paciente deve conversar com o médico e perceber se existirá alguma atividade mais adequada para começar a praticar.

Por vezes, começar por pequenas caminhadas acompanhado por um amigo ou familiar pode mesmo ajudar bastante. Em alguns casos, a natação pode também ser um excelente exemplo de uma atividade. O importante é informar-se junto do seu médico antes de tomar qualquer decisão.

4.

Treine a paciência e mantenha a calma

Estimule a sua paciência. Fale com amigos, colegas, familiares e com a equipa médica sobre o que sente e lembre-se que a recuperação não tem um período certo onde deve acontecer.

Trata-se de um processo e o mais importante é sentir-se bem e apresentar melhorias – por muito poucas que elas lhe pareçam! Depois de um AVC há que agarrar o futuro com força e enfrentar a situação da maneira mais positiva possível.

5.

Meça os progressos da recuperação a cada semana

Um dos cuidados a ter depois de um AVC é medir os progressos da sua recuperação a cada semana. E isto pode ser feito pela pessoa, pelo médico ou por um familiar que esteja presente durante a recuperação.

Desta forma, a equipa terá acesso a tudo aquilo que o paciente alcançou em cada semana e conseguirá perceber e readaptar o plano de tratamento com maior facilidade.

6.

Adapte a casa para evitar acidentes

Se teve alta hospitalar e pode ir para casa, é extremamente importante que perante cada situação, os familiares consigam adaptar o lar às condições do doente.

Muitas vezes as pessoas têm dificuldades em andar e é necessário estar atento às quedas. Retirar tapetes que possam atrapalhar as caminhadas, um chão mais escorregadio ou mudar alguns móveis de sítio para tornar o espaço mais amplo pode ser uma solução eficaz.

7.

Atenção às mudanças de humor súbitas

Principalmente os familiares e amigos, devem estar atentos para as mudanças de humor repentinas no doente. Para além disto, se houver tendência para a depressão, esta vigilância torna-se ainda mais essencial.

Sabemos que nem todos os dias são dias felizes e em que nos apetece sorrir. Contudo, há que prestar atenção, conversar e perceber como se sente a pessoa com toda a situação por que está a passar. E em caso de ajuda, consulte de imediato o médico.

8.

Evite o tabaco e o álcool

Para um tratamento eficaz há que ter cuidado não só com a alimentação, mas também com alguns hábitos menos saudáveis. O tabaco e o consumo de álcool podem maximizar o risco de um novo AVC e até mesmo outras complicações de saúde.

Por isso mesmo, é crucial que o doente não fume nem ingira qualquer tipo de bebida alcoólica. No caso de existir um histórico de dependência, a família deve conversar com o doente e perceber, junto da equipa médica, o que será possível fazer para reduzir o consumo rapidamente.

consultas de cessação tabágica
Veja também Consultas de cessação tabágica: para que servem e onde fazer?

Depois de um AVC são vários os cuidados a ter, mas a verdade é que tudo depende da condição da pessoa. Atualmente são vários os casos de sucesso nos tratamentos com equipas de profissionais de várias áreas.

Por isso, o mais importante é nunca perder a esperança e sentir-se devidamente motivado para superar algumas das limitações que foram impostas pelo Acidente Vascular Cerebral. E não se esqueça: muitas vezes temos de começar pela nossa mente para que depois, consigamos cuidar de nós.

Veja também