Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Catarina Reis
Catarina Reis
26 Out, 2018 - 15:22

Dificuldades dos pais trabalhadores: 8 dicas para as contornar

Catarina Reis

Conciliar o trabalho com a parentalidade exige muita disponibilidade e energia. Vamos saber quais as maiores dificuldades dos pais trabalhadores.

Dificuldades dos pais trabalhadores: 8 dicas para as contornar

Quais as principais dificuldades dos pais trabalhadores? Cada pai, certamente, daria uma resposta diferente, mas tentaremos responder e apresentar algumas soluções. Não são receitas ou fórmulas mágicas, mas estratégias que pode ir aplicando no dia a dia a favor de uma melhor articulação entre a vida pessoal e a vida profissional.

As maiores dificuldades dos pais trabalhadores

As grandes dificuldades dos pais trabalhadores prendem-se com a gestão do tempo, conciliação de horários, sobrecarga de trabalho e realização de duplas jornadas de trabalho (sobretudo no caso das mulheres).

Conheça os direitos dos pais trabalhadores

Quanto mais estável um horário de emprego, mais fácil é conciliar trabalho e família

Para muitas pessoas, a arte de gerir o equilíbrio entre vida profissional e a de ter filhos representa um desafio contínuo e cheio de stress. O desafio aumenta de intensidade quanto mais o horário de trabalho for instável. Apesar de tudo, revela-se mais fácil conciliar um emprego das 9h às 17h com as responsabilidades de se ser pai, do que um emprego em que ocasionalmente faz o turno da noite, por exemplo.

Estar num trabalho que em termos de exigência de horário seja instável e imprevisível piora bastante o cenário. Nestes casos o stress aumenta consideravelmente, pois não serão raras as vezes em que terá que adiar compromissos, e ter que dar prioridade ao trabalho em detrimento da família ou vice versa pode ser mesmo algo desgastante. Este tipo de desgaste torna ainda mais difícil ser-se bom em ambas as situações.

Ser pai trabalhador é como ter dois empregos

Como pai ou mãe que trabalha, na verdade já, tem dois empregos – e conciliar dois empregos não é fácil. Em cima disso, terá que ser bom também num terceiro papel – educar os seus filhos, pelo menos durante os seus primeiros 18 anos de vida, o que resumidamente constitui um constante balanço entre esperança e pressão. O desafio é enorme – arregace as mangas – mas perfeitamente possível.

Felizmente, existem diversas estratégias que pode aplicar. Vamos descobrir como ultrapassar as dificuldades dos pais trabalhadores.

8 dicas para enfrentar as maiores dificuldades dos pais trabalhadores

direitos que quem vai ser pai.

1. Ser proativo

Para começar, a proatividade. O que aqui defendemos é que seja proativo na identificação das suas próprias dificuldades e de potenciais soluções para as contornar. “Tapar o sol com a peneira” só vai fazer com que, já com os filhos crescidos, repare que não os viu crescer. Atue já em prol da conciliação de papéis de vida!

2. Informar-se

Inteire-se sobre os procedimentos mais adequados a tomar em cada situação de maior exigência ou de maior dificuldade de conciliação entre trabalho e vida pessoal. Informe-se junto do seu patrão sobre como deverá agir quando tiver que se ausentar porque o seu filho ficou doente.

Como e quando deve comunicar a sua ausência, se diretamente à chefia ou a um seu colega, que tratará de colmatar a sua ausência assumindo parte do seu trabalho. Saiba se tem direito a solicitar um regime de horário reduzido ou flexível. Informe-se sobre eventuais penalizações salariais por falta. Negoceie sempre que possível as condições contratuais com a empresa.

3. Agir com transparência

Quando os filhos estão doentes, muitas vezes não deixam outra opção aos pais além de ficarem em casa a cuidar deles; ou isso, ou faltar ao trabalho. Aqui, a melhor opção é ser-se sempre transparente. É importante dar a conhecer a forma como lida com a situação.

Se o deixa desconfortável ter que faltar a uma reunião importante para prestar assistência ao seu filho doente, mostre essa insatisfação aos colegas, não a tente esconder. Toda a gente se mostrará solidário quando a razão é ter um filho com problemas.

Mesmo que os outros não tenham filhos, irão com certeza entender e demonstrar apoio. Informe-se sobre se os deadlines podem ser ligeiramente alterados. Fale com o seu chefe de modo a encontrarem soluções, não problemas.

4. Tirar partido da tecnologia ao seu dispor

Talvez seja boa ideia investir numa boa webcam, de forma a poder participar ou assistir às reuniões a que terá que faltar. Ou num portátil, para poder estar sempre disponível para responder a emails de trabalho remotamente. Estes são pequenos detalhes que poderão fazer a diferença no que diz respeito a manter-se a par dos eventos de trabalho.

5. Ser organizado

Explique o “porquê, não só o “quando”, do tempo que terá que se ausentar do trabalho. Em vez de dizer que estará “ausente do escritório amanhã à tarde”, explique que terá que “sair do escritório amanhã à tarde por duas horas para uma reunião de pais e professores na escola do meu filho”; “Estamos preocupados com as notas de matemática”; “Estarei de volta às 18h e poderemos preparar o orçamento depois de amanhã de manhã”. Dito desta forma torna muito mais fácil para todos no seu local de trabalho entenderem, simpatizarem e até se tornarem seus aliados nessa fase crucial.

Como encontrar o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal? 6 dicas

6. Ser realista

Reconheça que obter o equilíbrio perfeito entre emprego e vida familiar é impossível, na maioria dos casos. A perfeição não existe, mas existem inúmeras possibilidades “imperfeitas” que são saudáveis para os seus filhos.

Haverá sempre sacrifícios a fazer, sobretudo devido a emergências, seja de um lado, seja do outro. Logo, assumir certas coisas como dados adquiridos (estar convencido de que vai conseguir entregar aquele trabalho no prazo, ou que irá estar presente no concerto do seu filho) poderá levar a muitos dissabores e desilusões. Estar consciente e preparado para que algumas dessas coisas possam falhar a qualquer momento é um bom passo para evitar muitas amarguras.

7. Ser agradecido

Já sabemos que os pais trabalhadores têm, previstos por lei, alguns direitos de assistência aos seus filhos; mas só porque a lei o prevê, não trate o assunto como um dado adquirido.

Se tem um projeto profissional importante em mãos, é evidente que o empregador não o irá impedir de usufruir dos seus direitos, mas não irá pular de alegria se o projeto se atrasar ou mesmo se falhar devido à sua indisponibilidade.

Moral da história: se quer ter a colaboração e tolerância por parte dos seus colegas e superiores, esteja pronto para, nos momentos de aperto da empresa, saber retribuir. Quando tiver mais disponibilidade, pode fazer horas-extra – mesmo que por direito não o tenha que fazer.

8. Planear o trabalho em função da vida pessoal e não o oposto

Em alturas de dúvida, escolha sempre a vida familiar como prioridade, caso contrário poderá arrepender-se para sempre. Quando não puder escolher a família, comunique: fale com os seus filhos, explique-lhes o porquê, e compense-os mais tarde com tempo de qualidade em conjunto.

Veja também: