Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
10 Out, 2019 - 11:17

Sente dores nos ossos quando muda o tempo? Saiba mais

Teresa Campos

Costuma ter dores nos ossos quando muda o tempo? Isso pode ter diferentes causas. Ou não haverá nenhuma relação directa?

dores nos ossos quando muda o tempo

Já todos ouvimos dizer ou já nos queixámos de dores nos ossos quando muda o tempo. Efetivamente, pessoas que sofram de algum tipo de dor crónica como fibromialgia, artrite reumatoide, artrose, sinusite ou enxaqueca estão mais suscetíveis a sofrer com as mudanças bruscas de temperatura.

Do mesmo modo, quem já fez alguma cirurgia ortopédica nas mãos, pés, braços ou pernas, ou tem alguma prótese, é mais sensível às mudanças de temperatura. Apesar da ciência ainda não ser clara quanto à razão para tal, é certo que estas dores podem surgir até 2 dias antes do tempo mudar. Fique a perceber.

Dores nos ossos quando muda o tempo: mito ou verdade?

dores de ossos
A sintomatologia associada pode ter várias causas

Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos e contração dos músculos

Quando há lugar a uma mudança brusca de temperatura, o diâmetro dos vasos sanguíneos vai diminuir e os músculos e articulações tendem a contrair, para garantir uma temperatura adequada do organismo.

Assim, o local das cicatrizes, por exemplo, fica mais retraído e os recetores da dor localizados nas regiões mais profundas do corpo ficam mais sensíveis, enviando o estímulo da dor ao cérebro ao menor toque.

Aumento da sensibilidade nas terminações nervosas da pele

Com as mudanças de temperatura, as terminações nervosas situadas na pele ficam mais sensíveis, conduzindo a um pequeno inchaço das articulações. Tal afeta diretamente a questão da dor nas articulações. O mesmo acontece, por exemplo, com a pressão da água, quando alguém faz mergulho.

Mudança na carga elétrica do ar

A aproximação do frio ou da chuva torna o ar mais pesado, provocando mais eletricidade estática e humidade no ambiente. Tal, pode causar uma pequena contração dos nervos periféricos, situados nos braços, pernas, mãos e pés, originando desconforto e dor.

Alteração no humor

O inverno, com o frio e a chuva, convidam a ficar mais por casa e a optar por atividades mais sedentárias. Isso leva a uma menor produção de calor, fruto da contração muscular e da maior rigidez nas articulações. Em resumo, tal leva a uma menor tolerância à dor e a uma maior sensibilidade para com qualquer desconforto.

Truques para aliviar a dor e o desconforto

  • Manter o corpo bem aquecido;
  • Colocar uma compressa morna na articulação ou local da dor ou do desconforto;
  • Permaneça ativo e em movimento para aquecer os músculos e as articulações e diminuir a dor.

mas há quem não acredite em dores nos ossos quando muda o tempo

dores de ossos
As evidências científicas parecem ser muito ténues

Apesar de todas as evidências científicas apresentadas, um estudo de Anupam Jena, professor da Universidade de Harvard, vem deitar por terra esta relação quase umbilical entre as dores de ossos quando muda o tempo.

Tendo por base os registos de afluência aos hospitais americanos entre 2008 e 2012, o investigador analisou os dados dos pacientes com mais de 65 anos que referiam queixas articulares.

De seguida, observou os dados meteorológicos das respetivas regiões de residência dos pacientes. Finalmente, relacionou a referência às dores com os níveis de humidade e temperatura dessas localidades.

Escoliose: saiba mais sobre este problema de coluna
Não perca Escoliose: saiba mais sobre este problema de coluna

Uma das conclusões foi a de que “A taxa de ocorrência de dores nas articulações e nas costas durante uma semana com sete dias de chuva era semelhante à registada nas semanas sem pluviosidade”.

Assim, e embora outras teorias subscrevam a relação entre as dores de ossos e as mudanças bruscas de temperatura, o certo é que as evidências científicas ainda são poucas e deixam espaço para que esta ideia fique entre a verdade e o mito.

Portanto, e enquanto a comunidade científica não chega a um consenso, aconselhamo-lo a que faça uma análise empírica do assunto, ou seja, avalie o seu caso em particular. Em caso de dores, tente seguir os conselhos deixados e viva o inverno da melhor forma possível.

Veja também