Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Luísa Santos
Luísa Santos
25 Set, 2018 - 16:45

Já há ecrãs de telemóveis que se regeneram sozinhos

Luísa Santos

Já pode preparar-se para dizer adeus a um dos maiores problemas no mundo dos smartphones: ecrãs partidos. A solução está quase a chegar.

Já há ecrãs de telemóveis que se regeneram sozinhos

Vem diretamente do Japão e foi descoberto por acidente, já que não se previa, pelo menos para tão cedo, o desenvolvimento de ecrãs que se regenerassem sozinhos após uma queda, por exemplo. A solução para este problema está no material em que os vidros são feitos, que passará a mudar com esta descoberta.

Bem-vindo ao futuro: ecrãs que se regeneram sozinhos

ecrã

Sobretudo no mundo dos smartphones, isto é algo que ocorre com (demasiada) frequência e, por vezes, a reparação de ecrãs partidos pode compensar menos do que comprar um novo telemóvel. Tudo vai depender dos materiais utilizados, nomeadamente um polímero chamado de “poliéter-tioureia”.

Ao utilizar este material em ecrãs de smartphones, basta que pressione o display partido ou arranhado com os dedos para que este se regenere sozinho. De acordo com o The Guardian, esta descoberta aconteceu por acidente, quando um aluno da Universidade de Tóquio estava a preparar uma espécie de cola.

O que este estudante descobriu foi que, ao cortar a superfície do polímero, as extremidades voltavam a unir-se sem ajudas externas. Para tal, precisou de 30 segundos a pressionar o referido material à temperatura ambiente de 21ºC. Está aí a verdadeira inovação, já que, na maior parte das vezes, os ecrãs só podem ser reparados quando são expostos a temperaturas muito elevadas.

Veja também