Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
11 Ago, 2020 - 12:12

As 20 empresas mais atrativas para trabalhar em Portugal

Catarina Milheiro

Chegou a altura de mudar de trabalho? Está à procura de emprego? Conheça as empresas mais atrativas para trabalhar em Portugal.

colegas de uma das empresas mais atrativas para trabalhar a reunir

Todos os anos a Randstad realiza o Employer Brand Research, um estudo que revela quais são as empresas mais atrativas para trabalhar em Portugal, e este ano não é exceção.

A verdade é que todos ambicionamos trabalhar em empresas que tenham alguma reputação perante o mercado, dado que a essa reputação estão ligados uma série de fatores positivos. Falamos de uma boa remuneração, acesso a vários tipos de benefícios, como seguros de saúde, ginásios ou até mesmo a salas de descanso, e ainda a flexibilidade no que diz respeito aos horários de trabalho.

O estudo da Randstad foi realizado entre 18 e 30 de dezembro de 2019 e permitiu perceber que 44% dos colaboradores valorizam cada vez mais os benefícios oferecidos pelas empresas, como os planos de saúde, as ajudas de custo, a aposta na formação e ainda a flexibilidade de horários.

No entanto, a Randstad garante que a forma como trabalhamos durante a pandemia fez rever algumas prioridades. A solidez da empresa, a segurança que é capaz de garantir e o equilíbrio profissional e pessoal assumem agora uma nova importância na vida dos colaboradores em geral.

As 20 empresas mais atrativas para trabalhar em Portugal

colegas de uma das empresas mais atrativas para trabalhar a trocar ideias

Este ano não foi exceção e a Randstad voltou a identificar as empresas mais atrativas para trabalhar em Portugal, por setor de atividade, tendo por base a opinião da população ativa.

No momento de escolher um país estrangeiro para trabalhar, os portugueses valorizam alguns critérios específicos como o salário e benefícios (83%), a estabilidade economico-fianceira (68%) e o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional (56%).

Contudo, a verdade é que a maneira como trabalhamos durante a pandemia fez com que fossem revistas algumas destas prioridades. Para o CEO da Randstad Portugal, José Miguel Leonardo,

“Portugal será sempre uma referência internacional no que respeita ao talento e inovação e à qualidade de instituições de ensino e empresas. Desta forma há que capitalizar este valor na construção da marca Portugal”.

Segue-se então a grande questão que muitos ainda querem saber: Portugal é ou não um bom país para trabalhar? O nosso país, enquanto destino profissional, é valorizado pela sua localização geográfica (65%), diversidade e inclusão (44%), produtos e serviços de referência (39%), a boa reputação do país (36%) e a qualidade do ensino e da formação nacional (35%).

Tendo em conta o estudo da recrutadora, as 20 empresas mais atrativas para trabalhar em Portugal são:

  1. TAP Air Portugal;
  2. Banco de Portugal;
  3. RTP;
  4. Lusíadas Saúde;
  5. ANA – Aeroportos de Portugal;
  6. Delta Cafés;
  7. Hovione;
  8. OGMA;
  9. Farfetch;
  10. PwC;
  11. Bosch;
  12. Siemens;
  13. BA Vidro;
  14. Nestlé;
  15. FNAC;
  16. Fujitsu;
  17. Labesfal;
  18. Deloitte;
  19. Volkswagen Auroeuropa;
  20. Pestana Hotel Group.

O que leva estas empresas a estarem entre as mais atrativas?

Em questão estão os benefícios e salários atrativos, o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional que permitem aos colaboradores manter um bom ambiente de trabalho, a capacidade de progressão na carreira e ainda o facto de lhes permitir sentirem-se estáveis e seguros do seu emprego.

Importa ainda salientar que o Randstad Employer Brand Research é um estudo realizado anualmente com o intuito de avaliar a perceção dos colaboradores dos 150 maiores empregadores nacionais.

Em Portugal, a recrutadora distingue as empresas mais atrativas para trabalhar com base na perceção que os portugueses têm delas.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].