Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marvin Tortas
Marvin Tortas
04 Ago, 2020 - 17:35

Ensaio Honda Civic Type R: será que ainda é o rei do alcatrão?

Marvin Tortas

O novo Honda Civic Type R é um carro muito mais prático. Está mais largo, mais baixo e mais comprido. Mas será que ainda é um verdadeiro Type R?

Honda Civic Type R

O Honda Civic Type R chegou à sua 5ª geração e esta versão desportiva do compacto japonês conta já com 25 anos de história.

O novo FK8 está um Type R diferente. Cresceu quase 20cm em relação ao FK2. Ficou por isso mais prático, mas ao mesmo tempo (muito) mais rápido. Apesar do aumento das dimensões, o peso diminuiu 2kg, a potência aumentou 10cv e a aerodinâmica melhorou 13%.

A primeira vista, tudo parece ter melhorado… Mas será que este continua a ser um “verdadeiro” Type R? Fomos procurar a resposta a essa pergunta no nosso ensaio.

Honda Civic Type R: performance que condiz com a aparência

Análise Exterior

O Honda Civic Type R é um carro que não esconde ao que vem. A sua imagem radical grita “performance”, e embora pareça demasiado arrojada, a verdade é que é extremamente funcional.

As entradas de ar enormes na parte frontal do carro permitem arrefecer o coração do Type R. A saia frontal e as saias laterais não só ajudam a colar este carro no alcatrão como a canalizar o fluxo de ar para a parte traseira.

Honda Civic Type R
Fonte: Honda

No tejadilho do carro encontramos vários geradores de vórtices de ar, que canalizam este diretamente para o um spoiler traseiro de dimensões colossais, que quando em conjunto com o difusor traseiro, permitem com que este carro tenha uma carga de downforce suplementar no eixo mais à retaguarda, permitindo-o curvar a altas velocidades e ter ainda mais estabilidade em linha reta.

Honda Civic Type R
Fonte: Honda

Impressionantes também são as dimensões dos 3 escapes que preenchem a traseira deste carro. Infelizmente, e apesar de serem a principal razão pelo ganho de 10cv em relação anterior, impressionam mais pela sua aparência do que pelo seu “cantar”…

O Type R não está nem aí para as opiniões. Afinal de contas, não foi feito para ser “bonito”. Foi pensado para ser funcional, e goste-se ou não, a verdade é que ninguém fica indiferente à aparência deste carro quando desfila pelas ruas.

Análise Interior

Se o exterior impressiona pela sua estética arrojada, no interior deste Honda Civic Type R somos conquistados também por aquilo que este carro oferece.

Honda Civic Type R
Fonte: Honda

Em relação à geração anterior, praticamente todo o sistema de infoentretenimento foi alvo de uma revolução (no bom sentido claro). Contamos agora com um sistema muito responsivo ao toque, mais orientado para o condutor e bastante mais fácil de usar enquanto se conduz.

E porque falamos de tecnologia, é importante referir que este carro é no fundo um Honda Civic “normal” apetrechado de extras. Este carro já está equipado de série com sensores dianteiros e traseiros, câmara traseira, GPS, sistemas de conectividade com o smartphone como Apple CarPlay ou Android Auto, LKAS (sistema de manutenção na faixa de rodagem), ACC (sistema de anti colisão em cidade), ou cruise control adaptativo.

Honda Civic Type R
Fonte: Honda

De série contamos também com um generoso quadrante 100% digital, que tem ótima resolução e mostra toda a informação útil para o consumidor de uma forma muito simples e intuitiva.

Impressiona ainda a qualidade dos materiais utilizados pela Honda na construção deste carro. Os plásticos e a pele utilizados têm um toque digno de uma marca premium alemã, tanto na parte frontal, como na parte traseira, e embora existam plásticos de sensação mais rija, os materiais suaves ao toque abundam no interior deste carro.

E por falar na parte traseira, espaço é também coisa que não falta ao Type R, quer no que toca a espaço para passageiros, quer para acomodar bagagens, ou não fosse este, tal como o seu irmão “Civic”, o líder do segmento C no que a espaço para a bagageira diz respeito, partilhando os mesmos 420L de capacidade.

Condução

O Honda Civic Type R não é um carro “normal”. Estamos a falar do carro de tração frontal mais potente do mundo, com um motor 2.0 que debita 320 cavalos de potência e 400Nm de binário. No entanto, a melhor forma de expressar o quão bom é o comportamento dinâmico deste carro, é que mesmo quando provocado em situações de piso molhado, este Type R consegue colocar toda a potência no chão, tal e qual um carro de tração integral. Neste capítulo, tiramos o chapéu aos engenheiros da Honda.

Honda Civic Type R
Fonte: Honda

A posição de condução é também ela próxima de perfeita, com umas bacquets vermelhas que nos abraçam muito bem e nas quais nos podemos sentar bem lá fundo e ajustar o volante mesmo à frente do nosso peito, ficando com os nossos braços num ângulo próximo dos 45º.

Aconchegados pelos bancos, é hora de pisar a fundo no pedal do lado direito e é aí que sentimos toda a “fúria” dos 320cv que saem deste motor VTEC (com abertura variável de válvulas). O coração deste carro é capaz de nos levar dos 0 aos 100km/h em apenas 5,7 segundos e continuar a acelerar até aos 280 km/h, fazendo-nos consumir inúmeros sorrisos pelo caminho.

Falando dos consumos, nas nossas mãos (e é impossível sermos poupados quando andamos com um carro que constantemente nos implora para acelerar) o Type R marcava valores na ordem dos 12L/100km, embora a marca japonesa alegue que este carro é capaz de gastar apenas 7,7L/100km quando conduzido de uma forma “cívica”.

Honda Civic Type R
Fonte: Honda

Este Honda Civic Type R conta com 3 modos de suspensão: Comfort, Sport e R+.

Quando colocado em modo Confort, a taragem da suspensão fica mais suave, mais civilizada, e dentro dos possíveis, podemos até afirmar que fica mesmo… confortável, passo o pleonasmo. Também a resposta do acelerador fica mais “preguiçosa” e a direção mais leve. É enfim, aquele modo que facilmente usamos em deslocações de auto-estrada ou enquanto percorrermos o trânsito da cidade.

Por definição, quando ligamos o Type R, este liga-se em modo Sport, que podemos considerar o modo “normal” neste carro. Mas aquilo que verdadeiramente queremos, é colocá-lo em modo R+, porque é o modo que faz jus, não só à estética, como à capacidade de performance deste carro.

Neste modo, a suspensão fica quase tão firme como um carro de corridas, e sentimos a mais pequena irregularidade da estrada no chassis deste carro. A direção fica também ela mais firme, mas mais precisa. Enfim, ganhamos na performance, perdemos no conforto. Mas afinal de contas, este carro foi feito mesmo para isto, para ser usado e abusado, e nestas situações, não nos deixa ficar mal.

Honda Civic Type R
Fonte: Honda

A suspensão de tipo MacPherson à frente e Multilink na traseira com controlo de amortecimento adaptativo desempenham na perfeição o seu papel colam este carro ao alcatrão de tal maneira que facilmente registamos valores dignos de um carro de Fórmula 1 no medidor de forças G incorporado no quadrante mesmo à nossa frente.

O Type R é um carro que não desilude em nenhum capítulo, com a excepção de um: o som… É só aqui que sentimos “pena” por este carro não ter tido mão de um engenheiro europeu na sua concepção. É que o barulho que as 3 saídas de escape massivas fazem, não é digno de todo o andamento, e menos ainda de toda esta aparência.

Quando o Engenheiro responsável pelo desenvolvimento deste FK8 foi questionado porque é que o Type R não fazia mais baralho, a resposta foi um simples: “Para quê? Isso ia fazer o carro andar mais depressa?”. Às vezes a seriedade e profissionalismo dos japoneses até aborrece…

Honda Civic Type R
Fonte: Honda

Mas será que isso nos impede de desfrutar cada segundo ao volante do Type R? De todo… Este carro é um verdadeiro regalo de conduzir, e o facto de ser um Honda e de ser japonês, só quer dizer que temos ali um carro que fará centenas e centenas de milhares de quilómetros até este se começar a cansar. Ou imaginem só, para aqueles que acham que 320cv não é suficiente, levar este motor até aos 400cv, ou mais, não deve ser tarefa difícil, nem tampouco comprometerá a fiabilidade deste bloco…

Preços

Os preços do Honda Civic Type R FK8 começam nos 48 600€ para a versão Type R, e nos 51 670€ para a versão Type R GT (versão ensaiada).

Veredicto final

O Type R continua a ser um verdadeiro Type R: ágil, agressivo, rápido, muito rápido, e continua a dar nas vistas por onde quer que passe.

Em adição a tudo isto, está agora bastante mais prático, e bastante mais usável no dia-a-dia, sem que isto tivesse comprometido a sua performance. Antes pelo contrário, ficou ainda melhor!

Por último, se pensarmos que este carro tem prestações melhores do que um super carro de uma marca italiana há 10 anos atrás, isto é verdadeiramente formidável não é? Ainda por cima se pensarmos que tudo isto custa perto de 50 000€, tudo se torna ainda mais justificável.

Em termos comparativos, talvez seja menos confortável e menos prático para usar no dia-a-dia do que um Hyundai i30 Fastback N, é também mais caro, mas quando se fala de performance pura, o Type R é, e será por mais uns anos (pelo menos), o “rei do alcatrão”.

Veja também