Luís Vicente
Luís Vicente
14 Jun, 2019 - 14:21
Ericeira: sol, praia, surf e peixe (muito) fresco

Ericeira: sol, praia, surf e peixe (muito) fresco

Luís Vicente

A Ericeira é um destino já conhecido para os surfistas, mas há muita oferta para os banhistas tradicionais. Saiba aqui o melhor que a vila tem a oferecer.

O artigo continua após o anúncio

Colocada na rota do mundo com uma das praias que fazem parte do campeonato do mundial de surf, a Ericeira ainda é uma ponto desconhecido para muitos portugueses. Situada 35 quilómetros a norte de Lisboa, a vila piscatória é destino de veraneio para várias famílias da zona; contudo, justifica-se a viagem mesmo para quem está mais longe. Razão para isso mesmo é a grande oferta de praias, alojamento e restaurantes.

Ericeira, paraíso para surfistas e veraneantes

Ericeira

Com a preponderância do surf na zona, a Ericeira, cujo nome deriva do termo de origem latina que significa “terra dos ouriços”, a oferta foi-se expandindo, nomeadamente no número de escolas de surf. Por isso, este também um bom destino para quem é fã do desporto ou até, quem sabe, ter umas aulas de iniciação. Para os mais friorentos, a água não é muito convidativa.

Uma das mais conhecida para a tal actividade é a Praia de Ribeira d’Ilhas, que por ser mais afastada do centro privilegia de bom acesso e estacionamento, mas conta com um areal e mar limitado, dada a quantidade de praticantes e iniciantes de surf. A praia conta ainda com uma boa zona concessionada, que conta com esplanada e bons refrescos. A Praia da Foz do Lizandro também recebe todos os Verões (e até noutras alturas do ano) muitos praticantes de surf.

Já no centro, pode optar pela Praia dos Pescadores, também esta servida de boas opções para almoçar ou lanchar. Será, por ventura, uma das praias onde o mar é mas calmo, pelo que a azáfama do surf não se sente tanto.

Por outro lado, a Praia de S. Sebastião é menos concorrida, muito por causa do difícil acesso e também do curto areal. Contudo, se tiver espírito aventureiro e não se importar de percorrer caminhos esguios, verá que vais ser recompensado com a vista.

Mais a norte há ainda, naturalmente, a Praia do Norte, que fica entre a dos Pescadores e a praia de S. Sebastião. Trata-se de uma das maiores maiores praias no que à extensão de areal diz respeito. Contudo, não é possível estacionar exactamente ao lado. O melhor é estacionar no parque da praia de S. Sebastião, e depois descer. Ou então, caso esteja alojado na Ericeira, poderá percorrer o trajecto a pé, através dos acessos pedonais.

Ericeira

Vida nocturna animada

Além das várias praias, restaurantes, hotéis e alojamento local, a vila também conta com uma vida nocturna bastante animada. Mas desengane-se quem acha que é uma resposta para o crescente fluxo migratório: o espaço de diversão nocturno mais antigo, Ouriço Discoteca, é também o mais velho da Europa, uma vez que abriu há 59 anos. Quanto a bares, os sítios que atraem mais público são o Pedro, o Pescador e o Adega, que tem espectáculos de música ao vivo ao fim-de-semana. Está tudo concentrado mais ou menos na mesma zona e é possível percorrer a vila de um lado ao outro, a pé, em meia hora.

Onde comer

Com tanta energia gasta a chegar à praia ideia para si, e todas as actividades físicas que envolve praia, é natural que ao jantar queira um bom restaurante para repor as forças. Ora apresentamos abaixo opções para todos os gostos, sendo que o cardápio regional da Ericeira assenta no bom peixe fresco, há opções para outras preferências.

O artigo continua após o anúncio

Comecemos com o tradicional e histórico Mar d’Areia: uma casa com tradição local do peixe fresco. Para um almoço ou jantar sem grandes formalidades em que o assunto principal é comer e beber bem, com preços de acordo com a qualidade da comida, este restaurante é uma excelente solução. A acompanhar o pescado, peça um jarrinho de vinho branco da casa.

Num outro registo, se a ideia for petiscar, o ideal será o Tik Tapas: Bom provar de tudo um pouco. Para acompanhar os deliciosos piteus, tem uma ampla carta de vinhos, onde de certeza encontrará o ideal para acompanhar a refeição. O ambiente é agradável e descontraído. O espaço é pequeno pelo que é aconselhada a reserva.

Pratos principais

Por fim, aquele que é considerado um dos melhores restaurantes da Ericeira: o Funky. Com tal título, não se vai espantar se lhe contarmos que costuma estar lotado. À entrada, salta à vista a peculiar decoração do espaço, que contribuem para o tornar mais único. As opções de ementa são variadas e o restaurante tanto pode ser uma boa escolha para uma visita em família ou jantar de casal.

Por fim, para sobremesa, pede-se uma visita à Casa Gama, um típico estabelecimento que espelha as características regionais que ainda ali estão patentes, como azulejos azuis e bancadas em granito. Mas o que interessa mesmo é o doce nas prateleiras, sobretudo as regionais e deliciosas Areias.

Ericeira

Abrir horizontes e entreter as crianças

Além das praias, pode ainda aproveitar a vista que a costa proporciona. E há dois locais excelente para encher os olhos de água (e o que a rodeia): por cima da Praia da Foz do Lizandro, perto do estacionamento que serve a praia, e ao pé da Praia dos Coxos, que já fica fora da Ericeira, a cinco quilómetros da vila. Aqui, pode usufruir de outra vista desafogada, mas desta vez com um grande rochedo no horizonte.

Para cansar um pouco mais as crianças depois de um dia de praia ou entreter enquanto almoça, o Parque Santa Marta apresenta-se como uma boa opção. O restaurante e bar apresenta boas opções estivais no menu e o parque tem divertidas brincadeiras para os mais novos, com baloiços e escorregas.

O ideal é não pegar no automóvel para o trajecto, uma vez que estacionar perto é complicado.

Como chegar

A partir de Lisboa

De carro, através de Lisboa, são cerca de 50 quilometros até à Ericeira. Pela auto-estrada, o melhor trajecto é seguir pela A8 e sair em direção a Mafra/Malveira; para depois entrar na A21 já em direcção à vila piscatória.

O artigo continua após o anúncio

A partir do Porto

No mesmo transporte mas saindo do Porto, o percurso já é, naturalmente, mais longo, quase três horas. Quanto ao trajecto por auto-estrada, poderá escolher entre a A1 ou a A8 para a maior parte do caminho, ou fazer até Leiria numa e depois mudar para outra.

Se escolher a A8, terá de primeiro seguir em direcção a Lisboa/Ponte da Arrábida/Gaia para depois seguir para a A25 e mais tarde mudar para a A17, até que finalmente pode entrar na A8, já no distrito de Leiria.

Pela A1, é seguir sempre na direcção a Lisboa até que no Carregado vira para a A10, até que muda para a A9, para mudar para a A8 e de seguida A21.

Onde ficar

Por último, deixamos três soluções de alojamento, com intervalos de preço diferentes, mas todos muito perto do mar.

Vila Galé Ericeira

Residencial Fortunato

Hotel Camarão

Veja também:

O artigo continua após o anúncio