ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Assunção Duarte
Assunção Duarte
12 Fev, 2021 - 12:02

Evite os 5 erros mais comuns no treino de gatos

Assunção Duarte

Treinar gatos é mais fácil do que parece se conseguir evitar os 5 erros mais comuns no treino destes pequenos felinos. Saiba quais são.

Dicas para treino de gatos

Os 5 erros mais comuns no treino de gatos são verdadeiros entraves que levam muitos tutores a desistir quase antes de começar o treino do seu animal de estimação. Tenha em mente que os gatos são animais inteligentes e que o resultado do treino poderá ser bem produtivo se adoptar a abordagem certa. 

5 erros mais comuns no treino de gatos

1. Contrariar os seus comportamentos naturais 

Arranhar, pular e escalar os móveis é um comportamento natural do seu gato. São os seus instintos de caçador felino e permitirem-lhe manter a mente e o corpo saudável. Muitos destes comportamentos podem ser indesejáveis para o seu tutor, mas a opção nunca deve ser tentar eliminá-los pois estaria a pôr em causa o bem estar do seu animal de estimação

É muito melhor redirecionar esses comportamentos para locais da casa onde eles sejam aceitáveis. Assim não ficará frustrado por não os conseguir eliminar e o seu gato vai viver melhor, já que se fosse impossibilitado de ter o seu comportamento natural poderia desenvolver graves problemas de saúde física ou mental.  

Crie prateleiras em altura, coloque caixas de cartão em sítios estratégicos para ele se esconder e proporcione-lhe arranhadores em locais específicos. Utilize guloseimas ou a famosa “erva dos gatos” para o atrair a esses locais e não se esqueça do reforço positivo quando o encontrar a usá-los. Muitas festas e palavras encorajadoras para ele perceber bem que aqueles são os seus locais de ação. 

Treino com gatos

2. Sessões de treino demasiado demoradas

O seu gato aprenderá melhor se praticar várias sessões de treino curtas, de um a cinco minutos no máximo, ao longo do dia. Pode fazê-lo aproveitando pequenos períodos em que ele está inativo ou em que ele vai  fazer alguma coisa relacionada com a aprendizagem.

Evite longas sessões de treino com agendamento diário rígido. Assim não se massacra a si nem ao seu bichano. Aproveite o dia-a-dia e o seu comportamento para adaptar o treino.

3. Recompensar o mau comportamento

Enxotar ou repreender o seu gato quando arranha o sofá por exemplo, acaba por lhe transmitir uma mensagem errada: a de que o tutor interage com ele, sempre que ele tem este mau comportamento, nem que seja para o assustar. Já quando ele pratica um comportamento que o tutor aprova, como arranhar no seu arranhador, é provável que seja completamente ignorado. O resultado é que gato acaba por associar o  mau comportamento à interação com o dono poderá aprender a usá-lo quando está aborrecido e quer atenção.

Elogie, faça alarido e dê-lhe muitas festas quanto ele pratica alguma ação que você aprove, mesmo que seja a mais básica de todas. E, quando ele tiver um mau comportamento, não se manifeste.  Desvie-o delicada mas firmemente do que está a fazer, por exemplo do sofá se o estiver a arranhar, e coloque-o no local certo, neste caso no arranhador, e recompensando-o com festas ou guloseimas se ele o arranhar.

4. Esperar que aprenda palavras sem as associar ao comportamento

Dizer ao seu gato palavras como “para”, “senta” ou “desce” e esperar que ele execute essas ações não funciona. Pode repeti-las dezenas de vezes, mas se ele não perceber o que elas significam no seu comportamento, nunca as irá “ouvir”. Se quiser fazer com que ele desça de cima da mesa por exemplo, diga a palavra “desce” ao mesmo tempo que o põe no chão e o premeia com uma guloseima ou uma festa. 

No futuro ele vai relacionar a palavra “desce” com o chão e com a recompensa, o que o vai ajudar a “ouvir melhor” das próximas vezes. Ele pode até passar a evitar a mesa, uma vez que nada de agradável lhe acontece quando está lá em cima. Faça o mesmo com outras palavras e comportamentos. E nunca se esqueça que o melhor caminho no treino de gatos é sempre o reforço positivo e nunca a punição. 

5. Querer avançar rápido demais

Não trace metas irrealistas no tempo e no comportamento que pretende conseguir do seu gato. Cada gato é um gato e é importante que perceba qual é o ritmo de aprendizagem do seu. Não complique demasiado o treino e avance sempre com passinhos de bebé. Só assim vai reduzir a probabilidade de ambos ficarem frustrados, abandonando o treino a meio. 

Pense que, grão a grão, evitando estes 5 erros comuns no treino de gatos, poderá obter grandes mudanças no comportamento do seu animal de estimação. E não se esqueça que, se o seu gato apresentar problemas comportamentais graves como agressividade ou uso indevido da caixa wc, convém sempre pedir ajuda ao seu veterinário. Alguns destes comportamentos podem não mudar com estas dicas porque têm uma condição médica latente que deve ser investigada.

Veja também