ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Assunção Duarte
Assunção Duarte
10 Mar, 2021 - 11:44

Como evitar a fadiga do Zoom?

Assunção Duarte

Há truques para evitar a fadiga do Zoom, mesmo para os que estão constantemente em vídeo chamada com colegas ou clientes.

Mulher com fadiga do zoom

fadiga do Zoom é o nome dado ao cansaço excessivo que muitos sentem depois de estar a trabalhar várias horas em vídeo chamada. Como a maior parte destas chamadas são feitas através da plataforma Zoom, o nome ficou fadiga do Zoom. Mas também podia ser a fadiga do Teams ou a fadiga do Skype. 

O que é certo é cada vez mais trabalhadores à distância afirmam que um dia de trabalho em video chamada parece cansar muito mais do que um dia em reuniões presenciais com colegas ou clientes. Os especialistas em comunicação e psicologia vêm agora dar-lhes razão.

Fadiga do Zoom: estamos em sobrecarga não verbal 

Demasiado próximos do rosto dos outros

O teletrabalho trouxe para o dia a dia de muitos trabalhadores o contacto à distância com os seus chefes, colegas e clientes através de vídeo chamadas.  Estamos à distância, mas pelos visto demasiado perto visualmente.  

Segundo investigadores da Universidade de Stanford, estamos a viver uma época sem precedentes no que diz respeito a estar demasiadas horas em contato visual próximo com a cara de pessoas que não fazem parte do nosso núcleo familiar mais próximo. Em termos de espécie, essa proximidade coloca-nos num estado de hiperexcitação visual. 

No mundo real, sempre que o rosto de outro humano está tão próximo do nosso, o nosso cérebro interpreta como um de dois tipos de situações: de conflito ou de afectividade. A confusão de estímulo e contra estimulo no nosso cérebro em vídeo conferência é grande e provoca maior stress e cansaço do que numa conversa a uma distância convencional. 

Demasiado próximos do nosso rosto

Quando estamos em vídeo chamada, o nosso rosto também aparece. É como se estivéssemos a trabalhar permanentemente em frente de um espelho. Quando mais nos olhamos, mais nos avaliamos, e quando mais nos avaliamos, mais emoções negativas podemos despoletar na nossa autoestima.

Passamos a deixar de estar concentrados apenas no que estamos a fazer, para nos focarmos em oferecer uma imagem idealizada de nós mesmos. Em chamadas de vídeo muito prolongadas, este esforço extra deixa as suas marcas. 

Nos Estados Unidos por exemplo, já aumentou a procura por procedimentos ou cirurgias cosméticas para mexer no rosto. Os médicos crêem que esta procura possa estar diretamente relacionada com a fadiga do Zoom porque as alterações pedidas são sempre em torno das pálpebras, olhos, no duplo queixo ou no pescoço.

Zoom versus Teams no teletrabalho
Veja também Zoom versus Teams: qual a melhor plataforma para o teletrabalho?

Deixámos o piloto automático no mundo real

Quando falamos pessoalmente com alguém, existem uma série de pistas sociais que o nosso cérebro esta automaticamente capaz de interpretar. Essas pistas acrescentam valor e significado à conversa. 

Por vídeo chamada, também porque muitas vezes a imagem e o som não estão nas melhores condições, essas pistas sociais perdem-se. É muito mais difícil compreender a situação de conversa. Temos de sair do nosso automatismo e estar constantemente a validar o que estamos a ouvir ou a dizer e isso é um esforço extra.

Demasiado tempo sentados

A fadiga também vem do facto de estarmos muito tempo sentados em vídeo conferência. O teletrabalho é muito mais sedentário do que o trabalho no escritório, por isso o cansaço que muitos sentem quando se levantam ou sobem umas simples escadas pode vir deste sedentarismo forçado.

Reunião virtual com Zoom

Fadiga do Zoom: como reduzir o impacto negativo 

Nem tudo precisa de uma vídeo chamada

Reduza no que puder o número de situações em que tem de estar em vídeo conferência. Há muitas coisas que podem ser feitas e resolvidas por email ou recorrendo a uma chamada telefónica convencional. 

Reduza o tamanho dos rostos no ecrã

Reduza o tamanho da imagem das pessoas quando estiver a falar com elas. Basta não utilizar o ecrã inteiro do seu computador ou manter o mesmo a uma maior distância na secretária. Se tiver um teclado externo que possa agregar ao seu portátil, melhor. Longe do rosto, longe dos estímulos cerebrais confusos.

Opte por não ver o seu rosto

Desligue a sua câmara sempre que puder ou de vez em quando. Também pode manter-se ligado, mas opte por ocular o seu ecrã para si mesmo. Os utilizadores do Zoom têm nas configurações a hipótese de optar por uma ocultação da auto-visão. Isso vai permitir ao seu cérebro descansar do estímulo espelho.

Faça pausas ativas

Desligue-se sempre que puder. Faça pausas fora do ecrã e dos estímulos visuais virtuais. Aproveite para mexer o corpo ou ir passear o cão. Quando mais exercício fizer, menos fadiga do Zoom vai sentir.

Veja também