Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
02 Mar, 2020 - 08:43

Exames nacionais 2020: tudo o que precisa de saber

Catarina Milheiro

Confira o guia essencial sobre os exames nacionais 2020. A inscrição para a realização das provas decorre durante o mês de fevereiro e março.

alunos concentrados a fazer exames nacionais

A preparação para os exames nacionais 2020 começa agora.

O boletim de inscrição para exames já está disponível nas escolas de ensino secundário, sendo que a 1ª fase decorre entre 18 de fevereiro e 18 de março e a 2ª fase entre 12 a 16 de julho.

No ano escolar 2019/2020 será realizada pela primeira vez, a avaliação da componente de produção e interação orais nos exames nacionais finais de línguas estrangeiras e Português Língua não Materna.

Os exames nacionais 2020 arrancam a 15 de junho com a prova de Português.

O QUE DEVE SABER EM RELAÇÃO AOS EXAMES NACIONAIS 2020

É verdade que ainda falta algum tempo para aquele que é um dos momentos decisivos da vida académica, causadores de grande ansiedade e expectativa por parte de alunos e encarregados de educação.

No entanto, o processo inicia-se agora e é necessário conhecer as regras que estão na base do funcionamento dos exames nacionais 2020, para que nada falhe.

Tome nota da informação que se segue.

exemplo de exames nacionais

Quem se deve inscrever?

Devem inscrever-se nos exames nacionais todos os alunos que estejam enquadrados nas seguintes situações:

  • alunos que pretendam realizar provas de ingresso ao ensino superior;
  • alunos que pretendam obter aprovação em disciplinas de cursos científico-humanísticos, do ensino recorrente, do ensino artístico especializado e de cursos tecnológicos;
  • alunos que queiram fazer melhoria de nota em disciplinas em que já foram aprovados;
  • alunos que queiram entrar no ensino superior – Público, Politécnico ou Privado.

Quando se realiza a inscrição nos exames nacionais?

Independentemente da sua finalidade, as inscrições para os exames nacionais do ensino secundário realizam-se nos seguintes prazos:

  • 1ª fase: 28 de fevereiro a 18 de março;
  • 2ª fase: 12 a 16 de julho.

Em que circunstâncias os alunos se podem inscrever na 2ª fase dos exames nacionais?

Mediante inscrição obrigatória, podem ser admitidos à 2ª fase, os alunos que realizam as provas na 1ª fase, desde que:

  • Não tenham obtido aprovação nas disciplinas em que realizaram exames nacionais na 1.ª fase, como alunos internos;
  • Não tenham obtido aprovação nas disciplinas em que realizaram provas ou exames na 1.ª fase, como alunos autopropostos;
  • Pretendam realizar melhoria de classificação em qualquer disciplina realizada na 1.ª fase, no mesmo ano letivo;
  • Pretendam repetir o exame final nacional de qualquer disciplina realizada na 1.ª fase que se constitua como prova de ingresso ou para prosseguimento de estudos.

Para além disso, a 2ª fase destina-se ainda aos alunos que:

  • Pretendam realizar exames na 2.ª fase para melhoria de classificação em qualquer disciplina concluída por frequência no presente ano letivo;
  • Pretendam realizar exames finais nacionais de disciplinas que não pertençam ao seu plano de estudos, desde que tenham realizado na 1.ª fase outro exame calendarizado para o mesmo dia e hora, sendo aqueles equiparados a exames da 1.ª fase, para todos os efeitos;
  • Estejam excluídos por faltas na disciplina e que só podem inscrever-se para o respetivo exame final nacional na 2.ª fase desse mesmo ano letivo, na qualidade de autopropostos.

Datas importantes a considerar

Há que considerar os períodos de realização dos exames nacionais 2020.

Primeira Fase:

  • 15 de junho a 7 de julho – 1ª fase dos Exames Finais Nacionais do Ensino Secundário;
  • 15 junho a 7 de julho – período de aplicação da componente de produção e interação orais de línguas estrangeiras e de Português Língua Não Materna;
  • 16 de julho – afixação de pautas;
  • 14 de agosto – afixação dos resultados dos processos de reapreciação.

Segunda Fase:

  • 21 a 27 de julho – 2ª fase dos exames nacionais do Ensino Secundário;
  • 21 a 29 de julho – período de aplicação da componente de produção e interação orais de línguas estrangeiras e de Português Língua Não Materna;
  • 5 de agosto – afixação de pautas
  • 27 de agosto – afixação dos resultados dos processos de reapreciação.

Para obter mais informações sobre o calendário dos exames nacionais 2019/2020, nomeadamente o dia e hora para cada prova específica, consulte o  Despacho n.º 5754-A/2019.

Quais são as provas de ingresso e as médias dos cursos?

Para saber tudo sobre as provas de ingresso e as médias de acesso aos vários cursos e instituições do ensino superior, consulte a informação da Direção Geral do Ensino Superior.

Se consultar o índice de cursos, encontrará, para cada um deles, informação atualizada sobre as médias de acesso, provas de ingresso, bem como contactos diretos de cada instituição de ensino, para ficar bem informado.

Como calcular a classificação final das disciplinas (CFD)?

Nas disciplinas anuais, a classificação final da disciplina (CFD) é a classificação interna final (CIF).

Nas disciplinas bienais e trienais, não sujeitas a exame final nacional, a classificação final da disciplina é a média aritmética simples das classificações de frequência anuais:

CFD = (10.º + 11.º)/2 ou CFD= (10.º + 11.º + 12.º)/3

Para os alunos internos, nas disciplinas sujeitas a exame final nacional ou exame a nível de escola, a classificação final da disciplina é o resultado da média ponderada, com arredondamento às unidades, da classificação obtida na avaliação interna final da disciplina e da classificação obtida em exame final, de acordo com a seguinte fórmula:

CFD = (7CIF + 3CE)/10

Para os alunos autopropostos, a classificação final da disciplina é a obtida em exame:

CFD = CE

Exemplo

Se a sua média final do secundário for de 13,4 e a instituição de ensino superior lhe atribuir um peso de 70%, deverá multiplicar 134 por 0,7. O resultado apurado seria de 93,8.

Se o exame nacional que conta como prova de acesso ao ensino superior tiver peso de 30%, deverá multiplicar a nota que obteve no exame por 0,3. Se a nota do exame for de 14, multiplica 140 por 0,3. O resultado será 42.

Então, para obter a média de acesso ao ensino superior tem que somar os dois valores obtidos, ou seja: 93,8 + 42. A média de acesso ao ensino superior será de 135,8.

Veja também