Luísa Santos
Luísa Santos
24 Jul, 2019 - 12:08
Férias virtuais: experimente viajar sem sair de casa

Férias virtuais: experimente viajar sem sair de casa

Luísa Santos

Não tem uns dias livres ou o orçamento necessário para uns dias de descanso? Não desespere, porque preparámos uma lista de férias virtuais que vai adorar.

O artigo continua após o anúncio

A Internet pode até trazer muitas desvantagens, mas a verdade é que também possibilita a existência de fenómenos que, sem ela, certamente não existiriam. Um deles é o conceito de férias virtuais, uma série de ideias criativas que o transportam para outro canto do mundo sem sair de casa.

7 formas de “tirar” umas férias virtuais

1. Experiência 360º da Lufthansa


A expressão “ir para fora cá dentro” nunca fez tanto sentido. As experiências 360º da Lufthansa são a oportunidade ideal para conhecer as cidades mais famosas do mundo, e tudo graças à inovação tecnológica a que assistimos diariamente. Estes vídeos são possíveis graças aos avanços que a realidade virtual e a filmagem em 360º têm conhecido.

2. Aceda ao YouTube e ande numa montanha russa


Este é um dos exemplos de férias virtuais que mais facilmente encontra na Internet. Existem centenas de vídeos que, mais do que recriar a experiência de andar numa montanha russa, o fazem de forma altamente realista (filmando na “primeira pessoa”) como se o espectador estivesse, de facto, a viver a experiência.

Um momento radical que pode repetir vezes e vezes sem conta, escolhendo diferentes atrações e até mesmo outros parques de diversão. Na verdade, já existem canais de YouTube dedicados a recriar viagens nestas “montanhas” que atraem milhares de pessoas.

Foi nesse contexto que se criou o Theme Park Tube, que hoje é um site dedicado a esclarecer as maiores curiosidades sobre estas atrações radicais, inclusive a história por detrás de cada montanha russa.

3. Veja os seus animais favoritos no zoo

Sim, pode ir ao jardim zoológico sem sair de casa. Hoje em dia, são muitos os zoos que disponibilizam filmagens em tempo real através dos seus sites. Por outras palavras, isto quer dizer que pode mesmo ver pinguins, pandas e leões a partir do seu computador. Não acredita? Então faça uma visita ao Zoo de San Diego ou ao Smithsonian.

4. Viaje nas redes sociais

Sabemos que esta seria a sugestão mais óbvia de umas férias virtuais que o transportam para diferentes locais do globo numa questão de segundos, e a verdade é que um dos melhores sítios para o fazer é no Instagram. Existem contas unicamente dedicadas a viagens e férias que o levam para sítios mágicos que, muitas vezes, nem sabia que existiam.

Dentro desta oferta, pode mesmo escolher as suas contas preferidas, até porque há várias dedicadas a destinos citadinos e outras a locais mais paradisíacos. Acredite, a pesquisa que terá de fazer no Instagram para encontrar esta contas será (mesmo) muito rápida.

O artigo continua após o anúncio

5. Viaje de olhos fechados

O YouTube esconde mesmo muitos segredos e um deles é a possibilidade de poder ouvir playlists de sons ambiente característicos de determinados locais. Isto quer dizer que pode ouvir o som do mar, numa praia paradisíaca, sem sair do escritório – ou até mesmo de uma fogueira a arder. Há diferentes tipos de sons que pode encontrar na plataforma de vídeos, que também se fazem acompanhar de filmagens dos sítios recriados.

6. Transporte-se com a sua playlist preferida

E não há sítio melhor para o fazer do que o Spotify, com milhares de playlists preparadas que o fazem transportar para qualquer sítio ou contexto que quiser. Há listas de músicas de verão, outras para tardes na piscina, opções mais relaxantes e tantos outros motivos que o fazem viajar para qualquer local que queira.

7. Faça uma visita a um museu

museu do louvre

As férias virtuais também podem ter uma componente cultural muito presente e nada melhor para o demonstrar do que uma visita a um museu. Nos dias de hoje, também graças à realidade virtual e às filmagens 360º, é possível fazer visitas virtuais aos museus mais famosos do mundo.

Pode, por exemplo, conhecer algumas coleções expostas no Guggenheim de Nova Iorque a partir do seu site, ou até mesmo percorrer os cantos mais conhecidos do Louvre. É graças ao avanço tecnológico e à Internet que estas experiências são possíveis, por isso não lhe faltam motivos para “ir para fora cá dentro”.

Veja também: