ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
03 Dez, 2020 - 16:06

Conheça a importância da flexibilidade no trabalho

Catarina Milheiro

A flexibilidade no trabalho é um tema muito discutido atualmente. Deve ser benéfica para empresas e colaboradores de forma a obter melhores resultados.

mulher com cão ao colo a trabalhar em casa a usufruir da flexibilidade no trabalho

A flexibilidade no trabalho ocupou este ano um lugar central nas agendas de todas as empresas e colaboradores. Com a pandemia, foram várias as organizações que adaptaram as suas políticas de Recursos Humanos para refletirem sobre as diversas modificações na natureza do trabalho.

De uma forma geral, a flexibilidade no trabalho implica introduzir e aceitar mudanças e alterações que visem melhor atender as necessidades empresariais e individuais.

O que quer isto dizer que, também se inclui a disposição e capacidade empresarial e individual de adaptação às mudanças de expectativas e circunstâncias.

Fique connosco e saiba quais os benefícios associados à flexibilidade no trabalho e qual a sua verdadeira importância nos dias que correm.

Flexibilidade no trabalho: importância e benefícios

A verdade é que a flexibilidade no trabalho sempre foi altamente valorizada, principalmente pelos colaboradores. Se até há uns anos, pouco se falava neste assunto, a verdade é que com a pandemia o cenário alterou-se por completo.

Tanto as empresas, como os colaboradores depararam-se com inúmeros desafios e problemas associados aos métodos que até agora vigoravam nos locais de trabalho. Surgiram, assim, questões sobre quais os modelos a implementar, de que forma, quando e para quem.

Segundo o mais recente Survey sobre Trabalho Flexível, da Mercer, realizado a mais de uma centena de empresas em Portugal, 65% dos participantes admite que a pandemia foi o principal fator que desencadeou a adesão ao trabalho remoto/flexível.

Para além disto, foi possível apurar que muitas empresas já haviam adotado antes da pandemia, práticas como o “Flex-time” (flexibilidade no horário de início e fim da jornada de trabalho). Contudo, 24% admite ter implementado esta prática após a pandemia ou ter intenções de a vir a implementar dentro de um ano e meio.

De facto, é possível perceber que algumas empresas já se encontravam (antes da pandemia) em fase de implementação de práticas e políticas de trabalho flexível ou a planear colocá-lo em prática. Afinal, a flexibilidade no trabalho tem um papel crucial no desempenho das empresas e colaboradores.

Se por um lado, as empresas mostram cada vez mais a preocupação que têm com os colaboradores, promovendo o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, por outro têm também a capacidade de compreender que este é um fator diferenciador quando o assunto é a atração e retenção de talentos.

Flexibilidade no trabalho: importância para os empregadores

Os empregadores preferem colaboradores flexíveis porque estes são mais valiosos e permitem um trabalho eficaz:

  • Um trabalhador flexível modifica a sua abordagem às tarefas com base nas preferências das partes interessadas e de acordo com os requisitos de cada situação;
  • São capazes de assumir mais responsabilidades e tarefas diferentes, desempenhando-as com sucesso, isso porque estes trabalhadores estão dispostos a fazer o que for necessário para que a tarefa seja realizada e o trabalho feito. De uma forma geral, estes tipos de trabalhadores são mais ágeis;
  • Têm uma rápida e fácil capacidade de adaptação aos diferentes métodos de trabalho. Assim, o facto de trabalharem em teletrabalho ou regime presencial não irá afetar o seu trabalho e desempenho.

Flexibilidade no trabalho: importância para os colaboradores

A flexibilidade funciona para os dois lados e, naturalmente, os trabalhadores apreciam chefias flexíveis. Espreite as características destes empregadores:

  • Reter talentos numa empresa implica gerir recursos humanos de uma forma flexível. Neste tipo de gestão, os colaboradores são tratados como indivíduos e sentem que, por parte da empresa, é feito um esforço para acomodar os estilos e as necessidades pessoais;
  • As chefias flexíveis proporcionam aos trabalhadores uma maior abertura sobre a maneira como cumprem objetivos. Avaliam as necessidades dos funcionários e fornecem feedback, orientação e reconhecimento individual para otimizar o desempenho;
  • Empresas com políticas de trabalho flexível são, em geral, mais apreciadas pelos colaboradores. Desta forma, conseguirão encontrar um equilíbrio entre as suas vidas profissionais e pessoais, um aspeto que tem vindo a ganhar cada vez mais importância no dia a dia das pessoas.

15 exemplos de flexibilidade no trabalho (para ambas as partes)

pais em teletrabalho com filho ao colo
  1. Permitir que os colaboradores trabalhem a partir de casa, para ajudar a equilibrar o trabalho com as responsabilidades familiares;
  2. Permitir que os colaboradores trabalhem em part-time, ou seja, menos de 40 horas semanais);
  3. Analisar o estilo e as preferências dos clientes individuais;
  4. Delegar tarefas de rotina para se concentrar em prioridades;
  5. Permitir alterações no horário de chegada e saída, desde que cumprido o trabalho previsto;
  6. Disponibilidade para aprender novos softwares ou métodos para melhorar a eficiência;
  7. Permitir que os colaboradores trabalhem 4 dias por semana ou em horários de trabalho condensado (4/5 ou 8/10);
  8. Ter por base resultados e contributos para melhoria de desempenho, sem que exista um horário fixo de trabalho ou local permanente exigido;
  9. Oferecer-se para assumir as responsabilidades de um colega em período de férias;
  10. Dar atenção imediata a um cliente, mesmo que imerso numa tarefa minuciosa;
  11. Permitir que os colaboradores trabalhem intensivamente por turnos;
  12. Permitir licenças sem vencimento/sabáticas (por motivos de saúde, parentalidade ou outras licenças impostas pelo governo);
  13. Ajudar um colega a cumprir o prazo de uma tarefa da sua responsabilidade;
  14. Permitir o regresso faseado ao trabalho para novos pais;
  15. Possibilitar dias de férias complementares aos colaboradores.
Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].