Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
02 Nov, 2022 - 12:18

Acabou a Fiesta! Ford diz adeus ao popular modelo em 2023

Valdemar Jorge

O Fiesta, um dos modelos mais populares da Ford, tem os dias contados. A produção terminará em 2023 e vem aí um elétrico.

Ford Fiesta

É oficial. A Ford confirmou o fim da produção do popular Fiesta em junho de 2023. Ao todo foram 46 anos de sucessos alcançados pelo pequeno modelo, versátil e fabricado a pensar no povo.

Nas primeiras gerações, qual ‘patinho feio’, soube cativar muitas famílias pela sua singularidade, simplicidade, fiabilidade e, claro, economia. Um item que quase sempre está no topo aa lista de quem compra um automóvel.

Ao longo de oito gerações, o Fiesta foi desenvolvido e fabricado, principalmente, pelos operadores da Ford na Europa e posicionou-se abaixo do Ford Escort, modelo que mais tarde foi substituído pelo Focus. Outro automóvel que tem conquistado muitos adeptos.

Com mais de 22 milhões de unidades vendidas, o Fiesta é um dos modelos mais vendidos da Ford e foi fabricado no Reino Unido, Alemanha, Espanha, Brasil, Argentina, Venezuela, México, Taiwan, China, Índia, Tailândia e na África do Sul.

Ford Fiesta: gerações comerciais e desportivas

Ao longo da sua carreira, o Ford Fiesta recebeu motores de 957, 1117 e 1597 cc que debitavam potências entre uns sofríveis 40 cv e mais expeditos 84 cv. As primeiras versões de 3 portas saíram de fábrica equipadas com caixa de quatro velocidades.

Mais tarde, surgiram as versões desportivas, muito procuradas, nomeadamente, para competições de rali, em toda a Europa.

O Fiesta era ‘pequenino’ (3 portas) leve e, por consequência, muito ágil. No capítulo desportivo destacaram-se, na segunda geração, os Fiesta XR2 de 1983, que debitavam 96 cv.

Para alegrar a carroçaria e o habitáculo recebiam um adequado kit desportivo, que tornavam o modelo ainda mais apetecível. Ainda nesta geração surgiu a motorização diesel.

O sucesso do Fiesta de 3 portas foi crescendo e em 1989 a Ford sentiu necessidade de ampliar a oferta do modelo. Deste modo, entrou em ação o Fiesta 5 portas, acompanhado de completa oferta de motorizações a gasolina.

Ao todo chegaram a ser comercializados 7 blocos com diversas potências. A mais elevada atingia 130 cv. Claro, que continuava a merecer atenção a motorização diesel mas, ainda só com um bloco disponível.

A pujante versão ST

Já no século XXI, a Ford introduz no portfólio Fiesta um modelo com caráter desportivo. Tratou-se da versão ST. As primeiras motorizações, em 2002, debitavam 150 cv e tinham velocidade máxima de 210 km/h. No entanto, o mais potente ST a encerrar a série de veículos desportivos apresentou-se com ‘pujantes’ 200 cv e velocidade máxima de 230 km/h.

O sucesso comercial decalcou-se no sucesso desportivo. A carreira do Fiesta como automóvel de competição em ralis é longa, tendo vencido inúmeras provas.

Uma das mais importantes foi o Rali de Portugal de 2017, ano em que a marca também arrecadou o troféu maior de Campeã do Mundo de Rally.

No entanto, registe-se que o Ford Fiesta estreou-se nos ralis em 1979, no famoso Rally de Monte Carlo, com 2 modelos de competição, conduzidos pelos pilotos Roger Clark (co-piloto Jim Porter) e Ari Vatanen (co-piloto David Richards), que terminou a prova em 9.º lugar da geral.

Desde a estreia, em 1979, surgiram diversas edições desportivas do Fiesta incluindo Supersport, XR2, S(Sport), XR2i, Si, RS Turbo, RS1800, Zetec S, Zetec RS e ST.

Atualmente a marca está presente no Campeonato do Mundo de Rallyes (WRC) com a M-Sport Ford e o promissor Ford Puma híbrido.

Ford Fiesta antigo
O modelo Fiesta vendeu qualquer coisa como 22. milhões de unidades

As gerações Fiesta

  • 1.ª geração – 1976-1983;
  • 2.ª geração – 1983-1989;
  • 3.ª geração – 1989-1997;
  • 4.ª geração – 1995-1999;
  • 5.ª geração – 1999-2022;
  • 6.ª geração – 2002-2008;
  • 7.ª geração – 2008-2017 (incluiu um facelift em 2012);
  • 8.ª geração – 2017-2021;
  • 8.ª geração – 2022 (até ao momento, inclui introdução da versão Ford Fiesta Active).

Fim do Fiesta e do motor a combustão

A decisão da Ford em descontinuar o Fiesta tem origem na aposta que a marca pretende fazer na eletrificação dos seus produtos.

Com o fechar do ciclo Fiesta, na fábrica de Colónia, na Alemanha, abre-se o ciclo que resultará na construção de um novo modelo que usará a conhecida plataforma MEB do construtor alemão Volkswagen.

Neste contexto, a unidade será transformada no Centro de Eletrificação de Colónia, onde a Ford pretende construir, no próximo ano, um novo crossover de porte médio, movido a bateria.

A previsão de produção da fábrica de Colónia, segundo o construtor norte-americano, é de 1,2 milhões de veículos elétricos, até 2029.

A produção do eficiente motor de três cilindros a gasolina da Ford, o 1.0 EcoBoost, será deslocalizada para a unidade fabril de Craiova (Roménia).

Voltando ao anúncio do fim de produção do Ford Fiesta. A marca divulgou um vídeo (veja aqui ‘It’s Time to Say #Farewell Fiesta’) de homenagem ao seu popular modelo.

Pouco mais de dois minutos que sintetizam o sucesso do Fiesta e que significam o ‘adeus’ ao mesmo tempo que anunciam, de forma indelével, o que será o futuro… um Puma elétrico!

Veja também