ebook
           
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Patrocinado por Escola Virtual - Grupo Porto Editora
Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
21 Jul, 2022 - 16:49

Ford Mustang: uma máquina selvagem e quase indomável

Valdemar Jorge

O Ford Mustang está à venda em Portugal desde 2015. Faça uma viagem no tempo para descobrir a história do primeiro muscle car’

Ford Mustang

A Ford após 50 anos de produção de um dos seus mais icónicos automóveis, o Mustang, considerado o primeiro ‘muscle car’, que traduzia o  estilo ‘american way of life’, iniciou a comercialização do modelo na Europa em 2015.

O Ford Mustang surgiu em 1964, ano em que viram também a luz do dia modelos como, Chevrolet Chevelle, Ferrari 275, Ford Fairlane Thunderbolt, Ford XM Falcon, ou o mítico Porsche 911. O desportivo norte-americano produzido pela Ford Motor Company foi apresentado ao público em 17 de abril de 1964, durante o New York World’s Fair.

No entanto, o primeiro protótipo do modelo a receber um cavalo prateado na grelha do radiador (marca registada por Lee Iacocca, então vice-presidente da Ford Motor Company) foi construído em 1962 e, atualmente, faz parte do acervo de automóveis do The Henry Ford Museum.

Primeiro ‘muscle car’ da história

O Ford Mustang está em produção desde 1964 até ao presente. Considerado o primeiro ‘muscle car’ da história e apesar de ao longo dos anos ter sofrido grandes alterações estéticas, é a mais antiga linha de automóveis da Ford. O nome é inspirado na única raça de cavalo selvagem dos Estados Unidos da América.

Até hoje inspirou muitos outros modelos automóveis devido à sua garbosidade e estética inigualável.

Na vinda para o Velho Continente, em 2015, o Ford Mustang trouxe algumas novidades: suspensão independente às quatro rodas, motor turbo Ecoboost 2.3 de quatro cilindros de alta potência e 317 cv. Para os mais aventureiros, a versão GT, o topo de gama, recebia motor 5.0 V8 e mais de 400 cv.

Com caixa de seis velocidades, o Ford Mustang, à venda em Portugal, apresenta consumos convincentes com a sua performance. Com mais de 1700 kg de peso e 317 cv, o consumo ronda os 11,8 litros aos 100 km, o que não deixa de ser bem interessante para esta potente máquina.

Ford Mustang: os detalhes fazem a diferença

Modelo pleno de detalhes, desde o exterior que mistura zonas vincadas com ângulos bem fortes, até ao habitáculo moderno e acolhedor, o Mustang destaca-se dos demais modelos pelos detalhes.

Falamos de jantes de 19 polegadas, faróis automáticos HID, pack de travões de elevado desempenho, difusor traseiro, luzes traseiras LED, sistema de entretenimento e informação SYNC 2 e botões para o controlo da tração (colocados ao lado da ignição, na base da consola).

Em Portugal está disponível na versão GT ou Mach 1, carroçaria fastback, com preços anunciados a partir de 99.347,65 euros para a versão GT e a partir de 114.324,25 euros para o modelo mais radical, designado Mach 1, equipado com bloco V8 5.0 litros especialmente modificado que debita 460 cv e 529 Nm de binário.

No Ford Mustang Mach 1 o sprint 0-100 km/h faz-se em 4,4 segundos (transmissão automática) ou em 4,8 segundos, com transmissão manual. Em qualquer das versões a caixa de velocidades pode ser manual de 6 velocidades ou automática de 10 velocidades.

Está ainda disponível versão Convertible (cabriolet) a partir de 104.947,40 euros.

Ford Mustang Shleby

Linha do tempo: seis gerações plenas de sucesso

A história do Ford Mustang leva-nos até 1964 como já referimos. De destacar que, desde 2014 é o modelo desportivo mais vendido no mundo (sete anos consecutivos). As aparições em filmes, programas de televisão, videoclipes musicais e videojogos são muitas. A sua linha de tempo de 58 anos está repleta de aventuras:

1

1964-1973

O primeiro Ford Mustang caraterizava-se por apresentar proporções clássicas, do tipo ‘pony car’, com capot longo e traseira curta. Os flancos eram bem esculpidos. Apresentado primeiramente em versão descapotável (1964) só alguns meses mais tarde surgia a versão fastback.

No final do primeiro ano de comercialização já contava com 1 milhão de unidades vendidas, o que comprovava o enorme sucesso. As versões que se tornaram verdadeiros ícones foram o Shelby GT500 (1967) conhecido por Eleanor (utilizado no filme 60 Segundos, com Nicolas Cage) e um Mustang (1968) que desfilou o seu charme no filme Bullit, com Steve McQueen. A icónica cena de 10 minutos de perseguição automóvel pelas ruas de San Francisco imortalizou o Mustang.

2

1974-1978

A 2.ª geração do Ford Mustang foi, por assim dizer, um regresso às linhas do concep do modelo. Apresentado (1973) durante a primeira grande crise mundial do petróleo apresentava algumas mudanças em relação ao modelo da primeira geração. Mais pequeno e, com motores mais económicos.

Não agradou à maioria dos consumidores, principalmente, por adotar a plataforma mais esguia dos então Ford Pinto cuja distância entre eixos era inferior a 2,30 metros. Não colheu o sucesso esperado.

Ford Transit de 1975
Veja também Ford Transit: história do furgão que dura, dura, dura…
3

1979-1993

Face ao menor êxito da 2.ª geração, a Ford tomou providências e, em 1979, arrisca apresentar a 3.ª geração do Mustang. Um automóvel com nova plataforma, distância entre eixos a aflorar os 2,50 metros; habitáculo mais espaçoso e ao gosto dos americanos, que vêm neste modelo o regresso do ‘pony car’ da primeira geração. Não sendo o modelo mais bonito da linhagem Mustang a 3.ª geração tem, no entanto, o mais longo tempo de vida, 14 anos.

4

1994-2004

A 4.ª geração do Ford Mustang carateriza-se por ser totalmente nova, construída sobre uma nova base rolante mas, em que os engenheiros de desig olharam para o sucesso do passado (1964) para projetarem o futuro. As principais caraterísticas do design do pioneiro Mustang estão presentes no novo automóvel. A 4.ª geração reconquista o público e o espaço que a marca tinha perdido na década de 70.

Maior, com distância entre-eixos mais dilatada o novo Mustang reclama o título de carro médio-grande e recebe eficiente motor V6. Mas os fãs da marca têm apetência pelo mais potente V8. Mesmo assim, esta geração consolidou-se durante 10 anos de bons préstimos à marca da oval azul.

5

2005-2014

O ‘pony car’ reconquista o público e os fãs. O Mustang da 5.ª geração reforça o ar de modelo icónico. Maior do que o seu antecessor tinha ainda alguns equipamentos técnicos que desagradavam aos puristas da velocidade. Nomeadamente, o eixo rígido traseiro ancorado em três pontos da carroçaria.

Era pesado e não abonava o esperado desempenho desportivo, principalmente nos pisos mais degradados. Por outro lado, a oferta de motores, reforço e atualização de equipamentos (mais sofisticados) agradavam a quem procurava um fastback com pedigree e boa relação qualidade/preço.

6

2015 até ao presente

A recente geração do ‘muscle car’ da Ford é a mais sofisticada, moderna e capaz de sempre. Plataforma de maior dimensão recebeu algumas atualizações de estilo, que remetem para as icónicas linhas do automóvel da 1.ª geração. No entanto, o modelo atual carateriza-se pela sofisticação, aerodinâmica apurada, logo capaz de performances inebriantes e arrojadas, habitáculo refinado, com completo sistema de multimédia e painel de instrumentos configurável.

De mãos dadas com a sofisticação está a caixa automática de 10 velocidades, o potente e sonoro motor V8; suspensão traseira independente (comportamento dinâmico mais são) e travões muito competentes.

Curiosidades em volta do Ford Mustang

  • O nome Mustang é uma homenagem ao lendário avião de combate P51 Mustang utilizado na Segunda Guerra Mundial.
  • O primeiro Ford Mustang foi comprado por uma mulher: Gail Wise, à época com 22 anos. Comprou o Mustang no dia 15 de abril de 1964, dois dias antes da estreia oficial do novo automóvel da Ford.
  • Ainda em 1964 o Ford Mustang teve uma aparição surpresa no filme de James Bond, Goldfinger.
  • O Shelby GT350 (1965) marcou o início de uma longa parceria entre a Ford e o ex-piloto Carrol Shelby, que transformou diversos Mustang para participarem em corridas. O Shelby GT 350 é o primeiro desta linhagem de automóveis desportivos.
  • Um ano após o início da comercialização a empresa de aluguer de automóveis Hertz surge com uma frota de  modelos designados Shelby GT350H. O ‘H’ foi introduzido pela Ford por ser a letra inicial do nome da empresa.
  • O primeiro restyling do Ford Mustang tem lugar em 1967. O automóvel cresce 6 centímetros para poder receber novos motores.
  • Em Detroit, a cidade automóvel, a tendência era a utilização de ‘muscle car’. Para satisfazer este conceito nasce o Mustang Shelby GT500. Com produção muito limitada este modelo acaba por tornar-se um mito.
  • Em plena crise do petróleo surge a 2.ª geração do Ford Mustang. Em 1973 competia ferozmente com modelos coupé importados para os Estados Unidos da América, como o Toyota Celica (Japão) ou o Ford Capri (que chegava da Europa). No primeiro ano de comercialização, a 2.ª geração do Mustang vendeu cerca de 385.993 unidades.
  • Em 1977 de forma a atrair os fãs de automóveis descapotáveis o modelo fastback surge com painéis removíveis do géneto T-Top.
  • Em 1984 a divisão Special Vehicle Operations da Ford apresenta o Mustang SVO equipado com motor de 4 cilindros de 2,3 litros com turbocompressor e intercooler e um spoiler traseiro de duas lâminas sobrepostas.
  • Em 1989 com o objetivo de assinalar o 25.º aniversário do Mustang, todos os modelos produzidos entre 17 de abril de 1989 e 17 de abril de 1990 receberam o icónico cavalo de corrida no painel com a inscrição “25 anos”.
  • A partir do ano 1990 o Mustang passa a receber de série o airbag de condutor.
  • A primeira transmissão manual de seis velocidades surge no Mustang SVT Cobra R (2000) que estava equipado com motor 5.4 L DOHC V8, suspensão Eibach, travões com assinatura Brembo e escapes laterais. O Mustand de 2005 recupera a linha clássica dos modelos dos anos 1960, nomeadamente as linhas desportivas: faróis na frente voltam a ser redondos e os farolins na traseira recebem três seções e vincos nas laterais.
Ford Mustang Amarelo

Mach-E: o Ford Mustang do presente e… do futuro

O Ford Mustang ao longo dos seus 58 anos de carreira inspirou filmes, jogos e clips de música, conquistou inúmeras provas desportivas e foi comercializado com uma panóplia de motorizações de fazer inveja. Não podemos deixar de sublinhar a importância da linhagem de motores V8 que, muito para além da sonoridade, são exímios a proporcionar prazer de condução.

É com este espírito que a Ford abraçou, em 2019, a mudança de paradigma introduzindo, na oferta de automóveis, um modelo elétrico: o Ford Mustang Mach-E.

Trata-se de um SUV – o modelo da moda – que abraça o design crossover com motorização elétrica, disponível com tração traseira ou 4×4.

Repleto de avançadas tecnologias no que respeita à condução, o Ford Mustang Mach-E está disponível em três versões: Base com autonomia até 440 km; AWD com autonomia até 400 km e GT com autonomia até 500 km, entre recargas de bateria.

A versão Base está disponível a partir de 65,986.50 euros; a AWD, desde 71.054,10 euros e a mais desportiva GT a partir de 87.745,20 euros. De destacar que o Ford Mustang Mach-E recebeu a classificação Euro NCAP duplo de 5 estrelas e um Green NCAP.

Segundo a Ford as distinções Euro NCAP “juntam-se a uma lista de mais de 20 menções do Mustang Mach-E de todo o mundo, desde um iF DESIGN AWARD pela integração dos altifalantes premium B&O Sound System, 3 até à conquista de um Connected Car Manufacturer da Ford”. Prémio recebido no Automobile Awards da MOTUL pela tecnologia SYNC de última geração.

A próxima geração do Ford Mustang está anunciada para 2023.

Veja também