Teresa Campos
Teresa Campos
27 Mar, 2019 - 17:00
Furar as orelhas do bebé: sim ou não?

Furar as orelhas do bebé: sim ou não?

Teresa Campos

Furar as orelhas do bebé não é um tópico consensual. Fique a saber o que pensam adeptos e adversários deste costume que é tudo menos pacífico.

O artigo continua após o anúncio

Quer pretenda ou não furar as orelhas do bebé, deve estar a par dos argumentos contra e a favor desta opção, de modo a ficar mais informado e a poder fazer uma escolha mais consciente.

É certo que países como o Brasil ou o Reino Unido têm assistido a algumas polémicas em volta do tema, mas será que proibir os pais de furar as orelhas dos filhos faz sentido, como se tem vindo a equacionar? Fique a saber mais sobre este tópico e tire as suas próprias conclusões.

Furar as orelhas do bebé: prós e contras

furar as orelhas do bebé

Como em muitas matérias, nomeadamente as que envolvem bebés e crianças, há sempre argumentos contra e a favor. Se, por um lado, alguns pais consideram que um bebé não fica ansioso por ir furar as orelhas pois não sabe ao que vai, outros progenitores consideram o ato um sofrimento infligido à criança de forma gratuita e apenas para satisfação dos pais.

Além disso, se há pais que relatam experiências sem quaisquer consequências negativas, outros progenitores falam de infeções, alergias e inflamações. Isto para não falar do perigo de a criança engolir os brincos ou os furos não ficarem simétricos, à medida que a criança e as suas orelhas crescem.

Academia Americana de Pediatria

A Academia Americana de Pediatria (AAP) recomenda a que os pais não furem as orelhas do bebé antes dos 2 meses de idade, para que a criança já tenha tomado a vacina contra o tétano, já que esta previne infeções causadas por material mal esterilizado.

Alguns pediatras aconselham a esperar até que a criança tenha 18 meses de idade, sendo a sugestão geral da própria Academia Americana de Pediatra que os furos só sejam feitos quando a criança já seja capaz de higienizá-los e tratá-los sozinha, bem como quando já não haja risco de ingestão dos brincos.

Vai furar as orelhas do bebé? Saiba os cuidados a ter

as orelhas do bebé

Onde furar? Aspetos a ter em atenção no local que escolher

  • O profissional deve ter experiência a furar orelhas a bebés;
  • Todos os equipamento e utensílios utilizados devem estar esterilizados;
  • Devem ser tomadas todos os procedimentos de higiene, tais como desinfeção das mãos e uso de luvas.

Passo a passo

  1. Primeiramente, os lóbulos das orelhas deve ser desinfetados.
  2. De seguida, é colocada uma pomada/gel anestesiante (que pode ser sugerida pelo pediatra);
  3. Com uma caneta, é marcado o ponto do furo e medido com uma régua para que ambos os furos fiquem simétricos;
  4. A caixa selada dos brincos é aberta e os mesmo são colocados na pistola;
  5. A pistola é disparada no ponto feito a caneta na orelha.

Quais os brincos a escolher?

Os brincos devem ser selecionados de acordo com a idade da criança.

O artigo continua após o anúncio
  • Não devem ser grandes, pontiagudos ou prender na roupa, ou com formato de argola, pois se forem puxados podem rasgar a orelha da criança. Não devem ser usados brincos de níquel ou cobalto, metais altamente alergénicos;
  • Devem, antes, ser pequenos, simples e de um material que reduza o risco de infeções ou reação alérgica como ouro, platina, aço cirúrgico ou titânio. Todas as partes dos brincos (incluindo a mola) devem ser de um material hipoalergénico. Os brincos devem ter uma mola de segurança para prevenir a saída indesejada do acessório, o que pode pôr em risco o bem estar do bebé.

Como cuidar dos furos

Nos primeiros dias após furar as orelhas, é natural que a região fique ruborizada e inflamada, enquanto não cicatriza. Há, no entanto, cuidados a ter para reduzir o risco de infeções e ajudar no processo de cicatrização, tais como:

  • Lavar muito bem as mãos, antes de mexer nos furos;
  • Limpar a área, pelo menos duas vezes por dia, e desinfetá-la com álcool ou com um antisético, à frente e a trás;
  • Durante o primeiro mês pós-furo, deve segurar a frente do brinco e rodá-lo delicadamente;
  • Durante três meses, não mexa no fecho, de forma a deixar a ferida secar e cicatrizar bem. Depois deste período, deve usar brincos de ouro.
  • Ao tratar do bebé (vesti-lo, secá-lo depois do banho, brincar com ele,…), assegure-se de que nada fica preso nos brincos;

Nota: Caso os furos das orelhas apresentem sintomas como ruborização, dor, comichão ou pus, não mexa e procure ajuda médica imediata.

Complicações mais frequentes

Algumas das complicações mais comuns associadas aos furos das orelhas são:

  • dermatite alérgica de contacto;
  • inflamação;
  • sangramento;
  • infeção;
  • formação de quistos;
  • lóbulos das orelhas rasgados ou hepatite (quando o equipamento utilizado não é adequado ou esterilizado).

Veja também:

Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp