Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
23 Abr, 2019 - 12:18
10 excelentes razões para visitar Grândola

10 excelentes razões para visitar Grândola

Mónica Carvalho

O feriado de 25 de abril está a chegar e com ele a oportunidade perfeita para descobrir paisagens da revolução. Descubra 10 razões para visitar Grândola.

O artigo continua após o anúncio

Visitar Grândola é muito mais do que usufruir do encanto de um dos destinos turísticos alentejanos mais apetecidos. É poder aproveitar praias de grande qualidade, conhecer locais que nos revelam um pouco mais sobre a nossa história e do que hoje somos e conquistamos.

Com uma área de mais de 825 quilómetros quadrados, e que faz fronteira com os concelhos de Alcácer do Sal, Ferreira do Alentejo, Santiago do Cacém e Setúbal, Grândola é uma vila caracterizada por três grandes zonas que revelam uma mistura de espíritos e sensações, nomeadamente a serra, a planície extensa e a zona litoral. Logo, um local que tem tudo para todos.

Todavia, e com a chegada do feriado de 25 de abril, onde se irão assinalar 45 anos da Revolução dos Cravos, Grândola é igualmente conhecida como tendo inspirado uma das músicas que deu a senha para que a revolução tivesse início.

O relógio marcava 00h20 da madrugada do dia 25 de Abril de 1974, quando se ouve no programa de rádio independente “Limite” transmitido através da Rádio Renascença: “Grândola, vila morena/Terra da fraternidade/O povo é que mais ordena/Dentro de ti, ó cidade.” E tudo muda. Esta foi a senha definitiva para o arranque por todo o país das operações e o avanço das forças organizadas pelo MFA. Cerca de hora e meia antes, os primeiros sinais da revolução já se faziam sentir, através da Emissores Associados de Lisboa, audível apenas na capital, com a música “E depois dos adeus” de Paulo de Carvalho.

Zeca Afonso foi o autor da canção e, com isso, ficou, para sempre ligado à história do movimento revolucionário em Portugal. O artista compôs a canção em jeito de homenagem à Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense da vila portuguesa de Grândola, por ter ficado tão impressionado com a consciência, maturidade política e forma de aproveitamentos dos escassos recursos dos membros dessa sociedade.

Visitar Grândola: 10 locais imperdíveis

1. Praia da Comporta

praia da comporta

É principalmente nos dias quentes de verão que esta zona mais convida à visita. Pelo seu extenso areal branco e fino e água esverdeada, resultando num cenário de sonho que parece uma qualquer ilha paradisíaca, mas não. É um local bem português, onde pode desfrutar de belos restaurantes e hotéis que dão a sensação de casa, pelo conforto e qualidade; dar um passeio a cavalo; e observar o pôr do sol, que é único por estas paragens e merece ser celebrado a cada dia. Na praia é ainda possível praticar surf, bodyboard, kitesurf e pesca desportiva.

2. Serra de Grândola

A serra tem uma altura máxima de 326 metros e prolonga-se ainda pelo concelho de Santiago de Cacém.

É um marco importante na região, por ser uma serra muito diferente de outras serras portuguesas, visto ser paralela à costa e não oblíqua, o que dificulta a penetração do ar marítimo, embora contribua para a condensação das nuvens.

O artigo continua após o anúncio

A serra é constituída por xistos de diferentes consistências, consoante a localização, e possui um curso de água principal marcado pelas margens arborizadas, conferindo-lhe um aspeto delicado.

3. Lagoa de Melides

lagoa de melides

 Fonte: Wikimedia Commons / Vitor Oliveira

A lagoa ocupa um espaço equivalente a cerca de 26 hectares e possui pequenas ilhas cobertas de vegetação hidrófila, o que é algo importante não só pela beleza, mas também pela função ecológica que isso proporciona.

No passado, a lagoa serviu de porto pesqueiro até ao séc. XVIII, mas atualmente tal já não acontece, servindo apenas de habitat a várias espécies animais, designadamente a enguias, pardelhas, tainhas, garças-pequenas, garças-brancas, garças-vermelhas, milhafres-pretos e tarambolas-douradas.

4. Praia da Aberta Nova

É uma das melhores praias do litoral alentejano e uma zona de Bandeira Azul e Qualidade de Ouro.

Para lá chegar, deverá percorrer a EN 261-2 através de um caminho parcialmente em terra batida, ladeado por pinhais e vegetação. Encontra dois parques de estacionamento onde pode deixar o carro e é nessa parte da praia onde também existe um miradouro e um parque de merendas com vista para a paisagem única desde Sines até à Serra da Arrábida.

5. Museu do Arroz

O cultivo do arroz é uma atividade muito típica da região alentejana e Grândola não é exceção. Como tal, a criação deste museu tem como objetivo dar a conhecer um pouco mais sobre a tradição, ao mesmo tempo que permite um recuo no tempo para compreender a forma como o cultivo deste cereal influenciou a história da Herdade da Comporta, onde se localiza.

Para tal, o museu foi criado numa antiga fábrica de descasque de arroz, datada de 1952, e onde existiam ainda várias oficinas, com instrumentos que estão relacionados com o cultivo do arroz.

O artigo continua após o anúncio

6. Monumento à Liberdade

No Largo de São Sebastião, e desde 25 de abril de 1999, foi criado um monumento evocativo do 25 de Abril e da Liberdade.

A obra foi o último trabalho de um dos mais destacados escultores portugueses contemporâneos, Jorge Vieira, e revela-se como “uma escultura muito antropomórfica, com uma anatomia que, saindo dos cânones, se revela perfeita, exacta. É uma forma a nascer da terra com uma legibilidade evidente na sua forma luminosa, que se desconstrói em leituras diferenciadas de três ângulos de visão principais…”

7. Barragem do Pego da Moura

Esta barragem de estilo romano foi declarada Imóvel de interesse público pelo Decreto 67/97 DR 301 de 31 de dezembro de 1997.

Está situada no lugar das Represas, nas imediações da Estrada Nacional 120 que liga Grândola a Santiago do Cacém e possui uma estrutura retilínea, com cerca de 40 metros de comprimento, 3 metros de altura, espessura de 2,90 metros e seis contrafortes.

8. Praia do Carvalhal

praia do carvalhal

Fonte: Wikimedia Commons / Vitor Oliveira

Desde 2002 que esta praia é distinguida com o galardão de Bandeira Azul e foi ainda finalista das 7 Maravilhas – Praias de Portugal na categoria Praias de Dunas. Logo é um local com mais que provas dadas da sua beleza e qualidade.

A presença contígua de antigas lagoas, que foram transformadas em campos agrícolas e arrozais, é um dos aspetos que confere a esta praia uma diversidade de paisagens únicas e biodiversidade invulgar.

9. Museu de Arte Sacra de Grândola

O museu encontra-se instalado na igreja de São Sebastião e na sua coleção permanente contam-se fundos de pintura, escultura e artes decorativas.

O artigo continua após o anúncio

A gestão do espaço está a cargo do Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja, da Câmara Municipal e da Paróquia de Grândola, e é um importante local para conhecer mais sobre a arte religiosa da região.

10. Memorial ao 25 de Abril

A revolução dos cravos está intrinsecamente ligada à vila de Grândola e a criação deste memorial é mais um bom exemplo disso mesmo.
Localiza-se na Avenida D. Nuno Álvares Pereira e está integrado numa plataforma ao qual se acede através de uma escadaria de degraus baixos e largos.

Possui os nomes de muitos dos “Capitães de Abril” que participaram na Revolução, assim como a pauta musical e a letra da canção “Grândola, Vila Morena”, bem como a “Declaração Universal dos Direitos do Homem”.

45 anos do 25 de Abril: celebrações em Grândola

Este ano assinalam-se 45 anos de Revolução e Grândola irá festejar em grande com boa música portuguesa das bandas UHF e Stereossauro.
Dois nomes do panorama musical português de gerações tão distintas mas unidas no que é importante: a celebração de um dos marcos mais importantes da história de Portugal.

Os concertos irão decorrer a partir das 20h no centro histórico de Grândola e serão antecedidos da tradicional Corrida da Liberdade.

Veja também: