Teresa Campos
Teresa Campos
20 Set, 2021 - 15:19

Lamego: aventure-se nos 686 degraus da Senhora dos Remédios

Teresa Campos

Lamego é a cidade ideal para passar uns dias de lazer, enquanto explora o património cultural e alimenta a gula com os melhores petiscos locais.

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios

Lamego fica na margem sul do rio Douro, no distrito de Viseu. Foi no século XVIII que conheceu maior expansão ecocónima, fruto da produção do “vinho fino” que, mais tarde, originaria o até hoje popular vinho do Porto.

Hoje como antes, Lamego continua a ser um destino cheio de encantos e pontos de interesse, seja patrimoniais, como é o caso do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, seja gastronómicos, de que são exemplo as famosas bôlas locais. Siga o nosso guia para explorar ao máximo Lamego.

Lamego: atrações imperdíveis para ver e conhecer

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios

Este santuário ergue-se no monte de Santo Estêvão e é um local de peregrinação e, também, um miradouro fenomenal. Muito famosa é a escadaria (686 degraus) que dá acesso ao Santuário.

Este edifício foi construído entre 1750 e 1905 em resposta à devoção crescente à Virgem, a quem eram feitas, regularmente, promessas pelos crentes doentes ou que precisavam de intervenção divina para a resolução de algum problema de saúde.

Junto ao Santuário fica, também, o belíssimo Parque de Santo Estêvão, ideal para descansar depois de subir a escadaria de acesso ao monte e, também, para passear e relaxar. O caminho até ao Santuário é absolutamente incrível, já que é acompanhado por obras de arte, como esculturas, fontes, obeliscos, azulejos e até uma capela.

O edifício do Santuário é feito em granito e tem marcas barrocas e rococó. Ao entrar, é possível admirar o altar-mor que exibe uma escultura em madeira da Nossa Senhora dos Remédios e três vitrais com representações de Nossa Senhora da Conceição, do Sagrado Coração de Jesus e da Anunciação.

Sé Catedral

Sé Catedral de Lamego

Este edifício terá sido construído entre 1175 e 1191. Originalmente de estilo românico, as intervenções posteriores mudaram a sua configuração primitiva.

Logo à entrada, é possível admirar o adro setecentista lajeado e a imponente torre. Merece ainda destaque o antigo Paço dos Bispos, datado do século XVIII e de inspiração barroca, onde atualmente funciona o Museu de Lamego que expõe obras de arte da Sé e de outros edifícios religiosos da zona.

Dentro da catedral, são visíveis três naves, as quais são separadas por três tramos e cobertas por abóbadas de aresta, que repousam sobre arcos de volta perfeita e grandes pilares. Impressionam os tetos, pintados em setecentos, nada mais, nada menos, do que pelo pintor-arquiteto italiano Nicolau Nasoni. Os altares laterais também são uma boa representação do gosto barroco.

Na capela-mor, há um retábulo feito de mármore e de talha dourada e um cadeiral, já de tendência neoclássica. Por todo o lado, há talha dourada: das portas às janelas, sem esquecer os arcos e os órgãos.

Castelo de Lamego

O Castelo de Lamego é Monumento Nacional e fica no ponto mais alto da cidade, dentro de muralhas. A sua construção remontará ao século X, ao período dos confrontos entre cristãos e muçulmanos.

Atualmente, o exterior do castelo remete para a época dos estilos românico e gótico. É possível visitar este monumento, podendo percorrer o recinto muralhado da Praça de Armas e admirar a paisagem sobre o Centro Histórico da Cidade.

Nos três pisos da Torre de Menagem, ficam os pólos do Centro Interpretativo de Lamego, que exibe informações sobre a história e urbanismo da cidade.

Castelo de Lamego

Cisterna de Lamego

No Bairro do Castelo, fica esta cisterna medieval. Um exemplar muito valioso de um grande reservatório de estrutura abobadada, detentor de silhares graníticos. No topo, existem as aberturas que permitiam o abastecimento da população com água.

Atualmente, é possível visitar este espaço, que alberga uma exposição sobre a água e a história e passado da cisterna.

Porta do Bairro do Castelo

A Porta dos Figos, Fogos, da Villa ou Aguião serve de entrada para o Bairro do Castelo. A estrutura exibe um arco que repousa sobre dois baluartes. No interior, é possível ver um oratório setecentista, entretanto restaurado. Se for para sul, encontrará outra porta, a Porta do Sol.

São Salvador do Mundo
Veja também São Salvador do Mundo: uma varanda sobre o grandioso Douro

O que comer?

Lamego é terra de bons salgados, mas também de bons doces. Se for até lá, não pode perder petiscos como o presunto, as bôlas e os enchidos. Para refeição, delicie-se com o coelho bravo, o cabrito assado com arroz no forno e os milhos com entrecosto.

Para adoçar a boca, renda-se ao biscoito da Teixeira, aos “Lamegos”, à tarte de Lamego e aos doces conventuais, como as gradinhas, as celestes e os peixinhos de chila. Termine a refeição em beleza, brindando ao melhor vinho da região, o vinho do Porto!

Veja também