Teresa Campos
Teresa Campos
27 Jan, 2021 - 10:37

Hemorroidas: causas, sintomas e tratamento

Teresa Campos

As hemorroidas tornam o ato de ir à casa de banho numa experiência dolorosa. Conheça mais em pormenor a doença hemorroidária.

pessoa com hemorroidas

Para quem tem hemorroidas, defecar pode causar grande desconforto e dor. Estas veias dilatadas e salientes podem ser internas ou externas e provocar muito incómodo.

As hemorroidas internas desenvolvem-se no interior do ânus e costumam causar sangramento durante a evacuação, geralmente sem dor. O que acontece é que elas tendem a exteriorizar (prolapso), quando vamos à casa de banho e, aí sim, começam a doer.

Já as externas desenvolvem-se perto do ânus e estão cobertas por pele muito sensível. Regra geral, também não causam dor. Porém, se ocorrer a formação de um coágulo, a hemorroida externa rapidamente se torna saliente e dolorosa.

Hemorroidas: tudo o que precisa de saber

Perante sintomas como perdas de sangue vermelho-vivo, prolapso e/ou comichão na região anal durante ou após as dejeções, o primeiro passo é consultar um médico especialista, neste caso, um coloproctologista.

A anamnese – um questionário feito ao paciente que permite obter informação sobre o princípio e a evolução de uma doença – e um exame físico fazem parte do diagnóstico deste problema.

De acordo com um artigo publicado na Revista Portuguesa de Coloproctologia, “a anamnese deve incluir obrigatoriamente a avaliação dos hábitos intestinais e a quantidade de ingestão de alimentos com fibra na dieta, bem como o tipo de profissão ou outras atividades.”

Quanto ao exame físico, os especialistas recomendam, no documento, a realização de uma inspeção anal, o toque retal, a anuscopia e a retoscopia. Estes últimos exames permitem ver o interior do ânus e reto, respetivamente.

fístula perianal

Causas

Esta é uma questão para a qual ainda não existe uma resposta exata. No entanto, são várias as causas que têm sido apontadas. Parecem estar associados a este problema fatores como:

  • A idade (geralmente aparecem entre os 45 e os 65 anos);
  • A obstipação;
  • O esforço para defecar;
  • A gravidez;
  • O tempo prolongado na sanita;
  • A diarreia;
  • A posição sentada por longos períodos.

Tratamento para as hemorroidas

No caso de sintomas ligeiros, aconselha-se:

  • Beber água e comer fibras pode reduzir o sangramento e a dor provocada pelas hemorroidas. Para isso, deve privilegiar o consumo de frutas e legumes; arroz integral; grãos integrais; e nozes.
  • Evitar passar muito tempo sentado e caminhar mais pode ajudar a aliviar o incómodo causado pelas hemorroidas, ao diminuir a pressão retal.
  • Aplicar gelo nas hemorroidas pode contribuir para o seu desinchaço e consequente alívio da dor. Basta sentar-se sobre um saco de gelo envolto num pano durante 20 minutos.
  • Fazer banhos de assento em água morna também alivia o inchaço das veias, pois aumenta o fluxo sanguíneo.
  • Manter uma higiene cuidada. Lavar-se e secar-se cuidadosa e delicadamente é ainda mais importante, quando se tem hemorroidas. Devem também evitar-se produtos com álcool ou perfumados.
  • Deitar-se num sofá com as pernas viradas para cima ajuda a melhorar a circulação sanguínea e a retirar pressão da zona inflamada.
  • Usar papel higiénico simples, sem perfumes ou outros químicos que possam irritar a pele mais sensível da região anal, também é aconselhável.
  • Aplicar vaselina na zona dorida é outra forma de atenuar o desconforto sentido.
  • Não adiar as idas à casa de banho, já que isso pode causar uma maior pressão abdominal.

No caso de hemorroidas externas, recomenda-se a realização destas mesmas medidas, acompanhadas de medicação oral e da aplicação de tópicos locais, de modo a fazer desaparecer a dor e o inchaço em poucos dias.

Já quando são internas e são alvo de maior preocupação, há outro tipo de tratamentos como:

  • Escleroterapia: uma injeção de soluções que vão ser benéficas para reduzir as hemorroidas e travar as hemorragias;
  • Laqueação hemorroidária: trata-se de uma redução parcial do tecido hemorroidário;
  • Cirurgia: remoção destes vasos sanguíneos.

Este último tratamento só deve acontecer, segundo os especialistas, nos casos mais graves, ou seja, em doentes que tenham grandes componentes hemorroidários ou em pacientes com hemorroidas externas e internas com prolapso significativo.

Em Portugal, estima-se que cerca de 20% da população com mais de 50 anos tenha hemorroidas, sendo que o número de cirurgias ultrapassa as 40 mil por ano.

Guia para ter um intestino saudável
Veja também Guia para ter um intestino saudável

As hemorroidas e a gravidez/pós-parto

Não é difícil compreender por que é que as hemorroidas na gravidez são tão comuns. À medida que o bebé aumenta, dá-se um aumento do volume sanguíneo, uma maior dilatação das veias e uma maior probabilidade de obstipação.

Estes fatores, associados ao útero aumentado, ao cansaço do pavimento pélvico e ao ambiente hormonal, favorecem a ocorrência de doença hemorroidária.

No entanto, a doença hemorroidária não é só comum na gravidez, em especial no 3º trimestre, mas também é bastante frequente no pós parto. O esforço e o traumatismo associados ao trabalho de parto justificam esta situação.

fistula

Principais sintomas

Embora muitas grávidas e recém-mamãs tenham hemorroidas, nem todas têm sintomas. Quando os sintomas estão presentes, alguns dos mais comuns são:

  • sangramento: hemorragia vermelha viva que ocorre frequentemente durante ou após a evacuação;
  • dor: ocorre principalmente quando há inflamação e obstrução da hemorroida;
  • ardência anal: principalmente após a ingestão de comidas condimentadas;
  • prolapso: quando as hemorroidas são exteriores e ficam fora do ânus;
  • excreção de muco: quando há eliminação de muco pelo ânus;
  • prurido anal: sensação de comichão na região anal.

Como tratar as hemorroidas na gravidez e no pós-parto?

Muitas vezes, após o parto, as hemorroidas desaparecem maioritariamente por si mesmas. Quando isto não acontece, as medidas dietéticas, para controlo da obstipação, são parte importante no tratamento.

O tratamento das hemorroidas varia consoante o grau de gravidade da doença e, portanto, nos casos mais graves, o tratamento cirúrgico pode ser uma opção.

Há pequenas mudanças no estilo de vida que podem ajudar a evitar o agravamento das hemorroidas na gravidez, nomeadamente:

  • comer alimentos ricos em fibras e beber muitos líquidos;
  • evitar a ingestão de alimentos condimentados;
  • evitar fazer muita força ao defecar;
  • praticar natação e andar de bicicleta poderão atuar preventivamente;
  • preferir roupas íntimas de algodão, que habitualmente garantem um maior conforto.

Nota: Se, mesmo aplicando estas medidas, tem dores intensas, deve procurar o seu médico. Caso esteja grávida, lembre-se de que em circunstância alguma deve iniciar qualquer medicação sem consultar o seu obstetra.

Veja também