Elsa Santos
Elsa Santos
08 Fev, 2024 - 14:37

A Inteligência Artificial no recrutamento e seleção

Elsa Santos

Como a Inteligência Artificial no recrutamento e seleção promete revolucionar procedimentos? Quais as vantagens?

Está na ordem do dia e tem vindo a revolucionar diferentes áreas de atividade. A Inteligência Artificial no recrutamento e seleção promete revolucionar procedimentos, por vezes, complexos e morosos. Mas quais as reais vantagens ou riscos desta ferramenta?

Como érea de trabalho ou parte integrante de qualquer empresa ou entidade empregadora, o recrutamento e seleção não escapa a esta verdadeira revolução protagonizada pela Inteligência Artificial (IA).

Com a crescente complexidade do mercado de trabalho e a busca por profissionais cada vez mais qualificados, o recurso a soluções inovadoras capazes de otimizar processos é, de forma geral, vista com bons olhos. A eficiência suposta da Inteligência Artificial no recrutamento e seleção pode garantir os candidatos mais adequados às suas necessidades. No entanto, é inevitável questionar as desvantagens ou limites do uso desta ferramenta.

Explicamos-lhe tudo.

4 razões para usar Inteligência Artificial no Recrutamento e Seleção nas empresas

Triagem de Currículos

Quem trabalha com recrutamento e seleção sabe o tais processos podem ser verdadeiros desafios, por vezes muito difíceis e morosos, nomeadamente pela quantidade de currículos que encaixam, à partida, no essencial de cada vaga.

Uma das principais vantagens do uso da IA é a capacidade de processar grandes volumes de dados de forma rápida e precisa. Os algoritmos podem analisar currículos, identificar palavras-chave mais relevantes, experiências profissionais e habilidades específicas, permitindo uma triagem mais eficiente. Desta forma, reduz-se consideravelmente o tempo, pelo menos numa primeira fase.

Identificação de Candidatos Promissores

A IA tem a capacidade de analisar dados e identificar padrões que podem ajudar a identificar os “melhores” a uma vaga específica. Os algoritmos podem aprender com os perfis de sucesso já existentes na empresa e criar modelos preditivos para selecionar candidatos que se encaixem nesse perfil. Isso permite encontrar talentos com características semelhantes, adequados à cultura organizacional da empresa.

Entrevistas e Avaliações mais Eficazes

Os chatbots de IA podem realizar as entrevistas iniciais, através de perguntas estruturadas e avaliando as respostas com base em critérios pré-definidos. Pode, ainda, avaliar comportamentos e competências técnicas.

Melhoria na Experiência dos Candidatos

A IA contribui para a melhoria da experiência dos candidatos no processo de recrutamento e seleção através de uma interação personalizada e dedicada. Podem, por exemplo, fornecer respostas imediatas a perguntas frequentes, enviar lembretes sobre o status da candidatura e feedbacks instantâneos em cada etapa, mantendo mais facilmente a ligação aos candidatos durante o processo.

O que pensam os candidatos do uso da IA?

É certo que, de acordo com muitos especialistas na matérias a Inteligência Artificial pode melhorar os processos de seleção e recrutamento, tornando-os mais rápidos e eficazes. Porém, no que toca aos candidatos, nem todos vêem com agrado a implementação deste tipo de ferramentas.

De acordo com um estudo realizado pela empresa de recursos humanos ManpowerGroup, “mais de sete em cada dez organizações já aplicam ou planeiam aplicar nos próximos três anos a inteligência artificial ao recrutamento”. O objetivo é, claro está, simplificar, acelerar e otimizar esses processos.

Porém, no mesmo estudo, apenas 38% dos profissionais afirmou sentir-se confortável com a possibilidade de ter a sua candidatura analisada por IA. Um terço dos candidatos inquiridos “discordou fortemente da opção de não terem qualquer interação humana até à entrevista final”.

Com esta diferença de pontos de vista, em que ficamos?

Onde reside o equilíbrio entre humano e IA?

De acordo com a DareData Engineering – empresa portuguesa de inteligência artificial com maior crescimento, segundo o ranking da Clutch – considera importante considerar os diferentes setores, e mesmo funções e candidatos.

Áreas baseadas no “contacto humano” como é o setor da saúde é muito distinta das tecnologias que estão, obviamente, mais recetivas à implementação de ferramentas de IA.

Ainda assim, os candidatos não são todos iguais e alguns sentem falta ou desconfiam mesmo de um processo se seleção e recrutamento totalmente ausente de presença humana.

Assim, e pelo menos nesta fase, os especialistas recomendam ponderação e moderação. Se por um lado, há que aproveitar as potencialidades da inteligência artificial, as pessoas continuam a desempenhar um papel importante em todos os processos de recrutamento de novos talentos.

Limitação: o enviesamento do algoritmo

A grande preocupação relativa ao uso da inteligência artificial no recrutamento e seleção reside na possibilidade de enviesamento do algoritmo. Ou seja, na possibilidade de poder perpetuar preconceitos existentes no processo de seleção. Refere Pedro Amorim, da ManpowerGroup “sabemos de casos nos quais ferramentas de inteligência artificial resultaram em discriminação contra mulheres ou grupos étnicos e raciais minoritários“, como já aconteceu com a gigante Amazon.

É, por isso, fundamental a monitorização constante e o ajuste dos algoritmos, os quais podem basear-se em dados desadequados ou desajustados da realidade.

A legislação em debate na União Europeia é determinante neste campo.

Em conclusão

Ao incorporar a inteligência artificial no recrutamento e seleção é importante garantir a transparência nos processos e a igualdade, bem como reservar à sensibilidade humana as decisões finais.

Veja também

Artigos Relacionados