Márcio Matos
Márcio Matos
11 Set, 2019 - 14:28
Pôr do sol no Kruger Park

Kruger Park: uma pérola da natureza na África do Sul

Márcio Matos

O Kruger Park, na África do Sul, ocupa uma área de 2 milhões de hectares. Um pedaço de paraíso, com uma riqueza de fauna e flora que é obrigatório conhecer.

O artigo continua após o anúncio

Situado na África do Sul, o Kruger Park ocupa uma área de cerca de 2 milhões de hectares, que serve de habitat a aproximadamente 147 mamíferos, mais de 500 pássaros, 114 répteis, 34 anfíbios, 49 peixes e 227 borboletas, já para não falar da imensa flora ali existente.

O parque tem 10 portões de entrada e é atravessado por estradas de asfalto bem conservadas, pelas quais os veículos de safari podem circular a uma velocidade não superior a 50km/h. Além disso, ao longo do Kruger Park, há zonas de campismos e lodges de luxo que servem de alojamento para os visitantes que aí quiserem pernoitar.

Kruger Park: saiba como programar o safari de uma vida

elefantes e Kruger parque

Regiões do parque

Dada a extensão do Kruger Park, há muitos visitantes que se perguntam quais as melhores regiões para avistar animais. Na verdade, não há uma resposta a esta questão, mas há algumas dicas que pode ser importante considerar.

A região sul, por exemplo, tem habitualmente uma maior concentração de animais, mas também de automóveis e o índice de chuvas é mais elevado. Já a norte, consegue-se ter uma experiência mais tranquila, enquanto se observam os animais.

Quanto às melhores horas para fotografar, é certo que as melhores imagens são, normalmente, captadas de manhã bem cedo ou à noite. Durante a tarde, hora de mais calor, é fácil encontrar vários animais junto a poças de água.

Agendamento da visita

Um dos primeiros passos para planear qualquer viagem e determinar quando ir e o número de dias a ficar no destino. Claro que o Kruger Park não é exceção e, por isso, antes de partir, é importante definir o tempo de estadia no local.

Naturalmente que tal dependerá da sua disponibilidade e, também, interesse. Contudo, há que ponderar sobre alguns aspetos, nomeadamente ter em consideração o facto de o parque ser bastante grande e a velocidade permitida nos carros de safari não ser grande. Além disso, toda esta experiência é cansativa e, por isso, fazer tudo num ou dois dias pode não ser a melhor opção.

A época da visita é outro ponto que deve analisar. Neste caso, o parque fica numa região sub-tropical, o que significa que lá os verões são quentes e chuvosos (de outubro a março) e os invernos (entre abril e setembro) têm uma temperatura agradável, dias mais quentes/secos e noites frias. Logo, deve ter estas caraterísticas em atenção.

O artigo continua após o anúncio

Self drive, morning walk, night drive

Estas são três formas de explorer e ficar a conhecer este imenso e belíssimo parque.

O self-drive refere-se ao ato de nós próprios conduzirmos no parque, por conta própria, parando nas horas e locais que desejarmos. Esta é uma forma mais independente e livre de usufruir dos encantos do parque, da maneira que preferirmos.

A morning walk ou caminhada matinal dura cerca de 4 horas e é um percurso verdadeiramente deslumbrante. Ela começa por volta das 05h da manhã e o trajeto é desbravado mata adentro, na companhia de guias, claro.

Já a viagem noturna é feita num autocarro de safari, equipado com refletores que iluminam bem a mata. O veículo é conduzido por um guia local que vai procurando as espécies animais que suscitam maior curiosidade.

Não deixe de consultar esta e outras possibilidades de exploração dos encantos do parque, visitando o sítio oficial do espaço.

Outras informações relevantes

leões adultos a caminhar em Kruger Parque

Alojamento

Dentro do parque

É possível ficar alojado dentro do parque. Para isso, pode optar por um dos 17 locais de campismo disponíveis na região. Muitas destas áreas de campismo e bungalows têm cozinha, churrasqueira, piscinas, restaurantes, postos de gasolina, lavandarias e lojas com vários produtos.

Os preços variam consoante as condições do alojamento. Para saber mais, clique aqui.

O artigo continua após o anúncio

Fora do parque

Outra possibilidade é ficar hospedado numa guest house, parque de campismo ou hotel nos arredores do parque. A oferta é grande e variada e esta pode ser uma solução mais económica. Contudo, nestes casos, deve ter sempre em conta os horários de abertura e de fecho do parque.

Se optar por esta via, pode pesquisar em qualquer motor de busca de hotéis por alojamento em localidades vizinhas como Phalaborwa.

Como chegar

Para chegar ao parque, a sugestão é que alugue um carro em Joanesburgo. Do aeroporto da capital ao portão de Phalaborwa são 390kms. A estrada está em boas condições e está bem sinalizada. A vantagem desta opção é, principalmente, a de poder fazer o itinerário que deseja, à hora que quiser.

kruger hipopotamo

O que levar

  • Roupas de cores neutras (cor cáqui): para ter uma presença discreta que não perturbe os animais;
  • Tecidos de cores claras (manga comprida e calças) para estar mais protegido das picadas de insetos. Em algumas épocas do ano, como no inverno, deve ainda levar casacos e roupas mais quentes, sobretudo para o período da noite;
  • Chapéu/boné e protetor solar são itens essenciais para estar devidamente protegido do sol;
  • Sapatos: selecione calçado confortável, mas também resistente, caso contrário poderá estragá-lo e, assim, magoar os pés;
  • Binóculos: neste caso, são acessórios essenciais para levar consigo durante os safaris;
  • Farmácia: como em qualquer viagem, convém levar consigo uma pequena farmácia, isto é, um conjunto de medicamentos considerados essenciais. Neste caso, é importante pedir aconselhamento ao seu médico e fazer mesmo uma consulta do viajante, antes de partir, até para discutir formas de prevenção da malária, uma doença mais comum neste destino.

Regras

  • Os visitantes devem permanecer nos veículos e descer apenas em áreas designadas;
  • Nenhuma parte do corpo deve estar fora da janela, teto solar ou qualquer outra parte externa do veículo;
  • As portas do veículo devem estar sempre fechadas;
  • O limite de velocidade é de 50 km/h em estradas de asfalto e de 40 km/h em estradas de terra;
  • Respeitar o horário de abertura e fecho dos portões do parque;
  • Os visitantes não tem autorização para conduzir “off-road” ou em estradas com um sinal que proíbe a entrada;
  • É proibido perturbar ou alimentar animais;
  • O alojamento do parque tem o seguinte horário: check-in a partir das 14h e check-out até às 10h;
  • Todos os interessados podem conferir, diariamente, o quadro exposto em locais estratégicos dos locais de campismo sobre a localização dos animais no parque.
Veja também