Ekonomista
Ekonomista
02 Jul, 2019 - 16:05
Mais 6 meses para os serviços terem Livro de Reclamações eletrónico

Mais 6 meses para os serviços terem Livro de Reclamações eletrónico

Ekonomista

Livro de Reclamações eletrónico entrou em vigor esta segunda-feira, mas plataforma foi incapaz de dar resposta ao elevado número de pedidos de registo.

O artigo continua após o anúncio

Esta segunda-feira, dia 1 de julho, todas as empresas de hotelaria, restauração, cafetaria e ‘catering’ estavam obrigadas a disponibilizar aos clientes o Livro de Reclamações em formato físico e eletrónico.

Porém, problemas técnicos relacionados com a capacidade de resposta da plataforma, agravados pela acumulação de pedidos de registo perto do final do prazo, levaram o Ministério da Economia a adiar o processo por mais seis meses.

Assim sendo, e com o adiamento, as empresas têm agora até ao final do ano para disponibilizar a plataforma, sem incorrer em coimas, que podem ir até aos 15 mil euros.

Recorde-se que, através do portal do livro de reclamações, os consumidores podem apresentar queixas e solicitar informações sobre os serviços públicos essenciais, como água e luz, bem como fazer perguntas.

Veja também