Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Márcio Matos
Márcio Matos
28 Nov, 2019 - 16:20

Já foi a Miranda do Douro ver os pauliteiros? Viagem à terra fria

Márcio Matos

Miranda do Douro é terra do mirandês, dos pauliteiros e de muito, muito mais. Renda-se a uma região, onde cultura e tradição andam de mãos dadas.

Pauliteiros de Miranda do Douro

Miranda do Douro esconde alguns pontos de interesse que proporcionam uma visita encantadora, muito pelo facto de ter uma beleza natural deslumbrante e também por este ser um município detentor de um património cultural e arquitetónico vasto, diversificado e muito valioso.

Há muito para descobrir ao visitar este belo município. E, por que não, começar por passear na bela Praça D. João III?

Mirando do Douro: cultura e tradição

Catedral de Miranda do Douro

Os pauliteiros são uma referência obrigatória. Um grupo constituído por 8 homens que dançam e outros 3 que são músicos e recorrem a instrumentos como a gaita de foles, a caixa e o bombo.

Além do espetáculo que criam e do divertimento que suscitam, com a sua música e dança também partilham algo com muitos séculos de existência: o mirandês, uma língua falada num território conhecido como terra de Miranda, do qual faz parte Miranda do Douro.

Esta língua é falada por quase 10.000 pessoas e é parte do património imaterial presente neste município.

Artesanato

Miranda do Douro não é uma região que tenha parado no tempo. No entanto, muitos dos conhecimentos do passado sobreviveram e algumas pessoas souberam adaptar aos novos tempos, técnicas e artes do passado.

O génio e engenho de alguns permitiram que a arte de outros tempos permanecesse atual, por isso o artesanato é uma herança bem cuidada e um património relevante para quem pretende descobrir a essência de Miranda do Douro.

Um dos maiores exemplos disso mesmo é a cestaria que é uma arte que recorre ao vime e a verga para a produção de peças irresistíveis.

A confeção de colchas, tapetes, carpetes, em lã de ovelha ou em linho, são outros saberes que devem são muitos estimados na localidade. Felizmente, em Miranda do Douro, é possível constatar como o saber antigo pode ainda encantar os olhos da atualidade.

Parque Natural do Douro Internacional

As paisagens naturais, seminaturais ou humanizadas presentes em Miranda do Douro são de elevado interesse nacional, nomeadamente as que fazem parte do Parque Natural do Douro Internacional (que abarca os concelhos de Figueira de Castelo Rodrigo, Freixo de Espada à Cinta e Mogadouro).

Este é um espaço maravilhoso, com muitas espécies animais e com a proliferação de determinadas espécies vegetais, já para não falar do icónico rio Douro. De visita obrigatória, é o fantástico Miradouro de São João das Arribas que lhe proporcionará uma vista memorável!

Rio em Miranda do Douro

Espaços imperdíveis em Miranda do Douro

Existem inúmeras razões para visitar o município de em Miranda do Douro. Entre elas está, seguramente, o valor que dado à cultura e às tradições.

Por isso, a Casa da Cultura é um espaço que revela muito do que pode e deve ser conhecido sobre Miranda do Douro, além de apresentar uma agenda interessante, com exposições, espetáculos de música e outros eventos associados à cultura local.

O Museu da Terra de Miranda – que está situado na parte histórica do município, mais precisamente no Largo D. João III – e a Casa dos Távoras (presente na rua Abade de Baçal) são dois exemplos de espaços merecedores de um visita.

A Casa das Quatro Esquinas é uma construção da época medieval que também merece destaque, pois além incomum, possui uma beleza muito particular.

Arquitetura

Existem ainda imensos espaços arquitetónicos reveladores da riqueza patrimonial de Miranda do Douro.

A Sé Catedral é, seguramente, um dos monumentos mais belos do norte do país. Uma obra que levou meio século a ser concluída (de 1555 aos finais do século  XVI) e que se tornou um marco local.

O edifício é belo por todo, mas deve destacar-se o conjunto de esculturas dedicadas a Santa Maria Maior e que estão presentes no retábulo da capela-mor. Nas traseiras da Sé, ficam as Ruínas do Paço Episcopal, onde é possível ver as arcadas do claustro, nomeadamente os seus belíssimos arcos.

Outro espaço verdadeiramente imperdível é o Aqueduto de Vilarinho. Em fevereiro de 1587, foi assinado um contrato que visava a construção do aqueduto que serviria para abastecimento da povoação. No século XIX, ocorreu a sua desativação. No entanto, hoje em dia, ele capta a atenção de quem visita Mirando do Douro.

Nordeste Transmontano: roteiro por terras quentes e frias
Não perca Nordeste Transmontano: roteiro por terras quentes e frias

O castelo e a fortaleza

O Castelo de Miranda do Douro começou a ser construído no ano de 1287, tendo sido concluído dez anos mais tarde. No ano de 1955, foi classificado como Imóvel de Interesse Público.

Hoje, é o ex-libris da cidade. Um espaço que ninguém prescinde de visitar, quando vai a Miranda.

A Fortaleza e muralha pré-românica, além de possuírem uma beleza singular, permitem também ficar a conhecer parte da história da região. Por exemplo, no ano de 1762, os castelhanos derrubaram parte da fortaleza e das muralhas.

Veja também