ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
09 Fev, 2021 - 15:23

Nissan Skyline GT-R: antecâmara do atual ‘Godzilla’

Valdemar Jorge

Potência é o que carateriza a linha Nissan Skyline GT-R desde a sua fundação. Atualmente designado GT-R, é sinónimo de elevado desempenho.

nissan skyline gt-r

O Nissan Skyline GT-R, capaz de superior performance desportiva, é um automóvel que sempre despertou a atenção de todos. Desde amantes do tunning, pilotos e claro, de fãs de automóveis de todo o mundo, ninguém fica indiferente a este clássico.

As suas linhas vincadamente desportivas associadas a um chassis muito eficiente e a motores poderosos constituem um atrativo que se sublima no som rouco do motor.

A juntar ao aspeto estético e à performance mecânica está o facto do Nissan Skyline GT-R ser, por excelência, um automóvel de performance japonesa que luta, afincadamente, contra os modelos desportivos das grandes marcas ocidentais.

Outro fator que contribuiu para o sucesso deste automóvel e que ajudaram a torná-lo um ícone,, foi a participação em inúmeros filmes, como por exemplo a saga “Fast and Furious”. Para além disso, participou, igualmente, em muitos jogos de consola, como é o caso dos famosos e bem conhecidos “Gran Turismo”, “Street Racer” ou mesmo “Real Car Simulator Nissan Edition”.

Tudo isto fez com que viesse a ser denominado como ‘Godzilla’ das estradas. Assim, conheça mais sobre a história do Nissan Skyline GT-R.

Nissan Skyline GT-R: Desportivo com mais de 50 anos de história

O Nissan Skyline GT-R é um desportivo que tem por base a linha Nissan Skyline (1957), cuja primeira geração (fevereiro de 1969 – 1972) estreou no Salão Automóvel de Tóquio, em outubro de 1968, e integrou apenas a produção de 1.945 exemplares.

Identificado com o nome interno de PG10, o primeiro Skyline GT-R foi lançado a 4 de fevereiro de 1969 e era exclusivo da rede de concessionários japonesa da Nissan (a Nissan Prince Store, que em 1966 foi absorvida pela rede de operações da marca).

O modelo foi comercializado na configuração de sedan (4 portas) e coupé (2 portas), com motor dianteiro e tração traseira. O bloco de 2.0 litros e 6 cilindros derivava do bloco usado no carro de corridas R380 da Prince e debitava 160 cv.

Gerações marcadas por potência e alto desempenho

A geração seguinte foi apresentada no Salão Automóvel de Tóquio, em 1972, e estreou comercialmente no ano seguinte.

No entanto, este este GT-R, com coupé de duas portas, também com motor dianteiro e tração traseira, teve vida curta. A crise da gasolina que se fez sentir no princípio dos anos 70 limitou qualquer demanda de sucesso deste Skyline. Com efeito, a sua produção não passou de 197 carros.

Dezasseis anos de interregno marcam a vida do Nissan Skyline GT-R, desde o final da segunda geração e o ressurgimento do mítico nome na terceira geração, em 1989. A Nissan, na época, competia no Grupo A com o Skyline GTS-R.

O objetivo era descontinuar este modelo e criar uma nova geração GT-R, mais competitiva e que dominasse as competições do Grupo A. Surge, assim, o R32.

Este estava equipado com motor a gasolina de 2.0 litros, 6 cilindros (produzido pela Nissan de 1985 a 2004, e mais tarde volta em 2019) e twin-turbo (construído pelo departamento desportivo da marca nipónica, a Nismo), que debitava 320 cv.

Esta versão recebeu também tração integral, aspeto que se mantém até aos dias de hoje, neste que foi o impulsionador do que se pode apelidar de GT-R da era moderna.

Esteticamente, o modelo apresentava linhas desportivas e uma caraterística de design que se manteve até aos dias de hoje e, que permite identificar, de primeira, o GT-R. É a distinta secção traseira com os quatro farolins redondos, em vermelho, que sublinham o ar “racing” e musculado.

A lenda começa com o R32 e prossegue até ao epíteto ‘Godzilla’

close up na designação skyline gt-r
Nissan Motor Corporation | Official Global Newsroom

É com o R32 que a lenda Skyline GT-R começa. O modelo de tração às quatro rodas usava sofisticada embraiagem que dividia o binário entre os dois eixos, mas com predomínio no eixo traseiro preservando a aderência na frente.

A componente desportiva renasce no ano seguinte com o lançamento do primeiro Nissan GT-R Nismo. Deste modelo foram construídos 560 exemplares para homologação do modelo para as corridas do Grupo A.

A exportação do modelo para a Austrália foi um sucesso. Nas competições, o R32 destrona o Ford Sierra Cosworth. É aqui que passa a ser conhecido como “Godzilla, o monstro do Japão”.

Quarta e quinta gerações prolongam sucesso do Skyline GT-R

O sucesso do R33 foi grande. Mas, no mundo automóvel, a evolução é uma constante, pelo que este também teve de evoluir. Assim, em 1993, no Salão Automóvel de Tóquio, a Nissan, a par das versões não GT-R, apresentava o protótipo R33. O modelo foi lançado, oficialmente, dois anos depois.

O R33 apresentava atualização estética e mecânica. Destacava-se a estética mais agressiva, condizente com a performance e o “músculo” do motor. O sucesso foi imediato com o modelo a conquistar Le Mans.

Para além disso, a marca disponibilizou, também, versões mais desportivas e “vencedoras”, que receberam a designação R33 GT-R e GT-R V Spec. Estas estavam equipadas com o mais recente sistema de tração integral ATTESA E-TS Pro, que incluía um diferencial Active Limited Slip.

O R33 sai de cena em 9 de novembro de 1998, não sem que a Nissan, em 1996, colocasse no mercado uma versão Nismo, mais agressiva com motor a debitar 400 cv. Um verdadeiro colosso nas pistas e, no asfalto.

Entra, então, em ação o R34, que durante mais de uma década lidera as competições em que participa. Assim, consolida, como modelo Skyline, o poder que tem em pista e passa a ser o automóvel mais tecnológico da sua época.

O motor de 6 cilindros em linha, apoiado em dois turbos, debitava 280 cv, mas algumas empresas conseguiam elevar a potência até impressionantes 800 cv.

Nissan GT-R da atualidade é o ‘Gozilla’ dos tempos modernos

Numa época em que as questões do ambiente lideram as agendas políticas do mundo e em que a aposta é eletrificar os automóveis, a verdade é que modelos como o Nissan GT-R, com história de mais de 50 anos, que nasceu de uma simples berlina e se transformou num “monstro” capaz de devorar asfalto, ainda fazem virar muitas cabeças, para o ver e, principalmente, ouvir o motor rouco.

Este é um desportivo acarinhado pela Nissan desde sempre e, por muitos fãs, em todo o mundo. A evolução tecnológica não tem paralelo com as versões das gerações anteriores. Atualmente as versões GT-R e GT-R Nismo já apresentam mais performance.

A versão de entrada recebe um motor 3.8 litros V6, 24 válvulas, com turbo compressor duplo, que debita 570 cv às 6.800 rpm e 637 Nm de binário. A marca disponibiliza ainda para o GT-R um bloco idêntico, mas a debitar 600 cv às 6.800 rpm. Ambos têm caixa de transmissão de embraiagem dupla GR6.

Curiosidades

Sabia que apenas 5 mestres artesãos em todo o mundo estão habilitados a montar à mão o motor do Nissan GT-R? Neste sentido, podem fixar uma placa com o seu nome em cada um. Ora, tudo isto contribui para o preço elevado. Como sabemos, o preço da exclusividade é alto.

Assim, não é por acaso que cada GT-R exige mais de 150 mil euros (o mais caro ultrapassa os 241 mil euros), para que possa “dormir” na sua garagem

Recordamos, ainda, que existem nove versões diferentes consoante motorizações, especificações e versões Nismo.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].