ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Teresa Campos
Teresa Campos
17 Fev, 2021 - 11:49

Olho vermelho: conheça as causas possíveis e os cuidados a ter

Teresa Campos

O olho vermelho é uma manifestação recorrente, que nem sempre constitui um problema grave. Saiba quais as suas principais causas e cuidados a ter.

homem com olho vermelho

O olho vermelho é um problema comum que se deve ao rompimento dos vasos sanguíneos na superfície ocular. Como consequência, o globo ocular passa a exibir um tom rosa ou avermelhado.

O olho vermelho pode ter muitas causas associadas, desde as mais benignas às mais severas. Porém, é importante consultar um oftalmologista para um diagnóstico correto e preciso do problema que está na origem desta condição. Fique a saber mais.

Olho vermelho: causas principais

O olho vermelho pode ter diferentes causas associadas como, por exemplo:

  • infeções;
  • alergias;
  • inflamações;
  • traumatismos;
  • hemorragias.

Estes problemas podem ter implicações clínicas e níveis de gravidade distintos.

homem com conjuntivite no olho

Conjuntivite

É frequente associar-se o olho vermelho a uma infeção por conjuntivite. A conjuntivite pode ser bacteriana – manifestando-se através de uma secreção purulenta abundante – ou vírica – apresentando uma secreção mais mucosa e em menor quantidade.

A conjuntivite pode ainda ser uma consequência de alergias oculares. Essas alergias podem ser provocadas por pólen, pó, perfume, fumo e bolor e manifestarem-se também por meio de espirros, lacrimejo, prurido e ardor.

De uma forma geral, este é um problema de saúde com prognóstico favorável, desde que devidamente tratado.

Infeções

O olho vermelho também pode ser resultado de processos infeciosos que atingem a córnea, como é o caso das úlceras e dos abcessos. Neste caso, os sintomas mais frequentes são dor intensa e perda de visão.

Na origem das infeções está, muitas vezes, um uso incorreto das lentes de contacto. Para resolver este problema de saúde, deve fazer-se um tratamento precoce e agressivo, de modo a evitar sequelas.

Outro tipo de infeção ocular possível é a blefarite, na qual as pálpebras e as pestanas ficam inflamadas. Na origem deste problema, costuma estar a acumulação de óleo nas glândulas, o que favorece o surgimento de bactérias nas pálpebras e nas pestanas. Consequentemente, pode haver ardor ocular, prurido, pálpebras inchadas e olho vermelho.

Hemorragia subconjuntival

Esta é uma causa frequente e benigna para o olho vermelho. Este tipo de hemorragia está, normalmente, associado a pequenos traumatismos ou a picos de tensão arterial. Este género de problema não carece de qualquer tratamento.

Inflamações

Há várias inflamações que podem atingir a superfície ocular externa ou intraocular. Algumas delas estão relacionadas com doenças sistémicas autoimunes ou infeciosas.  Nestes quadros, há sintomas como dor, diminuição da acuidade visual e sensibilidade acrescida à luz.

Alguns exemplos de inflamações oculares são: epiesclerites, esclerites e uveites. As abordagens terapêuticas devem ser definidas, caso a caso, de acordo com a avaliação e decisão médicas.

Traumatismo ocular

O traumatismo ocular pode ser mecânico, químico ou físico. Em qualquer um dos casos, ele pode manifestar-se através do olho vermelho. O tipo e a gravidade do traumatismo podem variar muito de situação para situação.

Secura ocular

Quando os olhos têm pouca humidade natural e estão pouco lubrificados, os seus vasos sanguíneos e membranas podem esticar, o que pode dar origem ao olho vermelho, a dor ocular, a úlceras da córnea e, em situações mais graves, a perda de visão.

Complicações pós-cirúrgicas

Se fez uma operação aos olhos e está com o olho vermelho, então essa pode ser uma consequência da cirurgia. Nesse caso, é importante consultar de imediato o médico que foi responsável pelo procedimento cirúrgico, de modo a que ele possa avaliar a situação.

mulher a pôr gotas nos olhos

Olho vermelho: sintomas, diagnóstico e tratamento

Sintomas

Em função da sua causa, o olho vermelho pode estar associado a diversos sintomas, tais como:

  • irritação e sensação de ardor;
  • prurido ocular permanente;
  • secura;
  • dores oculares leves a severas;
  • secreção;
  • lacrimejo;
  • visão desfocada;
  • sensibilidade à luz intensa.

Diagnóstico

Como o olho vermelho pode ter diferentes causas, uma avaliação médica e um exame oftalmológico revelam-se particularmente importantes para um diagnóstico objetivo e rigoroso. A consulta de um especialista é ainda mais urgente se existir dor ou diminuição da acuidade visual.

Ainda assim, podemos considerar que, quando não existe dor, nem perda de acuidade visual, o olho vermelho é, geralmente, um problema benigno. Por outro lado, se houver dor e/ou compromisso da acuidade visual, podemos estar perante um quadro mais severo da doença.

mulher a colocar colírios
Veja também Colírios: saiba o que são e para o que servem

Tratamento para o olho vermelho

Como vimos, o tratamento para o olho vermelho varia bastante em função da sua causa. Contudo, de um modo geral, a terapêutica pode passar pela prescrição de gotas oftálmicas, antibióticos, cremes oculares e medicamentos orais relacionados com tratamentos alérgicos.

No entanto, convém sublinhar a importância de consultar um oftalmologista, antes de iniciar qualquer tipo de tratamento.

Cuidados a ter para evitar o olho vermelho

Há algumas precauções que deve tomar para prevenir o olho vermelho. Tome nota de algumas delas:

  • preferir as lágrimas artificiais aos pingos antibióticos;
  • não coçar os olhos;
  • aplicar, em casos de irritação ocular, compressas frias nas pálpebras, durante alguns minutos, 3 ou 4 vezes por dia;
  • usar uma toalha própria e húmida para remover crostas que existam nas bordas dos olhos;
  • tomar anti-histamínicos, em caso de sensibilidade ocular;
  • não usar cosméticos fora do prazo de validade;
  • lavar frequentemente as mãos com sabão antibacteriano ou desinfetante;
  • remover toda a maquilhagem dos olhos;
  • evitar usar lentes de contacto por mais tempo do que o recomendado;
  • limpar as lentes de contacto com uma solução própria e guardá-las numa caixa limpa;
  • evitar o contacto com substâncias irritantes como pó, mofo ou outros alergénios.
Veja também