Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
11 Nov, 2021 - 11:32

Opel Corsa GSI: a pequena bomba alemã que deixou saudades

Valdemar Jorge

O Opel Corsa GSI surgiu em 1988. Imbuído do ADN desportivo da marca, foi o pocket rocket alemão que deixou saudades. Conheça a sua história.

Opel Corsa GSI

Com um visual desportivo inconfundível (carroçaria de três portas), o Opel Corsa GSi saltou para a ribalta dos modelos desportivos da marca alemã em 1988, cerca de 6 anos após o início da comercialização do primeiro Corsa A. O pequeno desportivo chegou imbuído do ADN desportivo que caracterizou outros modelos da marca alemã como o Opel Manta GSi, Opel Kadett GSi, Opel Astra GSi.

História do Corsa GSi confunde-se com a do Corsa

Falar da história e da importância que o Corsa GSi teve para a marca leva-nos a abordar, forçosamente, o êxito do Corsa, modelo de tração dianteira que a marca alemã lançou em setembro de 1982 e que se mantém em produção até aos dias de hoje.

O citadino começou a ser vendido na França, Itália e Espanha e noutras latitudes ficou conhecido como Vauxhall Nova (Reino Unido), Cheverolet Chevy (México), Buick Sali (China), Holden Barina (Austrália) ou Opel Vita (Japão).

Embora, sempre conhecido por Corsa, a verdade é que a marca desde sempre associou uma letra ao nome ‘Corsa’ para, deste modo, distinguir as várias gerações que conheceram diversas carroçarias do modelo mais popular da Opel. As várias gerações do Corsa estão assim distribuídas:

  • Corsa A – 1982;
  • Corsa B – 1993;
  • Corsa C – 2000;
  • Corsa D – 2006;
  • Corsa E – 2014;
  • Corsa F – 2019.

Esta última geração, além dos modelos a combustão, agregou a mudança de paradigma que está a ser abraçada por todas as marcas automóveis. Trata-se da novíssima versão elétrica do Corsa, designada Corsa-e, que surgiu no segundo trimestre de 2020, em plena pandemia COVID-19.

O Corsa F, da atual geração, recebe também motores a combustão e só se diferencia do modelo elétrico devido à presença do escape e ao desenho diferenciado das jantes. No resto tudo é semelhante, não existindo diferenças visuais acentuadas.

Primeiro Corsa GSi em 1988

O sucesso do citadino alemão levou à apresentação de versões desportivas e, embora a Opel tenha alterado a designação dos seus veículos com caráter mais desportivo em 1984 de GT para GSi (Grand Sport Injection), esta mudança só chegou ao Corsa em 1988, quase seis anos após o seu lançamento.

O modelo surge não só para gáudio dos amantes de carros desportivos mas, também, para dar “luta” a modelos como o Citröen AX (GT e GTi), Peugeot 205 GTi, Renault 5 Turbo, Fiat Uno Turbo ie, Suzuki Swift GTi ou o irreverente VW Polo G60, então também designados pocket rocket.

Modelos que marcavam, igualmente, o panorama comercial europeu com grande aceitação por um público mais jovem ávido de aventura.

O primeiro GSi surge com o Corsa A (1988) equipado com motor 1.6 litros a debitar 100 cv. Montado numa carroçaria que pesava 840 kg, era garante de diversão na condução. Já a parte eletrónica do modelo, que deixava para trás o motor 1.3 litros do então Corsa SR e GT, tinha “mão” do preparador Irmscher.

O Corsa GSi estava disponível em carroçaria de 3 portas e visualmente destacava-se dos seus “irmãos” por ter arcos das rodas alargados e bancos desportivos. A sua apresentação ao Mundo teve lugar em 1987, no Salão Automóvel de Frankfurt, e foi objeto de desejo por muitos jovens nos anos 90.

Corsa GSi com boas prestações no desporto automóvel

O pequeno ‘pocket rocket’ alemão, além do sucesso comercial, impôs-se também nas corridas de ralis, competição onde teve bons momentos. As provas regionais deste tipo de competição eram palco de disputas com modelos rivais.

Um dos pilotos que hoje compete no escalão máximo do WRC, Thierry Neuville (equipa da Hyundai Mogtorsport), começou o seu trajeto desportivo ao volante de um Corsa GSi, em 2007, antes de mostrar os seus dotes no campeonato belga e no Intercontinental Rally Challenge, na classe 2000, que o catapultou para outros “voos”.

Ainda assim, em 2018, o piloto participou no Rally Legend Boucles Bastogne com um Corsa GSi da primeira geração, demonstrando que o Corsa tem pulmão para as provas de competição.

A carreira do Corsa GSi termina com o Corsa D, em agosto de 2012.

Opel Corsa elétrico
A nova geração do Opel Corsa, 100% elétrico

Opel Corsa GSi renasceu em 2018

Após interregno de alguns anos, o Opel Corsa GSi renasceu em 2018 com chassis OPC (à semelhança do Insignia GSi), cujas principais caraterísticas eram a precisão e garantia dinâmica referencial em estrada e curtas distâncias de travagem.

O modelo era muito aguardado devido ao sucesso recente do Insignia GSi, ao mesmo tempo que fez renascer um nome que se tornou uma lenda no seio dos pequenos desportivos: o Corsa GSi.

A Opel, na senda de conquistar ainda mais clientes, principalmente jovens amantes de desportivos, relançou este pocket rocket do século XXI, que no processo de preparação desportiva passou pelo mítico e exigente circuito de Nürburgring.

Motor turbo a debitar 150 cv

Para que o conjunto respirasse emoção, a Opel equipou o Corsa GSi (2018) com o aplaudido motor 1.4 Turbo que debitava 150 cv e 220 Nm de binário máximo entre as 3.000 e as 4.500 rpm.

Paralelamente, os engenheiros desenvolveram conjunto de afinações que garantiram melhor capacidade de resposta do motor e do chassis do hot hatch alemão.

Com caixa manual de seis velocidades de relações curtas, o motor tinha uma resposta extraordinária, principalmente em segunda e terceira velocidades, tornando-o eficaz e, acima de tudo, divertido de conduzir. Uma das premissas que desde a primeira geração fizeram a diferença em toda a gama Corsa.

Rápido em aceleração – 0 a 100 km/h em apenas 8,9 segundos – e em recuperação de velocidade – 80 a 120 km/h, em quinta velocidade, em apenas 9,9 segundos e com velocidade máxima de 270 km/h o Corsa GSi da última geração depressa se transforma num must have para os amantes da condução desportiva.

Visual acentuadamente desportivo

O novo Corsa GSi é a expressão da dinâmica de precisão da casa de Rüsselsheim. Dinâmica acentuada por elementos de carroçaria específicos, nomeadamente para-choques com grandes entradas de ar, capot do motor exclusivo, spoiler traseiro e saias laterais.

Ainda na secção frontal, destaque para a grande grelha adota textura de ninho de abelha, que acolhe o logótipo da Opel em posição de destaque, enquanto as capas dos espelhos retrovisores exteriores imitam carbono.

Na traseira o protagonismo é assumido pelo spoiler colocado no topo da tampa da bagageira e, também, pela saída de escape cromada.

Em todo o habitáculo o ambiente é assumidamente desportivo realçado pelo volante e punho da alavanca da caixa, que nesta versão são específicos, bem como pelos pedais protegidos com capas de alumínio.

Corolário de um modelo destinado ao sucesso

A raça do Corsa GSi começou, como referimos, em 1988, com o Corsa A de 100 cv, modelo que atualmente é um clássico muito cobiçado e com grande procura.

Seguiu-se-lhe o Corsa B GSi 16V, com 109 cv de potência, e o Corsa C GSi com 125 cv e velocidade máxima de 202 km/h.

Em 2006 a geração Corsa D recebe também o atrativo nome GSi destacando-se pelo facto de ter, pela primeira vez, motor sobrealimentado: bloco 1.6 Turbo de 150 cv.

Agosto de 2012 marcou o fim desta série de modelos com ADN desportivo até que, em setembro de 2017, a Opel no Salão de Frankfurt, revelou um novo e imponente modelo digno do nome GSi: o Insignia.

Um ano mais tarde a sigla GSi regressava associada ao irreverente, bem sucedido e popular Corsa.

Veja também