Marta Maia
Marta Maia
07 Mai, 2019 - 08:45
5 dicas para negociar pacotes de telefone, internet e televisão

5 dicas para negociar pacotes de telefone, internet e televisão

Marta Maia

Conseguir pacotes de telefone, internet e televisão a bom preço é quase sempre uma questão de negociar. Veja as nossas dicas e leve a melhor sobre os fornecedores.

O artigo continua após o anúncio

Praticamente não existem, em Portugal, casas onde os habitantes não tenham acesso a uma televisão, a um telefone ou a qualquer outro tipo de serviços de telecomunicações que os conectem ao mundo sem sair do sofá. Neste cenário, as operadoras de telecomunicações investiram, nos últimos anos, em criar verdadeiros negócios integrados, publicitando pacotes de telefone, internet e televisão que prometem juntar os serviços a preços baixos.

O conceito é apelativo para os consumidores: contratando os serviços de um único operador, conseguem ter acesso a vários produtos que, agrupados, custam menos do que somados individualmente. Sendo estes serviços praticamente indispensáveis para todos nós, é quase impossível vermos defeitos nestas propostas.

O problema, contudo, é que, mesmo sabendo que o preço total é menor do que a soma dos custos individuais de cada serviço, o valor dos pacotes de telefone, internet e televisão são muito altos – e chegam a ser mais pesados no orçamento mensal das famílias do que outras contas regulares, como a luz ou a água. Como defender-se desta exploração?

Negociar pacotes de telefone, internet e televisão

5 dicas para negociar pacotes de telefone, internet e televisão

O grande segredo de um bom acordo com uma operadora de telecomunicações é a negociação. Se é verdade que ela lhe oferece uma imensa variedade de pacotes de telefone, internet e televisão – e ainda lhes acrescentam uma infinidade de outros produtos e serviços associados -, também é verdade que não é a única: o mercado está cheio de operadoras que cobiçam a sua assinatura.

Assim, a melhor estratégia que pode adotar é a de jogar com a competição do próprio mercado. Faça ver às empresas que vão ter de fazer por merecer o seu dinheiro, obrigue-as a esforçarem-se. Não se “venda” pela primeira oferta e, sobretudo, não tenha vergonha de regatear preços. O dinheiro é seu, sai do seu bolso, por isso tem todo o direito de fazê-lo render o máximo que puder. Como?

1. Negoceie o pacote

Regra geral, os pacotes de telefone, internet e televisão já vêm pré-definidos: comprando-os, tem acesso a um determinado número de canais (que também são pré-determinados), uma determinada velocidade de internet e até um determinado tarifário de telefone. Mas quem disse que tem mesmo de ser assim?

Se, por algum motivo, não tiver tanto interesse num dos serviços incluídos no pacote, mas estiver de olho num dos “extras” que a empresa oferece (como, por exemplo, o acesso a canais especiais de TV), negoceie com os comerciais a troca de uma coisa por outra. Quanto mais flexibilizar a conceção do pacote, mais ele vai corresponder às suas necessidades e, em consequência, mais vai valer a pena cada cêntimo que gastar.

Lembre-se, neste processo, que nem todos os serviços valem o mesmo – e, se isto é válido para entender que a operadora não vai aceitar trocar o serviço de telefone por um acesso infinito a todos os canais da Sport TV, é igualmente válido para entender que não é justo trocar o serviço de internet por um cartão de telemóvel com tarifário pago. Meça bem a importância das coisas.

O artigo continua após o anúncio

2. Negoceie a sua fidelidade

As operadoras de telecomunicações não querem só vender-lhe um pacote de telefone, internet e televisão e vê-lo sair porta fora. Elas querem que fique com elas, que continue a pagar o máximo de tempo possível (de preferência para sempre), e que lhes seja fiel. Ora… está aqui um ótimo argumento para si. Querem que seja fiel? Então ofereçam desconto!

Baixar o preço em troca de um período maior de fidelização é uma prática habitual nas operadoras de telecomunicações, por isso não deverá ter dificuldade em fazer esta negociação. No entanto, deve ter em atenção que períodos longos de fidelização vão prendê-lo àquela operadora por bastante tempo. Mesmo que, entretanto, outras operadoras já tenham em oferta pacotes de telefone, internet e televisão mais baratos, não poderá mudar antes do fim do período de fidelização.

3. Negoceie também a infidelidade

Felizmente, neste caso, todos os contratos têm um fim. E o seu com a operadora de telecomunicações, mais cedo ou mais tarde, também há de terminar. Este é, para si, um grande trunfo na manga: quando o contrato acaba tem todo o direito de bater com a porta e partir para uma relação com outra operadora.

Ora, já vimos que nenhuma operadora está interessada em perder clientes, por isso pode ligar para a sua quando estiver a chegar ao final do contrato e renegociar o seu pacote de telefone, internet e televisão: ou o preço baixa, ou subscreve os serviços de uma concorrente. Vai ver como, de repente, tudo é possível no reino das telecomunicações para fazê-lo ficar onde está.

4. Registe erros e falhas

A questão aqui é muito simples: se contratou um pacote de telefone, internet e televisão – e se paga por todos estes serviços – não pode (nem deve!) aceitar usufruir apenas de um ou dois destes serviços, ou sequer de um deles de forma parcial.

Se a sua operadora de telecomunicações falhar com algum dos serviços que lhe presta, registe e use isso a seu favor. Ligue para a provedoria do cliente, explique o sucedido e deixe bem claro que quer ser recompensado por estar a pagar um serviço que, na realidade, não recebeu como prometido. Tem todo o direito de fazê-lo e a operadora não vai oferecer grande resistência.

5. Faça-se valer da antiguidade

A regra que se impõe aqui é a mesma do mercado tradicional. Imagine que vai todos os dias, durante dez anos, à mesma mercearia. Ao fim deste tempo, com certeza espera ser tratado de forma um pouco mais especial, certo? Com direito a umas ofertas, a um desconto ou a qualquer outro tipo de “mimo”. Com as operadoras acontece o mesmo.

Ser cliente da mesma operadora de telecomunicações durante muito tempo pode ser uma vantagem na hora de negociar os pacotes de telefone, internet e televisão. A antiguidade é aqui, como em muitos outros sítios, um verdadeiro posto, e o serviço de apoio ao cliente não vai preferir perder um cliente antigo por causa de meia dúzia de euros que pode oferecer de desconto.

O artigo continua após o anúncio

É, por isso, boa prática ligar para a sua operadora a cada ano que passa, lembrando-a de que já merece, cada vez mais, uma atenção extra.

Negociar com as operadoras de telecomunicações não é difícil, por muitos motivos: além de estarem todas assoberbadas com tantas ligações e pedidos constantes de clientes, estão interessadas em ganhar clientes à concorrência e, muito importante, têm muita margem de manobra para baixar os preços.

Não tenha vergonha nem se sinta mal por espremer a sua mensalidade para o mínimo possível – é um direito seu e uma obrigação que tem para com o seu dinheiro.

Veja também: