Teresa Campos
Teresa Campos
15 Set, 2019 - 06:55
Paredes com humidade: causas e soluções possíveis

Paredes com humidade: causas e soluções possíveis

Teresa Campos

O verão é a melhor altura para tratar das paredes com humidade aí de casa. Portanto, não perca mais tempo e saiba o que fazer, passo a passo.

O artigo continua após o anúncio

As paredes com humidade, além de super inestéticas, podem ser uma fonte perigosa de doenças e outros problemas para a sua saúde, sobretudo respiratória. Elas deixam mau odor na sua casa e, se não travar a tempo o problema, ele terá tendência a alastrar cada vez mais. Por todas estas razões, reunimos informações úteis para diagnosticar qual a origem das paredes com humidade e as soluções possíveis para pôr fim a este incómodo.

Tem paredes com humidade? Saiba o que fazer, caso a caso

pessoa a limpar as paredes com humidade

1. Humidade ascendente

Caraterísticas: este tipo de humidade carateriza-se por manchas interiores ou exteriores. No interior, elas podem formar salitre, fazer aparecer bolor ou, no caso de ter papel de parede, ele começar a descolar. No exterior, pode surgir musgo. Estas manifestações podem aparecer durante todo o ano, com diferentes proporções dependendo da frequência das chuvas.

Soluções

As técnicas mais eficazes e duradouras contra a humidade ascendente são:

  • a instalação de uma barreira de impermeabilização, que consiste em retirar, com a ajuda de um cizel, uma fileira de tijolos da parte inferior da parede ou em realizar uma fenda com uma serra;
  • o revestimento com rebocos de drenagem: reboco que contenha no seu interior uma rede de canais que permitam o alojamento destes sais e facilitem a evaporação da água;
  • a injeção de um produto hidrófugo, cuja finalidade é saturar a parte inferior da parede com um produto hidrófugo (resinas sintéticas), a fim de criar uma barreira contra a humidade ascendente.

2. Humidade pela chuva

Caraterísticas: este tipo de humidade manifesta-se nas paredes interiores e exteriores, sob a forma de eflorescências brancas, tijolos com rachas, fissuras, juntas estragadas, etc. O lado mais exposto ao vento está mais suscetível à humidade, cujo aparecimento é mais intenso durante ou depois de períodos de chuva fortes ou contínuas.

Soluções

  • Comece por verificar o estado das telhas. Confira se existem buracos pelo algeroz, se toda a estrutura que o sustenta está em bom estado e se não existem juntas partidas. Atente ainda nas fissuras das fachadas, reparando-as caso existam.
  • Caso o problema esteja nas paredes mais expostas, proteja-as, pintando-as e isolando-as com argamassa especial com propriedades hidrófugas, ou então, opte por fazer um revestimento com pedra, ou também com um hidrófugo transparente.
  • Antes de realizar qualquer tipo de operação, lembre-se de retirar todo o tipo de musgos ou bolor, com água e lixívia. Passe uma escova ou máquina de alta pressão para remover toda a sujidade por completo. Caso tenha chovido, espere um mínimo 7 dias para aplicar qualquer produto.
  • Se aplicar o produto hidrófugo, deve pulverizá-lo ou aplicá-lo com uma trincha, com abundância, até perceber que a parede já não absorve mais líquido.

3. Humidade originada por fugas na canalização

Caraterísticas: a humidade causada por fugas e/ou defeitos na canalização carateriza-se por círculos húmidos tipo auréola ou por bolores. Normalmente, elas manifestam-se em áreas perto de canos ou de aparelhos sanitários usados muitas vezes, como banheiras. Quando as canalizações não estão visíveis, pode ser difícil detetar a origem da fuga, mas confirmar se há ou não uma fuga pode ser simples.

Esteja atento ao seu contador e se há gasto de água, mesmo quando não está a utilizá-la. Ou verifique se a humidade tende a reaparecer quando usa determinado equipamento sanitário.

O artigo continua após o anúncio

Soluções

Depois de confirmada e, de preferência, localizada a fuga, é necessário intervir nas canalizações, pelo que se recomenda a contratação de um técnico especializado para o efeito, para resolver o problema e evitar males maiores.

4. Humidade por condensação

Caraterísticas: manchas de humidade com aspeto irregular, em forma de bolor e/ou com cheiro a mofo são comuns na parte de interior exterior das paredes ou tetos, principalmente nos cantos. As paredes normalmente mais afetadas por este tipo de humidade, são as viradas a Norte e a Nordeste. Estas manifestações são mais comuns em estações de chuva e frio.

Soluções

Tente produzir menos vapor de água, seguindo as seguintes dicas:

  • quando cozinhar, tape sempre que possível as panelas e ligue o exaustor;
  • evite secar a roupa no interior de casa;
  • use dispositivos de recolha de humidade em armários ou roupeiros;
  • use um desumidificador em zonas de maior condensação.

Dicas extra:

  • melhore o arejamento e ventilação das divisões. Sobretudo no tempo mais frio, deixe entrar e circular ar fresco dentro de casa;
  • coloque ventiladores numa parede, no local mais elevado possível e de preferência numa parede frontal à parede da porta;
  • evite paredes frias. Para tal, instale vidros duplos ou escolha materiais menos frios, como madeiras ou materiais plásticos.

5. Humidade na construção

Caraterísticas: numa casa nova, há materiais com alguma humidade, pelo que deve aguardar no mínimo 1 ano até que realize obras na mesma. Deixe o estuque a descoberto durante este período, evitando pintá-lo ou cobri-lo.

Soluções: quando existe bastante humidade, sugere-se o uso de aparelhos desumidificadores.

O artigo continua após o anúncio

6. Humidade em caves, arrecadações ou garagens

Caraterísticas: a humidade nestes espaços pode apresentar-se sob a forma de paredes molhadas, podendo originar manchas de salitre. As causas podem estar relacionadas com fissuras ou com a corrosão das armações do betão, ou também com a pressão da água ser excessiva para a resistência das paredes.

Soluções: para solucionar este problema, escave o solo junto à parede com problemas, até ao nível das fundações. Coloque um resguardo estanque na parede, com argamassa betuminosa. Se o lençol de água for acima da superfície da parte inferior da parede e tiver acesso à parede exterior, é conveniente colocar tubos para drenar a água, ligados à rede de esgotos. Se não for possível o tratamento pelo exterior, instale um reboco impermeável.

Limpe convenientemente a parede, com água e amoníaco e retire todas as zonas soltas da parede, com uma espátula ou escova. De modo a tornar-se mais aderente, pulverize a parede com água e aplique argamassa anti-humidade ou hidrófuga. Comece pelas juntas, fendas e fissuras. Após ter secado esta primeira aplicação, passe outra camada, até ficar com uma altura de mais ou menos 1cm.

As paredes com humidade têm os dias contados, certo? Siga os passos que indicámos e aproveite o tempo quente e seco para tratar da sua casa, erradicar a humidade e aproveitar para arejar ao máximo todas as divisões, já que com a chegada do inverno, torna-se mais difícil fazê-lo. Diga não ao cheiro a mofo e ao bolor e consiga manter a sua mais seca e saudável, dizendo adeus às paredes com humidade.

Veja também