Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
19 Nov, 2020 - 15:21

Parque do Barrocal: aqui é a natureza quem manda

Mónica Carvalho

310 milhões de anos de construção natural e de evolução deram origem a um oásis em Castelo Branco. Conheça melhor o Parque do Barrocal.

parque barrocal

O Parque do Barrocal, em Castelo Branco, destaca-se pela paisagem granítica, cujas rochas parecem ter nascido nas profundezas da Terra. Foram moldadas e expostas aos elementos externos, como que a preparar o ser humano para aceitar que ali quem manda mesmo é a natureza.

O Barrocal ergue-se, então, de forma imponente por entre a cidade de Castelo Branco. Por isso, falar desta cidade implica obrigatoriamente falar deste local, que é um excelente exemplo de riqueza natural e cultural do território UNESCO em que se integra.

O que pode descobrir no Parque do Barrocal

Para disponibilizar uma experiência mais imersiva, foram criados caminhos, passadiços e miradouros, para que todos os visitantes pudessem usufruir em plenas condições deste verdadeiro presente da natureza.

Cada canto é uma boa plataforma para contemplar e viver a paisagem do Barrocal, um verdadeiro parque de natureza em plena cidade.

parque barrocal mirante castelo branco
Fonte: Parque do Barrocal – Mirante Castelo Branco

Mirante Castelo Branco

A 425 metros de altitude, o ponto mais elevado do Barrocal, testemunham-se paisagens extensas e variadas, que culminam nas montanhas que as limitam e até no infinito horizonte.

Círculo do Domo

O Círculo do Domo é o ponto de encontro, bem no centro do Parque do Barrocal. Este espaço convida ao descanso e a pequenas reuniões, eventos culturais, aulas e até palestras.

Mirante da Senhora de Mércoles

Entre o Santuário de Nossa Senhora de Mércoles e a Capela de Santa Ana localizou-se uma villa romana, onde ainda se podem encontrar barragem e ponte. Atualmente, o local é o centro de uma das romarias mais afamadas da região, que se realiza na Pascoela, desde 1601.

Mirante de São Martinho

Rompendo do plano de Castelo Branco, encontramos o monte de S. Martinho, com o seu mirante a 435 metros de altitude.

Parque barrocal túnel do lagarto
Fonte: Parque do Barrocal – Túnel do Lagarto

Túnel do Lagarto

Este túnel tem mesmo a forma de um lagarto que ondula por entre penedos e permite fazer a transição entre a zona do parque mais próxima da cidade e o interior do mesmo. É um percurso algo ensombrado, onde se anteveem jogos de luz e de sombra, que dão alguma magia ao local.

Mirante do Carvalhal

No Parque do Barrocal, o Carvalho-negral ou Carvalho-pardo-das-beiras é a árvore dominante, repetindo-se ao longo deste espaço natural. Mas não só, a zona está cheia de outras espécies arbóreas que preenchem a paisagem, podendo ser ainda mais apreciada neste mirante.

Observatório de aves

As aves são presença frequente no Barrocal, em qualquer altura do ano, ainda que a primavera seja naturalmente a época mais rica e com mais atividade pois coincide com o período reprodutivo e com o regresso de muitas espécies que regressam de um inverno passado em África.

Para os apreciadores, o local é perfeito para ouvir os cânticos das aves, ver os rituais de acasalamento, a construção dos ninhos e a azáfama pela procura de alimento.

Mas também o inverno traz algumas surpresas, visto que ainda é possível assistir à passagem de espécies pouco habituais, que aqui encontram refúgio e alimento, numa tentativa de fugir aos rigores do clima no Norte da Europa.

Granito do Barrocal

O Granito do Barrocal pertence ao maciço granítico de Castelo Branco, com uma área que se estende ao longo de 390 km2, estando rodeado de rochas metamórficas mais antigas, mais conhecidas por xistos.

Esta presença tão forte de granito terá resultado da fusão em profundidade de materiais constituintes da crusta terrestre enquanto se formava a cadeia de montanhas que deram origem ao supercontinente Pangeia.

Assim, o granito do Barrocal acabou por ser trazido à superfície da Terra, após centenas de milhares de anos a ser limado e retocado pela erosão, gota a gota, das águas subterrâneas.

O resultado é uma grande variedade de blocos, cada um mais diferente do que o outro, e uma união entre todos que surpreendem até os olhares mais exigentes.  

parque barrocal castelo branco
Fonte: Parque do Barrocal – vista para Castelo Branco

Flora local

No Parque do Barrocal, distinguem-se dois domínios florísticos bem demarcados, o continental, representado pelo Carvalho-negral, já aqui referido, pelo Sobreiro e Azinheira. No sub-bosque, encontram-se espécies aromáticas e melíferas como o Rosmaninho, plantas com bagas comestíveis até diversas plantas medicinais e condimentares, entre as quais o Hipericão e a Hortelã-brava.

Nesse sentido, ao percorrer o circuito pedestre criado poderá contemplar toda esta significativa diversidade botânica.

Fauna do Barrocal

Também os animais são presença no Parque ou não fosse este local exímio para que possam viver com a máxima tranquilidade e com toda a segurança, sem que a liberdade que todos merecem seja colocada em causa.

Exemplos dos magnânimos seres que lá se encontram são as aves noturnas, como corujas e mochos; os mamíferos, entre os quais se destacam o texugo, a raposa, o coelho-bravo, o ouriço-cacheiro e os morcegos.

O dia traz também à superfície do Barrocal o canto dos pássaros, como que dando os bons-dias a quem passa, sem esquecer as borboletas, as aves de rapina e até as delicadas cegonhas-brancas que cruzam os céus do Barrocal em repetidas viagens entre os seus ninhos urbanos e os campos onde se alimentam.

Informações úteis sobre o Parque do Barrocal

O Parque do Barrocal está aberto todo o ano, ainda que com horários diferentes. De 01 de outubro a 31 de março, das 10h às 17; de 01 de abril a 30 de setembro, das 09h às 20h.

Existem ainda algumas regras para quem visita o local e que devem ser respeitadas. Confira:

  • Proibido andar de bicicleta;
  • Seguir apenas pelos trilhos sinalizados;
  • Evitar barulhos e atitudes que perturbem a paz do local;
  • Proibido fumar;
  • Não fazer lume;
  • Proteger o Património Geológico – não colher amostras de rochas;
  • Observar as plantas sem colhê-las;
  • Observar a fauna sem perturbar;
  • Colocar o lixo nos locais a este destinado.
Veja também