ebook
           
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Patrocinado por Escola Virtual - Grupo Porto Editora
Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
03 Ago, 2022 - 11:00

Perfil hands-on: descubra se este é o seu tipo de perfil

Catarina Milheiro

A grande maioria das ofertas de emprego atuais tem pelo menos um aspeto em comum: a procura por profissionais com um perfil hands-on. Saiba tudo.

working

Já ouviu falar sobre o perfil hands-on? A verdade é que a procura por profissionais com este tipo de perfil tem vindo a crescer nos últimos tempos no mercado de trabalho.

À medida que o tempo passa, as empresas passam cada vez mais a valorizar quem “põe as mãos na massa”. Ou seja, o profissional que é produtivo e eficiente na sua função, que procura aprender constantemente e que facilmente se adapta a novas circunstâncias.

De facto, este tipo de pessoas são capazes de fazer crescer muito mais os negócios do que alguns profissionais comuns e, por esse mesmo motivo, as empresas valorizam bastante esta característica.

Ficou interessado? Saiba o que é um perfil hands-on, como se caracteriza, em que áreas é mais comum e descubra ainda a distingui-lo.

Tudo sobre o perfil hands-on

Ter um perfil hands-on significa ser aquele tipo de profissional que coloca as mãos na massa, que se aprofunda na sua atividade e que inclui, aprende, ensina e trabalha com os seus colegas.

Trata-se de um termo bastante utilizado pelas empresas em geral para designar alguém que é normalmente comunicativo, com uma vontade constante de querer aprender a fazer mais e melhor e uma postura de liderança, capaz de tornar assim a avaliação de processos possível e realista.

Para além de ter múltiplas competências, a mente de um profissional com perfil hands-on é aberta e disposta a absorver novos conhecimentos de forma contínua e natural.

“Sujar as mãos” e “vestir a camisola” fazem parte desta personalidade que batalha até onde for possível, aprendendo sempre com as vivências de cada processo. É por este mesmo motivo que os profissionais hands-on não se sentem inferiorizados se a empresa precisar ocasionalmente de um serviço que não faça parte das suas funções.

Afinal, a sua postura pró-ativa faz com que facilmente assumam cargos em diferentes áreas e que não se intimidem por terem que ir aprendendo a fazer – quase como um processo de aprendizagem de raiz, muitas vezes.

Outra característica interessante sobre os hands-on, é o facto de procurarem com frequência cursos e workshops que agreguem valor e que possam ser úteis para as necessidades da empresa onde trabalham.

networking profissional

Por que motivo é importante ter um profissional hands-on na empresa?

O mercado de trabalho está cada vez mais focado na contenção de custos e em fazer mais por menos. Assim, um profissional dinâmico, com energia e atitude para elevar os negócios é o que qualquer empresa procura.

Ter um perfil hands-on na organização, significa poder contar com alguém que está sempre disposto a aprender e que, por isso mesmo, enfrenta melhor as diferentes situações e necessidades da empresa – conseguindo-se adaptar ao cenário que possa surgir.

Atualmente, todos os profissionais que “põem as mãos na massa” são muito bem vistos em qualquer empresa. Afinal, hoje em dia os trabalhadores têm muito mais funções do que as que foram propostas na entrevista de emprego.

Ou seja, normalmente a dimensão do trabalho vai para além da descrição da oferta anunciada. E um perfil hands-on adapta-se perfeitamente a este tipo de situações, acabando mesmo por se destacar entre as pessoas que desempenham a mesma função.

Além disso, este tipo de profissionais também têm uma característica que o mercado de trabalho em geral aprecia bastante: estão constantemente a ter ideias novas para as mais diversas situações, sempre com um espírito de liderança nato.

No fundo, a produtividade é o que as empresas mais procuram nos candidatos e essa produtividade significa dinheiro no final do dia.

Como saber se tem o perfil hands-on

É importante referir que qualquer pessoa pode adotar o perfil hands-on. Contudo, nem todos os profissionais conseguem e não há problema nenhum nisso. Afinal, somos todos diferentes e não ter o perfil hands-on não vai fazer com que saia do mercado de trabalho. Existem várias formas de se destacar.

Mas se o objetivo é saber identificar este tipo de perfil, saiba que com determinação é possível fortalecer as suas habilidades e conquistar as características de um hands-on.

Características que destacam um profissional hands-on

1

Flexibilidade

Este profissional é certamente flexível. Isto quer dizer que ele sabe gerir bem as prioridades, fazendo sempre a coisa certa no momento certo.

Além disso, consegue atuar em várias frentes distintas, contribuindo com novas ideias e colaborando no desenvolvimento de diversas áreas e projetos à medida que vai participando neles.

2

Pró-atividade

Outra característica fundamental de um hands-on é o facto de serem proativos. Colaboradores com confiança para trabalhar e iniciativa, que não esperam que o chefe lhes dê outras indicações, destacam-se facilmente quando disputam por uma vaga de trabalho ou para subir de cargo.

Lembre-se que para se propor uma ação que ninguém solicitou, é necessário ser-se proativo – não esquecendo a questão das ideias inovadoras que também é crucial.

3

Responsabilidade – conseguir solucionar erros

O profissional hands-on coloca a responsabilidade daquilo que faz em si mesmo. Ou seja, não atribui os erros do seu trabalho a outras pessoas.

De facto, sempre que se depara com um erro, o hands-on vai tentar resolver, independentemente da área ou setor que o tenha apresentado. Neste momento, a hierarquia não tem grande relevância, mas sim a estabilidade da empresa.

Em que áreas é mais comum?

O perfil hands-on é procurado pelas empresas para as mais diversas funções. Na verdade, independentemente da função ou do cargo associados, com incentivo da empresa e alguma autonomia, o hands-on é capaz de motivar qualquer equipa e capacitar os outros para as mesmas habilidades.

No entanto, há sempre algumas áreas em que este tipo de profissional é mais requisitado:

  • Marketing;
  • Design Gráfico e Design de Comunicação;
  • Jornalismo;
  • Operários fabris;
  • Tecnologias de informação;
  • Engenharia informática;
  • Organizador de eventos;
  • Recursos Humanos.

A boa notícia é que, tal como a maioria das habilidades, também as do perfil hands-on podem ser desenvolvidas. Por isso, se gostaria de adotar este perfil ou de o desenvolver com a sua equipa, o melhor caminho é o incentivo e a valorização dessas qualidades.

Veja também