Ana Graça
Ana Graça
27 Mai, 2019 - 12:05
Mosquitos picadas álcool

Quem bebe álcool está mais sujeito a picadas de mosquito

Ana Graça

As picadas de mosquito causam comichão e desconforto e todos gostaríamos de as evitar. Será que o consumo de álcool pode ter alguma influência?

O artigo continua após o anúncio

Apesar de pequenos, os mosquitos podem ser perigosos. São várias as doenças e os desconfortos que as picadas de mosquito podem provocar. Vamos saber mais acerca da transmissão de agentes infeciosos através das picadas de mosquito, conhecer os seus sinais e sintomas, aprender a evitar as picadas de mosquito e saber como atuar no caso de ser picado.

Transmissão de agentes infeciosos por picadas de mosquito

Nos países com clima temperado, os mosquitos estão ativos nos meses mais quentes, ou seja, entre a primavera e o outono. Todavia, as alterações climatéricas têm alterado este padrão e tem-se verificado maior atividade de mosquitos em meses menos típicos.

Apenas as fêmeas fazem refeições de sangue de vertebrados, através da picada, na medida em que necessitam destas refeições de sangue para efetuar a postura dos ovos. Ao picarem, podem transmitir determinadas doenças, caso tenham desenvolvido o vírus no seu organismo.

Alguns sinais e sintomas podem manifestar-se entre 3 a 14 dias após a picada de um mosquito infetado, nomeadamente:

  • Mal-estar geral;
  • Forte dor de cabeça;
  • Febre;
  • Falta de apetite;
  • Dores musculares e articulares;
  • Lesões na pele.

Em algumas regiões do planeta, as picadas de mosquito constituem um sério problema de saúde pública, na medida em que os mosquitos podem estar infetados com vírus e outros microrganismos que podem ser transmitidos ao ser humano.

Exemplos de graves patologias transmitidas em exclusivo através das picadas de mosquito são a malária, a febre-amarela, o dengue e as encefalites virais. Felizmente, no nosso país, a grande maioria das espécies de mosquitos transmissoras destas doenças não foram encontradas, ou foram já erradicadas.

Transmissão de agentes infeciosos por picadas de mosquito

Picadas de mosquito e consumo de álcool: qual a relação?

São vários os fatores que podem tornar uma pessoa mais “apelativa” para os mosquitos, nomeadamente o tipo de sangue (pessoas com sangue tipo O apresentam probabilidade duas vezes maior de ser picado do que quem tem sangue tipo A), gravidez e temperatura corporal elevada.

Surpreendentemente, também o consumo de álcool parece ser um destes fatores, na medida em que alguns estudos recentes (com recurso a cerveja) mostraram que o etanol, substância presente nas bebidas alcoólicas e expelida através do suor, parece ser atraente para os mosquitos, nomeadamente para a espécie transmissora da malária.

O artigo continua após o anúncio

Em suma, o consumo de álcool leva a que determinadas substâncias sejam emanadas e, aparentemente, essas substâncias podem ser bastante atrativas para determinadas espécies de mosquitos, todavia, mais estudos são necessários para compreender quais as substâncias que aumentam o número de picadas de mosquito e quais as substâncias que repelem estes insetos.

Como evitar as picadas de mosquito?

Naturalmente, a forma mais eficaz de diminuir o risco de infeção por agentes transmitidos por mosquitos passa por não ser picado. Algumas destas medidas podem ajudar a evitar as picadas de mosquito:

1. Utilizar vestuário adequado: roupas largas e de cor clara, que cubram a maior área corporal possível;

2. Instalar redes mosquiteiras nas portas e janelas das habitações;

3. Em casa podem também ser utilizadas velas e incensos repelentes;

4. Aplicar repelentes de insetos nas áreas descobertas do corpo. É importante que o repelente escolhido não seja tóxico e seja eficaz, sobretudo em crianças. Para tal, importa procurar aconselhar médico e farmacêutico;

5. Evitar frequentar locais com abundância de mosquitos, sobretudo nos períodos do entardecer, noite e amanhecer;

6. Em caso de viagem para fora do país, informar-se, numa consulta de saúde do viajante, acerca da necessidade de vacinação contra determinadas doenças.

O artigo continua após o anúncio

Nas circunstâncias em que não for possível evitar as picadas de mosquito, é importante que:

a) Lave bem a área afetada, com água e sabão, neutro para evitar infeções;

b) Aplique gelo sobre a picada (não diretamente na pele), de forma a aliviar a dor, o desconforto e a sensação de calor;

c) Evitar coçar a picada, de forma a prevenir o surgimento de feridas ou infeções secundárias;

d) Consultar o médico perante a presença de alterações, nomeadamente perante a presença dos sinais e sintomas acima descritos.

Como evitar as picadas de mosquito?

Em suma,

Se alguns de nós se sentem alvos preferenciais para os mosquitos, outros parece que nunca são afetados. Quem nunca se questionou porque é que alguns de nós são picados de forma constante e outros completamente ignorados?

Surpreendentemente, estudos recentes têm mostrado uma certa preferência dos mosquitos por quem consome álcool, no entanto, há fatores que parecem ser muito mais preponderantes, como o tipo sanguíneo. Apesar destes dados, não há qualquer indicação para abolir o consumo de álcool no dia-a-dia ou em viagem. Importa, acima de tudo, utilizar repelente para manter os mosquitos afastados, bem como pôr em prática outras medidas de proteção anteriormente enumeradas.

Veja também