Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Sara Piteira Mota
Sara Piteira Mota
09 Mar, 2017 - 10:50

Portugueses garantem que preço do combustível não afeta uso do carro

Sara Piteira Mota

Para a maioria dos portugueses o carro é o único transporte. Como tal, quando abastecem o veículo não olham para o preço do combustível, pois precisam de se deslocar.

Portugueses garantem que preço do combustível não afeta uso do carro

Passar por um posto de gasolina para encher o depósito é algo usual na maioria dos países, mas financeiramente a experiência pode ser bem diferente dependendo de onde se encontrar. Em Portugal, o preço do combustível é um dos mais caros da Europa, mas nem mesmo isso afasta os portugueses de abastecer o carro. A explicação é simples. É que para a maioria dos portugueses o carro é o principal transporte para se deslocarem.

Segundo o estudo do Observador Cetelem, a evolução do preço do combustível não tem consequências na utilização que 57% dos portugueses fazem do automóvel. Ou seja, mais de metade circula com o carro independentemente das alterações nos valores do petróleo.

Portugal dos países mais afetados

No entanto, o valor elevado dos combustíveis já tem um certo peso na utilização que os condutores fazem do automóvel. De acordo com o estudo, 43% dos portugueses admitem que, por norma, desfrutam mais da viatura quando o preço do combustível está baixo.

Em comparação com os restantes países, Portugal é dos mais afetados pelo preço do combustível. Reino Unido (84%), Bélgica (81%), Alemanha (76%), França (76%) e Estados Unidos (76%) são os países onde os valores cobrados pelo combustível menos afetam a circulação automóvel. Aliás, os condutores mostram-se indiferentes a este fator.

placeholder-1x1

Pedro Ferreira, diretor da área automóvel do Cetelem, sublinha que “muitos portugueses utilizam o automóvel como a sua forma principal de transporte. Isto significa que, seja qual for o preço do combustível, vão abastecer o veículo, pois precisam de se deslocar”. No entanto, do ponto de vista económico e da poupança, “o consumo é um aspeto essencial para os condutores nacionais, como podemos observar pela sua clara preferência pelo diesel em relação à gasolina”, acrescenta o responsável.

As análises e previsões deste estudo foram realizadas em colaboração com a empresa de estudos e consultoria BIPE e os inquéritos foram realizados pela TNS Sofres, em junho de 2016, em quinze países. No total, foram inquiridos mais de 8.500 proprietários de automóveis.

Preço do combustível em Portugal é dos mais caros da Europa

Ainda que a gasolina seja um produto globalizado e vendido no mundo inteiro, as condições que determinam o preço em cada país são bem distintas, assim como as possíveis repercussões de um súbito aumento deste.

De acordo com os últimos dados da Direção-Geral de Energia e Geologia, avançados em 2016, Portugal ocupa o oitavo lugar na lista dos países com combustíveis mais caros da Europa. O gasóleo subiu quatro posições e a gasolina uma.

No o último relatório de Bruxelas, divulgado no final do ano passado, depois de impostos, o preço médio da gasolina 95 octanas praticado em Portugal era o sexto mais caro em toda a União Europeia. Já o gasóleo ocupava a 9ª posição entre os 28 países do espaço comunitário. Os mesmos dados mostram que a fiscalidade é o fator que mais pesa nos preços dos combustíveis em Portugal. Se forem retirados os impostos, o diesel desce para o 20º lugar do ranking europeu enquanto a gasolina diminui para a 14ª posição.

Veja também: