Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Assunção Duarte
Assunção Duarte
25 Mai, 2018 - 12:12

7 previsões de Steve Jobs que foram visionárias

Assunção Duarte

Décadas depois de uma lendária entrevista à revista Wired, descubra algumas das previsões de Steve Jobs que foram um tiro certeiro e surpreenda-se.

7 previsões de Steve Jobs que foram visionárias

Passados mais de 20 anos de uma lendária entrevista, as previsões de Steve Jobs, feitas em 1996 à revista Wired revelaram-se surpreendentemente verdadeiras – a publicação aborda temas sobre tecnologia, ciência, entretenimento e o seu efeito nas sociedades e culturas humanas. Ora, repare como estavam certas e lembre-se que foram feitas antes de ter aparecido o iPhone, a Amazon e mesmo a Google.

7 previsões de Steve Jobs que o tornaram um vidente tecnológico

O americano Steve Jobs, o famoso co-fundador da Apple Inc que faleceu em 2011, é hoje conhecido por ter revolucionado indústrias e mercados e por ter mudado o mundo graças às suas empresas e produtos.

Falamos da indústria dos computadores pessoais com os Mac da Apple, da indústria do entretenimento com a Pixar, da indústria da música com o iPod e o iTunes, do mercado dos tablets e dos telefones como o iPad e o iPhone, e do setor das publicações digitais – que teve de se adaptar, e muito, para conseguir criar conteúdos adaptados a todos estes produtos revolucionários.

Descubra quais foram as suas visões incríveis sobre a Internet e a tecnologia, feitas em 1996, e que se revelaram certeiras.

steve jobs

1. A Internet vai estar em todo o lado

O que Steve Jobs disse: “Vai haver acesso à web em todo o lado. E qualquer coisa que seja omnipresente se torna interessante.”

Hoje em dia, esta é uma realidade ainda mais evidente com os acessos via smartphone. Mesmo nas regiões mais remotas, desde que haja humanos, é muito provável que se consiga em algum lado um acesso à web.

E Steve Jobs foi mais longe, disse ainda que, numa altura em que os computadores de secretária ainda eram reis, o acesso à Internet seria uma das razões mais atraentes para a maioria das pessoas quererem comprar um computador. Hoje, essa é a razão para muitos comprarem um smartphone.

2. O comércio online vai crescer

O que Steve Jobs disse: “As pessoas vão deixar de ir a muitas lojas. Elas vão comprar as coisas na web.”

A confirmar esta previsão estão os números que mostram, a cada a ano, o crescimento do comércio online através de gigantes de vendas online como a Amazon.

Cada vez mais, as lojas físicas são utilizadas apenas para experimentar os produtos, sendo a compra efetiva feita através de cliques na Internet, com recurso a meios de pagamento também eles mais adaptados ao comércio no mundo virtual.

3. As grandes empresas têm de se adaptar

O que Steve Jobs disse: “A web será como um daqueles grandes fatores de mudança que as empresas costumam enfrentar em cada nova década. Nesta década, nos próximos 10 anos, o desafio vai ser a web.”

Para Steve Jobs, nenhuma grande empresa poderia ignorar a Internet sem correr o risco de ruir. E o que é verdade é que muitas empresas e setores ficaram irremediavelmente abalados, como o setor livreiro e o da música.

Hoje, é claro para todos que qualquer negócio ou empresa tem de ter uma existência online para conseguir vender os seus serviços ou produtos.

4. A Internet vai livrar-se dos intermediários

O que Steve Jobs disse: “A melhor forma de pensarmos a web é como um canal de distribuição directa com o cliente, quer seja para informação ou comércio. Ela vai ignorar o intermediário. E, ao que parece, há muitos intermediários na nossa sociedade. E eles geralmente tendem a fazer com que as coisas demorem mais tempo, se deteriorem e fiquem mais caras.”

Esta previsão já quase aniquilou grandes empresas de comunicação jornalística, ajudou a criar pequenos grandes negócios online e está a ganhar cada vez mais força com o crowdfunding, em que as pessoas apoiam e financiam produtos ou serviços que querem ver construídos ou feitos.

5. Armazenamento será online

O que Steve Jobs disse: “No momento em que eu viver primeiramente num mundo ligado versus um mundo desligado, vão aparecer novas opções e metáforas. Eu realmente já não armazeno quase nada. Eu uso muito e-mails na web e com tantos e-mails eu nunca vou precisar gerir os meus armazenamentos. A minha nova maneira favorita de me lembrar de fazer as coisas é mandando um e-mail para mim mesmo, essa é a minha memória.”

Ainda não falava de uma Cloud ou de uma Google Drive, mas todo o conceito de guardar online já lá estava. Actualmente, quase todos os servidores de armazenamento são baseados em servidores de Internet e cada vez mais empresas e pessoas guardam os seus dados e softwares de trabalho na nuvem.

6. O adeus aos computadores de secretária

O que Steve Jobs disse: “O mercado dos computadores de secretária entrou na idade das trevas e aí vai permanecer pelo menos nos próximos 10 anos. Até que haja alguma mudança fundamental da tecnologia, vai demorar.”

Os computadores de secretária ainda não morreram e estão longe disso – pelo menos no mundo empresarial -, mas não há dúvida que as suas vendas caíram vertiginosamente e que a inovação tem estado a ser feita pelos notebooks, ultrabooks e smartphones, que são cada vez mais poderosos e atraentes para os novos consumidores de informática. Há até quem diga que o fim do Mac está para breve.

7. A informação será em excesso

O que Steve Jobs disse: “A maioria das pessoas vai ter muito mais informação do que vai poder assimilar.”

Essa é, exatamente, a situação que hoje se vive: uma sobrecarga de informação que já começou a criar alguns problemas e stress para a sua gestão, tratamento e armazenamento.

Problemas não apenas tecnológicos, mas também de cariz humano – com as doenças físicas e psicológicas associadas ao estar ligado em permanência à web e que só agora se começam a revelar.

Veja também: