Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
13 Mai, 2018 - 00:00

Tem algum destes 3 problemas comuns com roommates?

Teresa Campos

A coabitação é um desafio e há que cumprir regras. Mas, e quando tal não acontece? Lizzie Post partilhou algumas dicas sobre como resolver 3 problemas comuns com roommates.

Tem algum destes 3 problemas comuns com roommates?

A limpeza e a desarrumação são os itens mais sensíveis na hora de partilhar uma casa. Os hábitos de organização variam de pessoa para pessoa e isso torna-se evidente num espaço partilhado por duas ou mais pessoas. O segredo está em partilhar expectativas, definir regras e, claro, conversar ao mínimo sinal de que algo não está a ser cumprido. Evitar o confronto é, segundo Lizzie Post – a autora deste argumento -, a chave para o sucesso. Saiba como lidar com 3 problemas comuns com roommates e partilhe as dicas com os seus colegas de casa.

3 problemas comuns com roommates: sabe quais são?

problemas com roommates

1. Manter a casa limpa

A questão da limpeza da casa pode ser uma problemática sensível e facilmente geradora de conflitos. Isto, porque o conceito de sujidade e desarrumação varia de pessoa para pessoa e aquilo que uma colega faz pode, rapidamente, ser interpretado como uma afronta para si.

Primeiro, é preciso aceitar que os hábitos de limpeza variam de pessoa para pessoa e não são, necessariamente, uma forma de desrespeito por ninguém. Este é o primeiro passo para encetar a conversação e tentar chegar a um modelo de limpeza aplicável ao espaço e confortável para todas as partes envolvidas. Faça um plano de limpeza que todos aceitem e que deva ser cumprido por todos. Sempre que tal não aconteça, reúna novamente e façam os reajustes necessários.

Se não houver unanimidade ou se as outras partes não se mostrarem mesmo disponíveis a participar nestas tarefas domésticas, equacionem a possibilidade de contratar um serviço de limpeza doméstico, capaz de satisfazer as vossas necessidades e, talvez, esse gasto financeiro se justifique a bem da harmonia do lar.

Ver empresas de limpeza doméstica no Porto >>

Ver empresas de limpeza doméstica em Lisboa >>

2. Partilhar os espaços comuns

Se os quartos são os reinos individuais de cada habitante, as áreas comuns – como as cozinhas e as casas de banho – podem tornar-se numa espécie de zona “não governada” e, logo, numa verdadeira anarquia. Se, entre estes espaços, há zonas onde podem coabitar várias pessoas simultaneamente, como é o caso da cozinha, já o WC levanta outro tipo de problemas – principalmente se a casa só tiver um disponível.

A melhor solução é iniciar, tranquilamente, uma conversa, onde pode propor um horário, de forma a que as idas mais demoradas à casa de banho – por exemplo, para tomar banho – sejam levadas a cabo em momentos em que a pessoa esteja sozinha em casa e, assim, garantidamente, mais ninguém precisará de usar o WC. Não se esqueça que, também aqui, tomar a iniciativa de uma conversa calma, direta e até bem humorada é meio caminho para obter as mudanças e os resultados que pretende.

3. Dividir e limpar o frigorífico

Há dois tipos de pessoas: as que limpam o frigorífico e as que deixam o iogurte estragar-se na prateleira do fundo durante 6 meses.

Se só existe um frigorífico na casa, isso significa que ele deve ser dividido entre todos e a melhor forma de o fazer é atribuir uma prateleira a cada pessoa. Além disso, é fundamental definir regras. Se tiver ficado sem leite, pode beber um pouco do pacote do seu colega? Se há pessoas que o aceitam sem problemas, há outras que podem ficar bem irritadas por terem mexido nas suas coisas, logo este é também um aspeto da máxima importância que deve ser falado e definido.

O mesmo é válido para a limpeza do frigorífico. Para evitar que algum colega deixe um produto apodrecer no frigorífico e, assim, deixar um péssimo odor no eletrodoméstico que, afinal, é partilhado por todos, defina um dia por mês para todos, em conjunto, fazerem uma limpeza e arrumação geral do frigorífico.

São apenas 3, mas quem partilha casa sabe o quanto estes problemas comuns com roommates podem gerar conflitos insanáveis e, muitas vezes, acabar mesmo com longas relações de amizade. Porque queremos, acima de tudo, contribuir para a harmonia e bem estar de todos os lares, sem exceção, esperamos que ponha em prática os conselhos que deixámos e não se esqueça que o diálogo é sempre o melhor caminho para resolver os problemas comuns com roommates.

Veja também: