Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Pedro Andersson
Pedro Andersson
04 Fev, 2020 - 10:06

Quanto pagou de comissões bancárias em 2019?

Pedro Andersson

Veja os extratos de comissões das suas contas. Pode surpreender-se com o valor absurdo, em muitos casos, que está a pagar só para ter uma conta aberta.

Pedro Andresson

Vou desde já abrir o “jogo” e dizer-lhe quanto paguei em comissões bancárias em 2019. Foram 124,28 €. Uma brutalidade. Paguei 83,72 € na Caixa Geral de Depósitos e 40,56 € no BCP. E você, quanto pagou em comissões bancárias no ano passado?

Esta pergunta é muito importante porque provavelmente é o que vai voltar a pagar este ano de 2020. Bem, neste caso isso seria ser optimista, porque o mais provável é que muitas delas aumentem e você nem vai dar por nada.

Mas como é que eu sei quanto paguei em comissões?, perguntará e muito bem. Numa situação normal teria agora de ir vasculhar os seus extratos de conta dos últimos 12 meses e andar a “catar” linha a linha quanto pagou. Mas é muito mais simples do que isso. Basta ir ao seu homebanking, ao seu e-mail ou à app do seu banco. Está lá tudo e não vai ter trabalho nenhum.

O extrato de Comissões

Homem a analisar extrato de comissões

O Banco de Portugal obriga todos os bancos a enviar aos clientes (sem exceção) em Janeiro de cada ano, um documento exclusivo com todas as comissões detalhadas que o cliente pagou no ano anterior incluindo as anuidades dos vários cartões de débito e de crédito que tem. Com todo o pormenor. Linha a linha.

É que você pode não saber quanto pagou, mas eles sabem muito bem quanto receberam. É o negócio deles.

Ao olhar para este documento – que de certeza já recebeu, a menos que o seu banco não tenha cumprido a lei – fica a perceber claramente para onde está a ir o seu dinheiro e porque é que os bancos recebem tantos milhões em comissões. Todos os meses são muitos milhões de euros que saem das nossas contas enquanto dormimos e passam para a conta dos bancos. E nem damos por nada.

Esteja atento e, em caso de dúvida, contacte a sua instituição para saber onde pode encontrar este documento. Chama-se mesmo “Extrato de Comissões“.

Pago comissões (e não são poucas) na CGD porque não posso fechar a conta devido a ter lá o crédito à habitação. Tenho de pagar a anuidade do Cartão de crédito (obrigatório para manter o spread) e do multibanco. Fiz algumas transferências que na altura não podiam esperar até chegar a um multibanco e lá foram 80 euros.

No BCP, paguei as anuidades dos cartões de débito e lá foram mais 40 euros. São uma exceção e estou a ponderar seriamente fechar as contas no BCP e concentro tudo na Caixa, já que essa não me interessa fechar. Em todos os outros bancos (e tenho contas em mais 5 bancos) pago ZERO. Zero absoluto. Nem de cartões nem de comissões. Portanto, é possível ter contas nos bancos e não pagar nada. Só tem de se mexer.

Lanço-lhe este desafio: Veja os seus Extratos de comissões de todas as suas contas bancárias (e as dos seus pais e avós) e verifique quanto está a pagar. Os mais distraídos vão ficar surpreendidos com o valor absurdo, em muitos casos, que estão a pagar só para ter uma conta aberta. E sem necessidade, porque há bancos igualmente seguros e GRÁTIS.

Já encontrei casos de pessoas que estão a pagar 130 e 140 euros por ano só em comissões e que não faziam a mínima ideia. Só para ter um termo de comparação, para receber 130 euros em juros limpos de uma conta a prazo atualmente teria de ter 500 mil euros no banco. É desta desproporção que estamos a falar.

Vai encontrar nesse documento estas informações:

  • A comissão unitária cobrada por cada serviço e o número de vezes que o serviço foi utilizado;
  • O montante total das comissões cobradas para todos os serviços prestados durante o ano anterior;
  • A taxa de juro aplicada à facilidade de descoberto, se a tiver contratado, ou a eventuais ultrapassagens de crédito, e o montante total dos juros cobrados;
  • A taxa de juro remuneratória aplicada à respetiva conta à ordem, se existir, e o montante total dos juros auferidos.

Se considerar que é demais o que está a pagar, pondere as várias alternativas. Às vezes até dentro do mesmo banco pode conseguir mais barato subscrevendo determinados pacotes, caso faça por exemplo muitas transferências. Cada caso é um caso.

Mas mesmo que não queira fazer nada, pelo menos tenha consciência do valor em comissões que está a pagar. Seja um cliente bancário informado. Eles não estão a fazer nada de ilegal. Está tudo nos preçários. E a lei não impõe nenhum limite. A única coisa que a lei diz é que têm de avisar primeiro os clientes. Mas saiba que tem alternativas. Use-as em seu benefício.

Não se esqueça de que 100 euros são talvez duas faturas de eletricidade ou quase metade do seguro do carro ou 2 ou 3 meses de condomínio. É dinheiro que fica no seu bolso para gastar como entender e não como eles querem que o gaste (muitas vezes sem você dar por nada).

Veja também