ebook
           
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Patrocinado por Escola Virtual - Grupo Porto Editora
Ana Araújo
Ana Araújo
17 Mar, 2022 - 11:32

5 razões para não fazer um piercing

Ana Araújo

Há alguns riscos associados aos piercings – alguns que muita gente desconhece. Descubra 5 razões para não fazer um piercing.

razoes-para-nao-fazer-um-piercing

Se tem vontade, mas ainda está na dúvida, espreite algumas razões para não fazer um piercing – são riscos associados que existem, de facto, e aos quais devemos estar atentos. Para toda decisão, uma balança dos prós e contras cabe sempre bem.

Infeção, abcesso, dificuldade em comer, possíveis alergias, etc. Estes são alguns dos perigos associados aos piercings. Contudo, se está mesmo decidido a fazer um, é importante que tenha em conta alguns fatores – a tomar antes, durante e depois.

Analise e reúna informação para que, previamente e antes de qualquer decisão sobre o profissional escolhido, possa fazer um exercício de comparação. De preferência, deve ainda visitar o espaço antes de fazer o seu piercing, a fim de verificar as condições de higiene.

De seguida, quando for fazer o furo, certifique-se que o profissional usa luvas e máscara, e assegure que os materiais são descartáveis ou esterilizados. Tome nota dos cuidados de higiene que deve ter depois, já em casa, que devem ser fornecidos pelo profissional que o atende. Medidas como estas podem mesmo evitar problemas como infeções.

Agora, passemos aos riscos de fazer um piercing, que podem nos levar a desistir da ideia.

5 razões para não colocar um piercing (e cuidados a ter)

fazer-piercing
1.

Estragar os dentes

Piercings na língua ou nos lábios contribuem para estragar os dentes. Em parte, porque aumentam o risco de infeções e feridas na boca.

Sendo a boca um local rico em bactérias – chegando a reunir mais de 300 tipos -, muitas acabam por ser prejudiciais para as gengivas.

Por outro lado, um piercing no lábio acaba por desgastar os dentes, podendo fazer com que estes fiquem lascados ou mesmo partidos.

2.

Influência na imagem profissional

Sim, o impacto deste acessório é uma realidade em muitos contextos laborais e, por isso, esta pode ser uma das boas razões para não colocar um piercing.

Um estudo do site Career Builder revelou que, chegada a hora de promover um colaborador, a entidade empregadora tem em consideração a aparência profissional. Ou seja, não basta fazer bem o seu trabalho e saber liderar equipas, a forma como se veste também vai influenciar a perceção que têm de si.

Dos dois mil gestores de recursos humanos entrevistados, 32% provavelmente não iria dar a promoção a um colaborador com piercings. Em muitas empresas, mesmo não existindo um dress code definido, há certos tipos de roupa que não se adequam ao local de trabalho e que podem fazê-lo “ficar mal” perante os seus colegas e empregadores.

Quer concorde, que discorde, a verdade é que deve ponderar o impacto de um piercing visível, tendo em conta a sua profissão.

3.

Possíveis reações alérgicas

Outra recomendação importante antes de fazer um piercing é verificar se o seu boletim de vacinas está atualizado. Isto porque há a possibilidade do piercing desencadear uma reação alérgica. Nesse sentido, é importante que a sua vacina do tétano esteja atualizada.

Convém ter em consideração que há certas áreas do corpo que são mais suscetíveis a desenvolver alergias, entre as quais: boca, órgãos genitais, mamilos e cartilagem.

4.

Possíveis infeções

Ao decidir, por exemplo, fazer um piercing na língua, deve ter em conta as infeções a que pode estar sujeito, isto porque quando faz um piercing está a criar uma porta de entrada para as bactérias. As mais comuns ocorrem nas gengivas, podendo desencadear uma periodontite ou gengivite.

Por outro lado, o umbigo, por ser uma das zonas menos higiénicas do corpo, é outro local muito suscetível a desenvolver infeções. A verdade é que a maioria das pessoas tem o chamado “umbigo para dentro” e, estando esta zona protegida pela roupa, acaba por tornar-se facilmente um local ideal para a reprodução de bactérias. Para além de tudo, é uma zona na qual, mesmo no banho, se torna difícil fazer uma correta higiene.

5.

Outros problema mais graves

Ainda que não seja tão frequente, por vezes, podem ocorrer situações mais graves, como o caso de doenças transmitidas pelo sangue. Estas situações são perfeitamente evitáveis, desde que se encontrem asseguradas as condições de higiene adequadas, nomeadamente a utilização de materiais esterilizados e descartáveis.

Contudo, sempre que possível, antes de fazer o piercing consulte o seu médico para que este o possa informar sobre os principais riscos e cuidados a ter após colocar o piercing.

Veja também