Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Pedro Andrade
Pedro Andrade
18 Jun, 2017 - 10:00

Conheça as razões pelas quais nunca deve engolir água da piscina

Pedro Andrade

Há mesmo razões pelas quais nunca deve engolir água da piscina. Pela sua saúde, descubra os cuidados que deve ter e previna-se!

Conheça as razões pelas quais nunca deve engolir água da piscina

Existem diversas razões pelas quais nunca deve engolir água da piscina. Acredite, a sua saúde agradece a não ingestão dessa fonte de H2O.

Sabe mesmo o que está na água da piscina?

Desengane-se se acredita que a presença de cloro basta para tornar a água das piscinas completamente segura. Apesar de existir uma diretiva em Portugal que obriga a água das piscinas públicas a ser filtrada e desinfetada com cloro, ozono ou bromo, a verdade é que ninguém está livre de perigo.

De acordo com especialistas citados pelo site WebMD, a quantidade de germes e bactérias introduzidas na piscina assim que o corpo humano entra em contacto com a água basta para travar grande parte do efeito protetor do cloro.

Urina e fezes na água da piscina? Claro que sim!

Vamos a casos práticos. Costuma ficar com olhos avermelhados e irritados depois de entrar em piscinas? Esse não é um efeito do cloro, mas sim da mistura de cloro e de urina.

Mas também é certo que a água das piscinas concentra uma grande quantidade de fezes. De acordo com alguns estudos, cada pessoa adulta leva para a água das piscinas 0,14 gramas de fezes, suor, uma chávena de urina e mil milhões de micróbios da pele – aqui tem muitas razões pelas quais nunca deve engolir água da piscina.

Vamos a mais dados? Cada criança transporta para a água da piscina 10 gramas de fezes. Se pensarmos num parque aquático onde estejam, por exemplo, 1000 crianças, a água das piscinas terão 10 quilos de fezes prontas a entrarem em contacto consigo.

E.coli e Legionella? Sim, é possível

Mas existem mais razões pelas quais nunca deve engolir água da piscina. Bactérias da E.Coli, Legionella e Norovírus (que provoca gastroenterites) também podem ser encontradas nesses locais e podem deixá-lo doente se tiver o azar de beber desta água antes do cloro ter tempo de atuar e aniquilar os germes.

Mas há mais. E as notícias não são animadoras: se o cloro é capaz de proteger o ser humano de um sem número de bactérias presentes na água das piscinas, a verdade é que é ineficaz contra os parasitas responsáveis pela criptosporidíase, que provoca gastroenterites e diarreias.

Dicas úteis

Para evitar propagações de germes e bactérias na água das piscinas, é aconselhável que as crianças sejam levadas à casa de banho com bastante regularidade (para que não urinem dentro de água) e que a muda das fraldas seja sempre feita nos sanitários e não junto à piscina. Os especialistas alertam ainda para a importância da lavagem das mãos para evitar a passagem de germes para outras pessoas.

Veja também