Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
19 Nov, 2020 - 10:23

Reumatismo: uma doença incapacitante que deve controlar

Teresa Campos

O reumatismo engloba várias doenças, todas elas associadas a dor nas articulações e nos músculos do corpo. Saiba mais sobre este problema de saúde.

Mulher com dores nas costas

Entende-se por reumatismo as diversas doenças que afetam as articulações e os músculos do corpo. No geral, estas são doenças degenerativas, associadas ao envelhecimento. Mais de 25% dos portugueses, maioritariamente as mulheres, sofrem com dores relacionadas com o reumatismo. Em cerca de 10% dos casos, este problema pode revelar-se grave e até incapacitante.

Cada uma das mais de 150 doenças reumáticas tem um diagnóstico e tratamento próprios. Apesar de, como dissemos, o reumatismo estar muito associado ao avançar da idade, ele também pode atingir crianças e jovens, como é o caso de doenças como a artrite reumatoide, o Lúpus eritematoso sistémico ou a espondilite anquilosante.

Reumatismo: uma designação para várias doenças

Embora exista uma grande variedade de doenças relacionadas com o reumatismo, elas têm algumas caraterísticas comuns, como serem dolorosas; crónicas; incapacitantes; e invisíveis a olho nu.

Apesar de muitas vezes não terem cura, estas patologias carecem de diagnóstico e de avaliação médica, de modo a aliviar a sintomatologia associada e a melhorar a qualidade de vida dos doentes.

Algumas doenças reumáticas mais comuns

Sintomas

No geral, as diversas doenças ligadas ao reumatismo causam dor, a qual pode variar de intensidade ou de localização. Podem ainda distinguir-se dois tipos de dor: a inflamatória (mais comum de manhã, ao acordar) e a mecânica (causada por um esforço sobre a articulação).

Além da dor, é comum surgir calor e inchaço das articulações e sensação de fraqueza ou rigidez em ações básicas do quotidiano como o abotoar de uma camisa. Em alguns casos, pode haver ainda lugar a fadiga e a mal-estar generalizado.

Causas

Como já referimos, na maioria dos casos, o reumatismo manifesta-se devido ao envelhecimento do aparelho locomotor (artrose e osteoporose).

Porém, há doenças reumáticas que podem ser do foro inflamatório (artrite reumatoide e espondilite anquilosante); infecioso; imunológico (Lúpus eritematoso sistémico e esclerodermia); metabólico (gota); ou genético.

médico a examinar joelho de paciente

Diagnóstico e tratamento

Como já adiantámos, cada doença reumática deve ter um diagnóstico e tratamento próprios. Para isso, é importante que o médico especialista conheça a história clínica do paciente, o observe e requisite algumas análises laboratoriais, assim como exames de imagiologia.

Apesar de normalmente não terem cura, há terapêuticas que contribuem para melhorar a qualidade de vida dos doentes com reumatismo. Estes tratamentos vão variar de doença para doença e de paciente para paciente.

Além de medicamentos, dispositivos de contenção e cirurgia, o reumatologista pode aconselhar repouso, exercício físico adequado, uma alimentação saudável, fisioterapia e hidroterapia. Entre os fármacos mais commumente prescritos estão os analgésicos, os anti-inflamatórios, os corticoides ou os medicamentos biológicos.

É também essencial não sobrecarregar o aparelho locomotor, nem as articulações afetadas. Para isso, devem fazer-se exercícios que melhorem a mobilidade e evitem o sedentarismo.

Diagnóstico de osteoporose
Veja também Osteoporose: será o estilo de vida um fator de risco?

Prevenção

Tendo em conta as diversas causas do reumatismo, infelizmente nem sempre é possível evitar este problema de saúde. Porém, há medidas que podem atenuar os seus sintomas.

É sempre recomendável fazer uma dieta saudável, controlar o peso, combater o sedentarismo e adotar uma postura corporal correta. Por vezes, há ainda que rever o calçado e o colchão utilizados.

Outra medida essencial é não se acomodar à dor e consultar um especialista sempre que sentir incómodo ou desconforto numa articulação por mais de duas semanas. O diagnóstico precoce de uma doença reumática pode evitar a sua progressão e agravamento, sendo por isso muito importante a avaliação por um médico.

Nunca se esqueça que, mesmo sem cura, a dor, sempre associada ao reumatismo, pode ser bastante controlada e atenuada, se a situação for devidamente vista por um clínico. Assim, não desista de ter uma boa qualidade de vida e procure ajuda junto de um profissional de saúde, apto para tratar este género de problemas.

Veja também