Bárbara do Carmo
Bárbara do Carmo
07 Ago, 2019 - 04:43
Peru: viagem inesquecível ao umbigo do mundo

Peru: viagem inesquecível ao umbigo do mundo

Bárbara do Carmo

De Lima, à Amazónia peruana, em Iquitos, até Cusco e o mítico Machu Picchu, terminando no lago mais alto do mundo, o Titicaca. Visitar o Peru é obrigatório.

O artigo continua após o anúncio

Para organizar uma viagem ao Peru é necessário saber que não pode visitar tudo, a não ser que tenha no mínimo um mês disponível. Há várias zonas de interesse, que ficam em pontos diferentes do país e às quais não se chega com facilidade devido à altitude.

Percorrer uma distância de 60 quilómetros pode demorar até 5 horas. Por isso, vá com calma, defina o que quer visitar e que tipo de viagem quer fazer e desfrute com muita  tranquilidade.

Visitar o Peru implica visitar Machu Picchu e Cusco (ou Qosco, na ortografia tradicional, que na linguagem quéchua significa umbigo do mundo) por isso organizamos dois roteiros possíveis que têm esta paragem obrigatória no caminho.

Peru: Lima, Iquitos e Cusco


Começar a incursão ao Peru pela capital é a melhor maneira de arrancar a sua exploração. Lima é uma cidade cosmopolita, cheia de história e com a melhor comida da América do Sul. Na verdade, é aqui que se concentram alguns dos mais conceituados restaurantes do Mundo, como o Central (o 5º melhor do mundo, segundo The World’s 50 Best Restaurants), cujos menus prometem ser uma viagem a todos os ingredientes e especialidades do país numa perspectiva latitudinal, desde o fundo do mar, ao cume das montanhas andinas.

O Maido, o 6º melhor do mundo, promete uma viagem pela comida de fusão, numa mescla entre a comida peruana e japonesa, para além do Astrid y Gaston, outra referência da gastronomia mundial. Para além desta experiência de topo, há imensos bares e pequenos restaurantes que oferecem a preços bem acessíveis o melhor da comida peruana, a começar no ceviche e a terminar lomo saltado ou no Rocoto Relleno, que nada mais é do que um pimentão recheado cheio de sabor.

Para além de uma visita pela Lima gastronómica, vale a pena fazer um free walking tour pela capital e descobrir as história e segredos da cidade, bem como assistir ao pôr do sol no Malecón, e dar um pezinho de dança num dos muitos bares do bairro Miraflores e Barranco, os bairros que concentram mais a movida noturna da capital peruana.

Iquitos e a Amazónia peruana

Depois de dois dias em Lima, o suficiente para explorar a cidade, apanhe um avião rumo a Iquitos, e emaranhar-se na selva amazónica peruana.

Iquitos é bem diferente de Lima e o impacto será grande, é uma cidade que vive essencialmente da pesca e por isso comece logo por uma visita ao Mercado de Belén e surpreenda-se com tudo o que se vende por lá, como carne de tartaruga e remédios para tudo feitos a partir de flores tropicais.

O artigo continua após o anúncio

Mas acima de tudo aventure-se pela selva. Existem várias agências que fazem tours de 2, 3 ou mais dias pela selva. Acredite que vale bem a pena encontrar uma que o guie nesta incursão. Animais exóticos e uma experiência inesquecível sobre o rio Amazonas é o que pode esperar. 

De Iquitos, apanhe o avião até Cusco. A viagem demora cerca de 1h30 e chegar a Cusco é chegar a um paraíso na terra. A cidade, situada aos pés dos Andes peruanos, é pitoresca, digna de cenário de filme de Hollywood. Demore-se em caminhadas pelo centro histórico e vá provando os pratos típicos da região, como o porquinho da índia assado.

Explore as redondezas do Vale Sagrado – Pisac (e o mercado tradicional que merece uma visita para uns souvenirs), Urubamba e Ollantaytambo, admire a paisagem do trilho da Montaña de Colores e inclua uma visita  às Salineras de Maras e traga um pouco de sal cor de rosa.

Depois de explorar o umbigo do mundo, está na hora de rumar a Machu Picchu e deixar-se apaixonar pelas construções que são a verdadeira a imagem de marca do Peru. 

Lago Titicaca

A segunda proposta que lhe deixamos, passa por Lima, Cusco e Matchu Pitchu, mas segue viagem para o sul do país. De Cusco rumo a Arequipa, a cidade branca peruana, dependendo do tempo que tenha disponível, pode ir de avião ou de autocarro. Visite o centro histórico da capital colonial do Peru, a cidade é pequena e de uma beleza única, quase toda caiada em branco.

Aproveite a paragem em Arequipa para visitar o Vale do Colca, onde pode apreciar a vista dos vulcões andinos e os voos dos majestosos condores. Mais uma experiência de tirar o fôlego por terras andinas. De Arequipa siga para o lago mais alto do mundo, o lago Titicaca e conheça o modo de vida especial dos seus habitantes.

No Titicaca existem várias ilhas flutuantes, que pertencem a famílias que vivem essencialmente do turismo. Uros, a mais visitada, pode ser um bom local para descansar da viagem, onde existem vários lodges de famílias para todos os bolsos. A ilha Amantiní é uma das mais isoladas do lago, de onde as vistas são desafogadas e a vida se leva com muita tranquilidade.

Outra ilha que também merece visita é Taquile, com miradouros incríveis sobre o lago. Se tiver tempo, pode sempre passar para o lado boliviano e explorar a ilha do sol e a ilha da lua.

O artigo continua após o anúncio

Visitar o Peru pode ser um excelente projeto para quem gosta de férias onde a cultura, a natureza e a boa comida andam lado a lado. Um destino para todas as idades que será certamente inesquecível.

Peru: informações úteis

Peru

Como ir?

A Air Europa e a Iberia voam do Porto e de Lisboa por Lima, com preços a começar nos 600€ por pessoa, ida e volta. Várias companhias como a Amaszonas ou a Latam voam de Lima para Cusco, Iquitos e Juliaca com voos a começar nos 50€ ida, por pessoa. 

Onde ficar?

Opções não faltam para ficar nas diferentes cidades, desde airbnb até hotéis. Os preços são para todos os bolsos, pode dormir num hotel de 4 estrelas por cerca de 80€ por noite, como pode ficar em lugares mais modestos e gastar cerca de 15€ por noite. Pesquise bem que vai encontrar opções para a sua medida e bolso. 

Onde comer?

Além das sugestões de alta gastronomia como o Central, ou o Maído, todas as cidades têm imensas opções com comida tradicional a preços bastante acessíveis. Por isso vá de mente aberta pergunte aos locais quais os melhores sítios para comer e deixe-se levar pelos sabores andinos.

Veja também
Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp