Inês Silva
Inês Silva
13 Nov, 2018 - 10:38
Conheça 10 segredos que os RH não dizem sobre o CV

Conheça 10 segredos que os RH não dizem sobre o CV

Inês Silva

Um bom currículo pode garantir uma entrevista de emprego e a entrada para o mercado de trabalho. Saiba quais os segredos que os RH não dizem sobre o CV.

O artigo continua após o anúncio

Um currículo bem feito vai dar-lhe a vantagem competitiva que fará a diferença entre ser chamado pelos Recursos Humanos (RH) para uma entrevista de emprego ou não. Esta é a sua oportunidade para criar uma primeira boa impressão. Continue a ler e conheça os segredos que os RH não dizem sobre o CV.

É verdade que o currículo, por si só, não lhe vai garantir o emprego, mas irá facilitar-lhe o caminho para conseguir entrevistas e ajudar a orientar os recrutadores. São imensas as possibilidades de um currículo ir parar à pilha dos candidatos desinteressantes. No entanto, se conseguir produzir uma boa impressão, o CV pode abrir portas.

Para se destacar aos olhos dos recrutadores, é necessário saber elaborar um bom currículo, inserindo as principais experiências e qualidades profissionais e adaptando-o às características da empresa. Mas não é só isto, para redigir um bom currículo é preciso ter ainda outros cuidados como, por exemplo, saber quais os segredos que os RH não dizem sobre o CV.

10 segredos que os RH não dizem sobre o CV

entrevista de emprego online

1. Evite lacunas temporais

Ao enumerar as suas experiências profissionais é importante que não deixe nenhum período a descoberto. O recrutador pode questionar-se sobre o que andou a fazer nesse tempo ou pensar que já passou por outras empresas e estas não o quiseram contratar. Se esteve mais de 6 meses desempregado, transforme esta lacuna em algo que possa despertar a atenção. Saliente cursos que tenha feito ou ações de voluntariado que possam ter ajudado a amadurecer características profissionais importantes.

2. Não descure a sua rede de contactos

Quando se trata de conseguir um emprego, realmente importa quem conhece. Não basta ter um bom currículo ou muita experiência, é importante ter uma boa rede profissional de contactos. Tenha sempre presente que ter perfil no Facebook e conta no LinkedIn não é suficiente para indicar a sua capacidade para o networking. Estabelecer contactos profissionais significa também conhecer pessoalmente as pessoas do meio.

3. Entregue o seu currículo a alguém externo aos RH

Se está a tentar conseguir emprego numa empresa específica, muitas vezes a melhor coisa a fazer é evitar totalmente os RH. Procure nos seus contactos alguém que trabalhe nessa empresa ou vá direto ao responsável do departamento ou setor no qual pretende trabalhar.

4. Concentre-se mais no currículo do que na carta de apresentação

Normalmente, os recrutadores não “perdem tempo” com as cartas de apresentação. Começam logo pelo currículo e, por isso, é importante ter um currículo bem feito para causar uma boa impressão, pois é o primeiro contacto que o recrutador tem com o candidato.

5. Cuidado com o endereço de email

Sim, vão julgá-lo com base no seu endereço de e-mail. Especialmente se for algo inapropriado como, por exemplo, [email protected] ou pikachu@mail.pt.

O artigo continua após o anúncio

6. Cuidado com as datas

Este é mais um dos segredos que os RH não dizem sobre o CV, se tem 50 ou 60 anos de idade, não coloque o ano da sua licenciatura no currículo.

7. Dê à sua experiência o espaço que merece, mas saiba quando cortar

Há quem diga que um currículo deve ter apenas uma página e, então, há candidatos que enviam o seu CV com um tamanho de letra impossível de ler. O ideal será ter duas páginas, três páginas é arriscar.

Se a sua experiência profissional é longa, use o poder de síntese da informação. Para além disso, o currículo não deve amontoar informações, utilize espaços em branco para tornar a leitura mais fácil e destacar as secções que incluam dados relevantes.

8. Escolha um tipo de letra bonito, é suficiente

Os currículos não precisam de cores ou bonecos para se destacar. Aplique a regra “menos é mais” e utilize fontes clássicas, como Arial ou  Times New Roman, num tamanho de fácil leitura, como o 12 para o corpo do texto e 14 para títulos. Esqueça as cores, no entanto, pode utilizar estilos diferentes, como o “negrito” ou o “sublinhado”, para destacar um pormenor como, por exemplo, um trabalho ou um curso que seja o ideal para a função à qual se está a candidatar.

9. Atenção aos erros ortográficos

Os recrutadores não vão ignorar qualquer gralha ou erro. Tenha cuidado, estes erros são fatais porque os empregadores os interpretam como desleixo e pouca atenção aos detalhes.

O corretor ortográfico é uma ferramenta essencial, mas, antes de enviar o seu currículo é importante lê-lo uma última vez e pedir a alguém que o analise.

Competências relacionadas com o trabalho: 5 mais valorizadas

  • Quer ser promovido? Trabalhe as suas competências emocionais
  • 5 skills de empregabilidade que deve incluir no seu currículo
  • 7 lições que Steve Jobs nos deixou