Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
26 Dez, 2018 - 12:26

Stress nos gatos: principais causas e sintomas

Teresa Campos

O stress nos gatos é uma situação relativamente frequente e que merece vigilância atenta. Por isso, saiba como identificá-lo e o que fazer, caso a caso.

Stress nos gatos: principais causas e sintomas

Já ouviu falar em stress nos gatos? Pois bem, ele existe e, tal como nos humanos, pode ter repercussões nefastas e negativas no organismo e na saúde do seu animal. Portanto, trate de identificar os principais sintomas e causas deste problemas e saiba como agir, caso o seu felino sofra deste problema.

O stress nos gatos não é um problema menor e não deve ser desvalorizado. Por isso, atente nas nossas indicações e caso suspeite que o seu gato está a sofrer deste problema não hesite em levá-lo ao veterinário e avaliar quais as melhores medidas a tomar.

Stress nos gatos: fique saber do que se trata e como evitá-lo

O que é?

Por stress nos gatos pode entender-se o conjunto de reações que o animal manifesta, nomeadamente por alterações no seu ambiente físico e/ou fatores sociais, tais como: mudanças, obras, viagens, novos companheiros de casa (humanos ou felinos). O stress pode ser considerado normal (eustress) ou patológico (distress) merecendo, neste último caso, a toma de algumas medidas.

3 principais causas

1. Chegada de outro animal a casa

Os gatos são muito territoriais e isso faz com que, habitualmente, se retraiam perante a chegada de outro animal a casa, quer seja um cão, quer seja um gato. Esta retração pode, mesmo, levar a situações de stress ou até de conflito, pelo que o convívio entre os dois animais deve ser progressivo e vigiado.

2. Mudanças

Por serem territoriais e, também, animais de rotinas, os gatos não encaram bem mudanças, sejam elas de que espécie forem. As mudanças de ambiente, ou seja, de casa podem ser períodos muito difíceis para o animal e que podem conduzir a cenários de stress extremo, por parte do felino.

3. Medo

Os castigos e o sentimento de medo transmitidos ao animal, por meio de castigos ou gritos são fortes causadores de problemas de comportamento e stress. Portanto, use sempre o reforço positivo e as gratificações pelos bons comportamentos do felino, pois é um método de educação bem mais eficaz.

Reações

Em períodos de stress, os felinos aumentam a prática de atividades que os fazem sentir-se mais seguros, tais como:

  • esfregar-se, mais frequentemente, em superfícies ou no dono;
  • procurar lugares onde se sinta bem;
  • arranhar, urinar ou defecar em locais fora do habitual;
  • ter diarreia, obstipação ou outro problema digestivo;
  • vocalizar em excesso, isto é, miados muito longos e prolongados, podem ser um sinal de pânico;
  • aumentar as horas de sono, para lá do habitual;
  • ter comportamentos agressivos para com outros animais ou pessoas, especialmente se tal não era costume;
  • higienização excessiva (lamber-se em demasia, por exemplo);
  • em casos mais extremos, podem mesmo deixar de se lavar e de comer e tornarem-se desinteressados, passivos, em relação a tudo, isolando-se.

O que fazer?

Em alguns casos, a pulverização de feromonas sintéticas pelas superfícies ou a colocação de aparelhos com feromonas nas tomadas elétricas podem ser as soluções mais indicadas para estes problemas. De qualquer modo, detentando alguma situação de stress nos gatos, deve contactar de imediato o veterinário e pedir o melhor aconselhamento especializado.

De resto, mime o seu gato; reduza situações potenciadoras de stress – como diminuição de sons ou músicas, por exemplo; apare as unhas do felino e desparasite-o.

Como evitar o stress nos gatos: 6 passos

stress nos gatos

1. Disponibilizar uma zona de descanso

Cada gato, deve ter uma zona confortável onde possa descansar, sozinho e longe do barulho ou confusão.

2. Ter esconderijos e escapatórias

Todos os gatos adoram jogos e desafios que os obriguem a saltar e a esconder-se. Por isso, disponibilize ao seu animal estruturas e espaços para ele se mover livremente, explorar e trepar.

3. Providenciar comida e bebida frescas

Todo o animal deve ser bem alimentado e estar bem hidratado. Além disso, no caso dos gatos, cada um deve ter a sua tigela de comida e várias tigelas com água, espalhadas pela casa. A partilha destes objetos entre felinos é, normalmente, um fator potenciador de stress.

4. Manter a caixa de areia limpa

Cada gato deve dispor de uma caixa de areia, que deve ser limpa diariamente. O facto dos felinos serem animais extremamente limpos e ciosos da sua higiene, torna imprescindível esta lavagem frequente e cuidada das caixas de areia.

Areia do gato: frequência da limpeza e cuidados a ter
Veja também Areia do gato: frequência da limpeza e cuidados a ter

5. Promover o contacto social

Apesar de muito reservados e independentes, é importante estimular o contacto do gato com outros animais e pessoas e brincar com o animal, para que ele desenvolva competências sociais, essenciais ao seu bem-estar.

6. Fornecer arranhador e brinquedos

Para momentos de lazer, o gato deve ter, pelo menos, um arranhador e alguns brinquedos que não precisam de ser disponibilizados em simultâneo, mas sim em dias alternados, para o animal sentir que há sempre algo de novo para explorar

Se acha que o problema do stress nos gatos já chegou a sua casa, não desespere, mas aja o mais rapidamente possível, de forma a evitar que a situação piore.

Além disso, tente identificar o porquê do surgimento dessa reação no seu animal pois, assim, talvez seja mais fácil e rápido solucionar a questão do stress. De qualquer das formas, não deixe de se aconselhar com um profissional e, claro, mime muito o seu gatinho.

Veja também