Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Cátia Tocha
Cátia Tocha
28 Mai, 2018 - 15:45

Taxa Social Única: benefícios e penalizações

Cátia Tocha

Em Portugal, a percentagem da Taxa Social Única sobre os trabalhadores é de 11% e sobre empresas de 23,75%. O que acontece quando não se cumpre esta medida?

Taxa Social Única (TSU) é a designação dada ao encargo das empresas que incide sobre o salário mensal do trabalhador e que é encaminhado para a Segurança Social. Isto significa que a TSU é a quantia que as empresas e trabalhadores descontam todos os meses para que a Segurança Social consiga pagar as reformas, consoante o que ganha cada funcionário.

Taxa Social Única em Portugal

taxa-social-unica

Em Portugal, o valor da Taxa Social Única sobre os trabalhadores é de 11% e sobre as empresas é de 23,75%. Ou seja, no caso em que um trabalhador receba um vencimento mensal bruto de 1.000€, por exemplo, terá que descontar para a Segurança Social os referidos 11%, que equivalem a 110€.

No caso do empregador, que terá de contribuir com 23,75% de 1.000€, por exemplo, ser-lhe-ão retirados 237,5€. Tendo em conta as partes implicadas na conta, a entidade patronal ou empresa responsabiliza-se pela entrega do total das contribuições feitas à Segurança Social, o que, tendo em conta o exemplo dado anteriormente, corresponde a um total de 347,50€ ((11% + 23,75%)*1000= 34.75% *1000= 347,50).

Guia de utilização da Segurança Social Direta
Veja também Guia de utilização da Segurança Social Direta

Penalizações para os incumpridores da Taxa Social Única

Cuidado com os atrasos no pagamento da TSU, pois poderá vir a receber multas por parte da Segurança Social, estando prevista esta aplicação de multas pelo atraso no pagamento das contribuições sociais através do Código Contributivo desde 2011. O prazo de pagamento das contribuições e quotizações sociais decorre entre os dias 10 e 20 de cada mês.

O referido atraso poderá originar uma contra-ordenação, cujo grau será decidido consoante o tempo de atraso na regularização da prestação. As contra-ordenações leves, atribuídas a quem regularize no prazo de 30 dias após o prazo, variam entre os 50€ e os 500€. Já as multas das contra-ordenações graves podem ir de 300€ a 2400€.

Taxa Social Única: condições de atribuição de desconto

É obrigatório que a entidade empregadora tenha a sua situação contributiva regularizada para ter direito à redução da Taxa Social Única. No caso do trabalhador, este deve estar vinculado à empresa por contrato de trabalho, a tempo completo ou a tempo parcial.

Se estiver tudo em ordem, os envolvidos não só beneficiam de uma redução na TSU como também, em certas condições de contratação de trabalhadores, é dada a possibilidade às empresas de beneficiarem ainda do reembolso desta taxa. O apoio à contratação via reembolso da Taxa Social Única entrou em vigor para tentar combater o desemprego, de forma a incitar a empregabilidade e reduzir os números do desemprego de longa duração.

Veja também