Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
02 Ago, 2018 - 09:46

5 tesouros perdidos no fundo do mar para caçadores de aventuras

Mónica Carvalho

O conceito de caça ao tesouro há muito tempo que cativa a nossa imaginação. Mas haverá mesmo tesouros perdidos no fundo do mar?

5 tesouros perdidos no fundo do mar para caçadores de aventuras

A procura por tesouros perdidos no fundo do mar serão um mito ou uma realidade? Existirão apenas nos livros de aventura? Temos 5 casos concretos para lhe apresentar. Será que se vai aventurar numa procura que pode mudar a sua vida?

Só resta mesmo atentar ao que temos para partilhar consigo e imaginar-se num qualquer navio, equipado a rigor, qual Tintin, e descobrir estes tesouros perdidos no fundo do mar existem realmente…

A verdade sobre os tesouros perdidos no fundo do mar

navio afundado

Fortuna, fama e glória: tudo isto ao seu alcance (nem que seja imaginário), se tiver a ousadia de entrar numa aventura para descobrir estes tesouros perdidos no fundo do mar.

1. Tesouro do Rolo de Cobre, Mar Morto

Desaparecimento: 100 a.C.
Valor estimado: 1.1 milhões de euros

Descoberto em 1952, numa caverna perto da costa noroeste do Mar Morto, o Rolo de Cobre é um dos Manuscritos do Mar Morto e representa uma série de antigos manuscritos judeus, com algumas distinções importantes para perceber a sua origem no tempo. Ao contrário de muitos outros pergaminhos, que não passam de obras literárias, o Rolo de Cobre identifica 63 locais nos quais vários itens de ouro e prata estão escondidos. O pergaminho está atualmente em exposição no Museu Jordan, em Amã, onde o seu conteúdo é legível.

A verdade: Alguns estudiosos acreditam que o tesouro é real e proveniente do templo judaico em Jerusalém, tendo sido escondido antes de ter sido saqueado pelos romanos.

2. Jóias da coroa do Rei John, Lincolnshire

Desaparecimento: 1216
Valor estimado: mais de 56 milhões de euros

Em Lincolnshire, Inglaterra, os moradores ainda recordam um conto antigo sobre o Rei John, que reinou tiranicamente sobre a Inglaterra durante o início do século XIII, tendo perdido, supostamente, as jóias da coroa durante a travessia do Wash, uma zona húmida e pantanosa, que se forma num dos maiores estuários do Reino Unido. Diz-se que enquanto fugia dos inimigos, o comboio do rei foi capturado na maré alta e espalhou todo o seu conteúdo.

A verdade: Há registos desta viagem malfadada através do pântano, mas não há documentação do que foi perdido durante a viagem nem do que foi recuperado.

3. Flor do Mar, Estreito de Malaca

Desaparecimento: 1511
Valor estimado: mais de dois mil milhões de euros

Reverenciado como o Santo Graal dos tesouros perdidos no fundo do mar, o barco português Flor do Mar regressava a casa depois de um cerco bem-sucedido na Malásia, quando foi apanhado por uma tempestade e afundou algures na costa de Sumatra. Foram feitas várias expedições para encontrar o mais valioso tesouro afundado, mas os destroços nunca foram encontrados. Nem sinal deles…

Há quem se aventure em mergulhos pela ilha paradisíaca Windfall Should, na ponta norte de Pulau Weh Sumatra, mas essas águas estão bem patrulhadas por tubarões. Mas ainda é possível ter um ligeiro vislumbre do famoso galeão na cidade de Melaka, onde uma réplica em tamanho real foi coloca no meio de barracas de comida fantástica e lojas de antiguidades.

A verdade: O navio existiu e desapareceu mesmo, porém o valor pode ser algo exagerado. Há quem diga que o galeão foi saqueado pelos marinheiros que conseguiram fugir após o incidente.

4. Comboio de ouro nazi, Polónia

Desaparecimento: 1945
Valor estimado: 300 toneladas em ouro, jóias e obras de arte

Na cidade polaca de Wałbrzych, uma lenda local refere um comboio perdido da era da Segunda Guerra Mundial carregado com pilhagem roubada. Dizia-se que, como o Exército Vermelho avançou sobre Wrocław nos últimos dias da guerra, alguns generais nazis carregaram um comboio com todos os bens que encontraram e dirigiam-se para Wałbrzych, para que ficasse escondido numa instalação subterrânea em construção nas montanhas.

Não estando propriamente enterrado no fundo do mar, a história ganhou ainda mais fama após dois homens, em 2014, terem afirmado descobrir o lendário tesouro de guerra. Mas não era verdade. Todavia, isso não desmoralizou milhares de pessoas, que arriscam caminhadas pelas montanhas, cheias de túneis artificiais.

A verdade: Além de os nazis serem conhecidos por esconder obras de arte roubadas em cavernas e minas para proteção contra bombardeamentos, há documentos históricos que apoiam a existência deste comboio.

5. O Tesouro de Fenn, Montanhas Rochosas

Desaparecimento: 2010
Valor estimado: 1,1 milhões de euros

Inspirado pelas histórias de caçadores de tesouros, o negociante de arte Forrest Fenn supostamente escondeu um baú de bronze contendo mais de 1 milhão de euros de pilhagem nalgum local das Montanhas Rochosas. Para levar as pessoas ao ouro, Forrest escreveu um pequeno poema num livro de memórias que fornecia pistas acerca da sua localização. Desde o seu lançamento, em 2010, que milhares de pessoas foram atrás do tesouro de Fenn, mas ninguém tem provas de que exista e que foi encontrado.

A verdade: Fenn insiste que o tesouro é genuíno, afirmando ser sua intenção de recuperá-lo se o valor subir ultrapassar os 8,5 milhões de euros.

Vai arriscar e fazer aquela que pode ser a grande aventura da sua vida?

Veja também: