Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ana Araújo
Ana Araújo
27 Nov, 2020 - 14:15

Transpiração excessiva: como ultrapassar o desconforto

Ana Araújo

A transpiração excessiva, além de ser incomodativa, pode ser também indício de algum problema de saúde. Saiba quando é que deve consultar um médico.

Mulher com transpiração excessiva

A transpiração é um processo fisiológico natural que surge como resposta às temperaturas altas, stress ou à prática de exercício físico. No entanto, rubor intenso na cara, palmas das mãos molhadas, manchas na zona das axilas e meias húmidas podem ser sinais de transpiração excessiva, também conhecida como hiperidrose, um problema que afeta cerca de 300 mil pessoas em Portugal.

Transpiração excessiva: principais causas e sintomas

transpiração

Axilas, palmas das mãos, pés e rosto – estas são as zonas mais suscetíveis quando o assunto é transpiração, um fenómeno natural do nosso corpo. A verdade é que a transpiração ocorre quando o organismo se encontra sujeito a elevadas temperaturas ou esforço físico, assumindo-se ainda como um processo de autorregulação, de modo a manter o corpo fresco.

Podemos, então, afirmar que a sudação é uma manifestação expetável e, portanto, benéfica para o organismo. Mas, então, o que distingue a comum transpiração da transpiração excessiva?

Considera-se transpiração excessiva – hiperidrose – quando esta acontece sem razão aparente, isto é, pode ocorrer quando o corpo está em repouso, ou mesmo em dias de frio. Na verdade, esta reação exagerada do organismo não é considerada um problema de saúde grave, é antes visto como resultado de um mau funcionamento do sistema nervoso autónomo.

Ainda assim, a sudação excessiva distingue-se, sobretudo, pela sua intensidade e frequência – pessoas com transpiração excessiva podem produzir cinco vezes mais suor do que o que é considerado normal.

Principais caraterísticas do excesso de transpiração

transpiracao excessiva

Os sintomas associados à transpiração excessiva são claros e o pior é que são muitas vezes evidentes para os demais e para a própria pessoa, que pode acabar por sentir desconforto. Uma das manifestações mais comuns é a sudação nas mãos, o que em contexto laboral pode ser bastante constrangedor e que pode conduzir ao isolamento.

A sudação pode ainda variar entre transpiração localizada – quando esta incide fundamentalmente nos pés, axilas e rosto – ou generalizada, quando se manifesta no corpo todo.

Como tal, em qualquer dos casos, é importante consultar um médico, uma vez que esses mesmo sintomas, para além de desconfortáveis, podem indiciar algumas doenças, como é o caso de problemas de tiroide, problemas do coração ou mesmo diabetes.

Diferentes tratamentos

tratamento transpiracao excessiva

Uma das primeiras soluções para controlar a transpiração excessiva pode passar por utilizar desodorizantes anti-transpirantes. Aqui, deve optar pelos que contêm sais de alumínio, uma vez que estes têm a capacidade de absorver as bactérias que produzem mau cheiro. Contudo, uma vez que este tipo de desodorizantes bloqueiam o suor, acabam por tornar a pele seca.

Uma outra solução passa pela aplicação de botox. Através da injeção do mesmo, a toxina botulínica bloqueia o impulso nervoso que é levado às glândulas sudoríparas, impedindo, assim, a sudação em excesso, especialmente nas axilas, face, mãos e pés.

De todos os modos, existem ainda outra opções, como é o caso do elétrodos, mais precisamente, a iontoforese ou ainda recorrer à medicação. O recurso a elétrodos permite bloquear temporariamente as glândulas sudoríparas. Para uma solução mais definitiva, pode optar pela cirurgia, na qual são eliminadas as glândulas sudoríparas.

Veja também