Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
03 Out, 2019 - 15:21

Escola: como ultrapassar o stress em altura de testes

Teresa Campos

Ultrapassar o stress dos testes é uma lição importante para os alunos, mas também para os seus encarregados de educação. Tome nota e siga as dicas.

Aliviar o stress dos testes

Com o regresso às aulas, começam em breve as primeiras fichas de avaliação e, independentemente do nível escolar em que se esteja, ultrapassar o stress dos testes é fundamental para conseguir bons resultados e ter um ano letivo feliz e tranquilo.

Muitas vezes, a ansiedade em torno destes momentos de avaliação é partilhada por pais e filhos. Portanto, as próximas dicas vão ajudar encarregados de educação e alunos a ultrapassar o stress dos testes, aprendendo a encarar estes períodos com confiança, segurança e naturalidade.

Pegue em papel e caneta e tome nota dos próximos truques, infalíveis para um estudo bem sucedido e com bons resultados!

9 dicas para ultrapassar o stress dos testes

stress em altura de testes
Os testes escolares levam as crianças a estados de stress que urge combater

1. Ouvir música clássica

Estudar para os testes enquanto ouve música ajuda a criar um ambiente positivo e produtivo, ajudando a estudar melhor e durante mais tempo. A música clássica ou a música ambiente são as ideais para auxiliar no foco e na concentração.

2. Caminhar

Os estudos provam que o exercício físico, nem que seja uma simples caminhada, contribui para melhorar a memória e a capacidade mental.

Assim, nada melhor do que intervalar as horas de estudo com passeios ou caminhadas pelo parque ou pelo jardim, num ambiente relaxado e, de preferência, ao ar livre e em contacto com a Natureza.

3. Planear o estudo

Quando se inicia a preparação para os testes, é importante definir previamente quais as disciplinas a trabalhar e quanto tempo se irá dedicar a cada uma delas.

Este plano é fundamental para orientar e organizar o estudo e ganhar mais motivação. Assim, o aluno sabe quais as metas e objetivos a atingir.

4. Dormir

Está provado que o sono ajuda o cérebro a assimilar novos conhecimentos e a retê-los. Portanto, fazer noitadas a estudar não é de todo o método certo a seguir.

Dormir cerca de 8 horas por noite e fazer uma sesta a meio do dia são passos importantes a cumprir.

5. Usar apps didáticas

A tecnologia não tem só desvantagens quando o tema é estudar. Na verdade, há uma série de apps capazes de ajudar a gerir e a controlar melhor o tempo, já para não falar do muito material didático que estas apps têm para oferecer.

Ginástica na escola
Não perca Desporto escolar: fundamental para a saúde de crianças e jovens

6. Meditar

Não precisa de ser um profissional de ioga para tirar partido dos benefícios de alguns minutos de meditação.

Tal ajuda a relaxar, a diminuir os níveis de stress e ainda a exercitar a capacidade de foco e de concentração. São várias as vantagens, portanto.

7. Comer chocolate negro

Sem dúvida esta é das dicas mais doces e que se certamente vai angariar mais seguidores e adeptos.

Desde que o chocolate seja amargo, isto é, possua mais de 70% de cacau, está provado que ele é capaz de combater a hormona do stress, provocando um efeito relaxante sobre o corpo, potenciando a libertação de endorfina (um anti-stressante natural).

8. Desabafar

Por vezes, o stress antes dos testes pode também estar relacionado com outros problemas e preocupações que a criança ou jovem tem.

Por essa razão, é fundamental exteriorizar todos os medos, angústias ou frustrações que possam estar a interferir no estudo. Conversar e desabafar sobre os assuntos é essencial e, se necessário, procurar ajuda especializada.

rapariga usa passe estudante para andar de autocarro
Não perca Passe para estudante: conheça os descontos nos transportes

9. Não se distrair

De um modo geral, um dos principais problemas durante uma maratona de estudo são as distrações que fazem com que o estudo não renda e até podem trazer stress para esse momento.

Estar constantemente conectado e contactável via telemóvel, com  o Facebook, o Instagram ou o Whatsapp constantemente online não é uma boa medida e pode mesmo pôr em causa a eficácia do estudo levado a cabo.

Veja também