Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ana Graça
Ana Graça
02 Jul, 2018 - 16:00

Vacina da tosse convulsa na gravidez: proteja-se a si e ao seu bebé

Ana Graça

A vacina da tosse convulsa na gravidez garante a proteção do bebé até aos 2 meses de idade, altura em que inicia a vacinação. Saiba quando deve tomá-la.

Vacina da tosse convulsa na gravidez: proteja-se a si e ao seu bebé

A mulher grávida constitui um tipo especial de população, pois apresenta maior suscetibilidade a determinadas doenças infeciosas. Os agentes infeciosos são potencialmente perigosos, tanto para a mãe como para o feto. Assim, a vacinação na gravidez visa a proteção da grávida e do bebé. A vacina da tosse convulsa na gravidez é recomendada.

O que é a tosse convulsa?

A tosse convulsa é uma doença altamente contagiosa, que pode ser fatal. Causa ataques longos de tosse e falta de ar, tornando-se difícil respirar. É mais grave em bebés com menos de 6 meses, que quando sofrem desta patologia são hospitalizados com complicações graves.

A tosse convulsa é um grave problema de saúde pública, registando-se 20 a 40 milhões de casos de infeções por ano em todo o mundo. Em Portugal, à semelhança de outros países, o número de casos tem vindo a aumentar.

A tosse convulsa é transmitida de pessoa para pessoa através de tosse, espirros ou contacto próximo. Alguém com tosse convulsa pode transmitir a doença até três semanas após o início da tosse.

No início, os sintomas são mais leves (febre baixa; tosse; inflamação da mucosa nasal). Posteriormente, os sintomas agravam-se. A tosse piora e pode acompanhar-se de: cianose; protusão da língua; guincho inspiratório; vómito após a tosse; convulsões.

A melhor forma de prevenir a tosse convulsa é através da vacinação. A vacina estimula o sistema imunitário a produzir elevados níveis de anticorpos contra a bactéria da tosse convulsa.

vacina da tosse convulsa na gravidez

Importância da vacina da tosse convulsa na gravidez

A vacina da tosse convulsa na gravidez deve ser realizada dado esta ser uma fase em que a passagem de anticorpos é mais eficaz, o que acontece entre as 20 e as 36 semanas, mas principalmente entre as 20 semanas e as 32 semanas de gravidez.

A vacinação anterior à gravidez ou a vacinação em gravidez anterior não cumprem este requisito, sendo necessário repetir a vacinação em cada gravidez.

A toma da vacina da tosse convulsa na gravidez permite que as crianças estejam protegidas contra a tosse convulsa até poderem ser vacinadas (2 meses de idade), uma vez que os anticorpos produzidos pela grávida passam através da placenta, e permite também que a grávida não seja infetada ou transmita a infeção.

Em conclusão

É recomendada a vacinação durante a gravidez com uma dose de vacina combinada contra a tosse convulsa, o tétano e a difteria, entre as 20 e as 36 semanas de gestação, idealmente até às 32 semanas. A vacinação deve ocorrer após a ecografia morfológica, é recomendada pelo médico assistente e pode ser adquirida na farmácia.

Veja também: