Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
05 Set, 2018 - 00:00

Tudo o que precisa de saber se vai viajar para o Brasil

Mónica Carvalho

Vai viajar para o Brasil? Revelamos tudo o que precisa de saber para fazer uma viagem em segurança e sem preocupações.

Tudo o que precisa de saber se vai viajar para o Brasil

Há alguns cuidados a ter se planeia viajar para o Brasil, quer em termos burocráticos, quer em termos de cuidados de saúde. Mas não deixe que estas exigências o impossibilitem de viajar. Trate de tudo com a devida antecedência e, assim, não terá qualquer problema.

Até porque o Brasil é um país imenso, cheio de locais incríveis e com tanto para oferecer, desde praias de sonho a vistas de cortar a respiração. Resolvida a parte burocrática e passadas as longas horas de viagem, chega o momento pelo qual tanto esperou: desfrutar do sol, das praias, das caipirinhas e da água de coco.

6 dicas essenciais para quem vai viajar para o Brasil

Antes de poder relaxar e aproveitar a viagem ao máximo, há que tratar de vários procedimentos. Atente a tudo o que precisa de saber.

1. Documentação necessária

passaporte

Fonte: Max Pixel

Visto

Os cidadãos portugueses estão isentos de visto para estadias até 90 dias no Brasil. O documento é prorrogável por igual período, sendo que está vedado o exercício de atividade produtiva e remunerada.

Passaporte

A entrada no Brasil é condicionada pela apresentação de um passaporte com validade igual ou superior a 6 meses, a contar da data em que entrou no país.

Indicações específicas para crianças

Se viajar com crianças desacompanhadas ou sem um dos pais, vai ter ainda de prever uma autorização escrita de ambos os pais ou do pai que não participa na viagem. Essa autorização necessitar de assinatura reconhecida pelo notário.

2. Vacinação

vacina

Fonte: Max Pixel

Uma das coisas mais importantes caso esteja a ponderar viajar para o Brasil é, sem dúvida, a vacinação. Enquanto que em muitos países, a entrada de estrangeiros só é permitida mediante a apresentação de um Certificado Internacional de Vacinação contra a febre-amarela, que comprova a toma da vacina, a entrada no Brasil não exige este comprovativo, mas exige alguns cuidados, que serão prontamente revelados e resolvidos numa Consulta do Viajante, que deverá fazer, idealmente, entre 4 a 8 semanas antes da partida.

Vacina contra a febre-amarela

Se vai viajar para o Brasil, é recomendável que tome a vacina contra a febre-amarela, com pelo menos 10 dias de antecedência e a todos os passageiros com mais de um ano de idade. Terá que apresentar um Certificado Internacional de Vacinação contra a febre-amarela se esteve 3 ou mais meses num país onde é elevado o risco de contrair a doença, portanto, se viajar de um dos seguintes países e não apresentar este certificado, poderá não entrar no Brasil.

Os países em causa são: Angola, Bolívia, Benin, Burkina, Camarões, Colômbia, República Democrática do Congo, Equador, Guiana Francesa, Gabão, Gana, Gâmbia, República da Guiné, Libéria, Nigéria, Peru, Serra Leoa, Sudão e Venezuela.

Esta vacina é recomendável caso vá viajar para uma das seguintes regiões do Brasil: Acre, Amapá, Amazonas, Distrito Federal (incluindo a capital, Brasília), Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, e as seguintes regiões dos estados que se seguem: Noroeste e Oeste da Bahia, região Central e Oeste do Paraná, Sudoeste de Piauí, Noroeste e Oeste Central de Rio Grande do Sul, Região Oeste de Santa Catarina e regiões Norte e Central Sul de São Paulo.

Vacina contra a malária

A incidência da malária é acrescida em diferentes regiões do Brasil, pelo que a toma preventiva da vacina é recomendada, essencialmente para quem planeie viajar para um dos seguintes destinos: Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão (região ocidental), Mato Grosso (região norte), Pará (excepto cidade de Belém), Rondônia, Roraima,Tocantins, e para as áreas urbanas nesses estados incluindo as cidades de Porto Velho, Boa Vista, Macapá, Manaus, Santarém e Maraba.

Dengue / Vírus Zika

O dengue continua bastante ativo no Brasil, portanto, deve proteger-se contra os mosquitos, caso vá viajar para uma região com Índice de Alerta, o ideal será:

  • Ficar hospedado em locais que contenham telas de proteção em janelas e portas;
  • Usar roupas que minimizem a exposição da pele, sobretudo durante o dia;
  • Usar repelentes compostos por DEET, IR3535 ou Icaridin. Podem ser usados tanto na pele como na roupa, atente nas instruções do rótulo;
  • Utilizar um mosquiteiro para proteção durante a noite.

Há 18 capitais com Índice de Alerta, sendo que Cuiabá é a única a apresentar nível máximo de Índice de Alerta. As restantes capitais são: Aracajú, Belém, Belo Horizonte, Campo Grande, Fortaleza, Goiânia, Macapá, Maceió, Manaus, Palmas, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís, São Paulo e Vitória.

Outras vacinas recomendadas:

  • Hepatite A: recomendada a todos os viajantes não imunes;
  • Hepatite B: recomendada a todos os viajantes;
  • Febre tifoide: recomendada a todos os viajantes que pretendam ingerir alimentos (líquidos ou sólidos) que não nos principais hotéis e restaurantes;
  • Raiva: a imunização está apenas recomendada a viajantes com elevado risco de sofrer mordeduras de animais ou cujas atividades possam implicar um estreito contacto com morcegos;
  • Tétano / Difterias: recomendada a todos os viajantes não imunes.

3. Medidas de precaução de higiene

Além das vacinas, quando viajar para o Brasil, convém ter em atenção mais algumas questões a nível de saúde. O ideal é que, na Consulta do Viajante, se aconselhe com o médico especialista, para saber exatamente o que levar no seu kit de primeiros socorros e quais as medidas preventivas a ter em conta. No entanto, deixamos-lhe já algumas sugestões. Assim, endependentemente do local no Brasil para onde pretende viajar, deve tomar especiais precauções com a alimentação e com a ingestão de líquidos. Eis os cuidados específicos a ter:

  • No Brasil nunca deve beber água da torneira: não é segura. Se não puder recorrer a garrafas de água seladas, ferva ou esterilize sempre a água antes de a ingerir;
  • Evite também todo e qualquer gelo nas bebidas: na sua maior parte, é feito com a água da torneira;
  • Legumes, carne e peixe só devem ser ingeridos se estiverem bem preparados e cozinhados;
  • A fruta só deve ser consumida sem casca;
  • O leite deve ser fervido antes de ser consumido, uma vez que tende a não ser pasteurizado (sobretudo nas áreas rurais);
  • Tenha também em atenção produtos lácteos como gelados, que podem ter sido confecionados com leite não pasteurizado.

4. Idioma

É necessário ter a noção de que há pequenas distinções entre o português de Portugal e o português do Brasil. Será perfeitamente entendido, todavia, haverá palavras que não têm o mesmo significado, nomeadamente:

  • Se vai apanhar um autocarro, não pergunte pelo horário do autocarro, mas sim do “ônibus”, se estiver a planear viajar de comboio, saiba que se referem a ele como “trem”;
  • Se precisar de usar a casa de banho, pergunte pelo “banheiro” mais próximo e puxe a “descarga”, o autoclismo. Peça um “suco” se quer um sumo e um “sanduíche” se quer uma sandes.

5. Câmbio

real

Fonte: Max Pixel

Como a moeda local é o Real, procure cambiar a moeda ainda em Portugal, numa loja de câmbios, pois ficará mais em conta do que trocar a moeda num balcão do aeroporto.

Informações úteis:

  • Os bancos encontram-se abertos entre as 10h e as 16h;
  • Aceitam os principais cartões de crédito, como Visa, Mastercard e American Express;
  • Pode utilizar máquinas ATM 24h em alguns bancos, aconselha-se que efetue operações nas máquinas localizadas no interior dos bancos, para maior segurança;
  • A 31 de agosto de 2018, de acordo com o Banco de Portugal, 1€ = 4,8591 reais.

6. Seguro de saúde

Por uma questão de precaução, é aconselhável que viaje sempre com um seguro de saúde que garanta, em último caso, o seu repatriamento.

Além disso, aconselha-se ainda viajar com um cartão de crédito que possa cobrir eventuais despesas, só mesmo para prevenir casos de urgência médica.

7. Normas de segurança

segurança

Fonte: Max Pixel

Com a exceção de algumas áreas de elevado risco que são conhecidas e facilmente identificáveis, as zonas mais turísticas do Brasil possuem um perfil de segurança médio. Assim, é aconselhável alguma precaução e atenção na circulação a pé nos centros urbanos, em especial em horário noturno, se estiver sozinho, mesmo em locais de considerável frequência turística, pela possível ocorrência de assaltos e furtos, por vezes com grande violência física. Se for alvo de uma tentativa de assalto, não ofereça qualquer resistência.

Tente não circular com objetos de maior valor, evitando, assim, sinais de ostentação. À noite, evite fazer viagens de automóvel ou táxis que não sejam credenciados pelas autoridades turísticas ou recomendados pelas unidades hoteleiras. Quando sair do hotel, faça-se acompanhar de cópias dos documentos e deixe os originais bem guardados no cofre do hotel, para que, em caso de algum infortúnio, não fique desprevenido de documentação.

Atente aos contactos importantes a ter em conta se vai viajar para o Brasil:

  • Polícia/ Brigada Militar: 190
  • Polícia Rodoviária Federal: 191
  • Bombeiros: 193
  • Emergência Médica: 192
  • Defesa Civil: 199

Desejamos-lhe uma excelente viagem!

Veja também: