Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Pereira
Inês Pereira
02 Jul, 2018 - 16:48

Vício em videojogos: sinais de doença mental a que deve estar atento

Inês Pereira

O vício em videojogos já alcançou o estatuto de distúrbio mental e, claro está, os mais afetados são os jovens. Conheça esta doença e saiba o que fazer.

Vício em videojogos: sinais de doença mental a que deve estar atento

Talvez lhe pareça estranho, mas os videojogos podem ser tão viciantes como a cocaína, o tabaco ou o álcool. De facto, a situação é tão alarmante que a Organização Mundial de Saúde incluiu o vício em videojogos na lista internacional de doenças. Falamos, portanto, de uma dependência que merece atenção, tal como outra qualquer.

Não é novidade que os jovens são os mais afetados por este problema. Contudo, desengane-se se pensa que os mais velhos não podem passar pelo mesmo. Chegou a hora de saber tudo sobre este distúrbio e aprender a reconhecer os sinais de alerta.

Aprenda a reconhecer o vício em videojogos

saiba tudo sobre o vício em videojogos

Cerca de uma em cada 3 pessoas no mundo joga algum tipo de jogo através de um ecrã, sendo que a utilização do smartphone é a mais frequente. Assim, não é de admirar que, em alguns casos, se comece a verificar a existência de uma certa dependência.

Mas, afinal, em que consiste o vício em videojogos? Após vários anos de análise de diferentes casos, a Organização Mundial de Saúde descreveu este distúrbio mental como uma falta de controlo crescente em relação aos videojogos ao longo de um período habitualmente superior a 12 meses.

Durante este período, os jogadores dão uma tal forma importância aos jogos que o seu trabalho, a sua vida familiar e as suas atividades sociais podem sofrer graves consequências.

Tal como acontece com qualquer outro vício, os doentes tendem a ignorar todos os resultados negativos que esta dependência provoca na sua vida. De facto, os jogadores chegam mesmo a deixar de comer e dormir, por exemplo – tudo em prol dos videojogos.

Neste sentido, parece crucial listar alguns sintomas a que é preciso estar atento:

  • Preocupação ou obsessão constante em relação ao videojogo;
  • A pessoa tem sintomas de abstinência quando não está a jogar;
  • Perda de interesse noutras atividades, como hobbies;
  • A pessoa ignora as consequências nocivas do videojogo na sua vida;
  • O indivíduo põe em risco as suas relações com os outros por causa do jogo;
  • O sujeito sente-se incapaz de parar de jogar.

Como tratar o vício em videojogos

O primeiro passo é, para além de reconhecer o problema, tentar evitar jogar. No entanto, tal como acontece com vícios como o tabaco, nem sempre as vítimas deste distúrbio conseguem enfrentar o problema sozinhas.

Nesses casos, é necessário que o indivíduo procure a ajuda de um profissional de saúde capaz de tratar adequadamente este distúrbio mental. O tratamento passa pela intervenção por parte de um psicólogo, por exemplo, que deverá diagnosticar o indivíduo e aconselhá-lo. Porém, o apoio familiar e das pessoas que rodeiam o doente é fundamental.

Veja também: