Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ana Graça
Ana Graça
16 Mai, 2018 - 10:00

Como superar um vício: 8 conselhos essenciais

Ana Graça

É possível superar uma adição, como fumar ou roer as unhas. Conheça algumas técnicas que o podem ajudar a perceber como superar um vício.

Como superar um vício: 8 conselhos essenciais

Temos que admitir que tratar uma dependência não é nada fácil e os tratamentos nem sempre são bem-sucedidos. Uma das grandes causas que levam a que as pessoas tenham dificuldades em tratar as suas dependências está relacionada com o facto de não entenderem como estas funcionam. Uma vez que a compreensão sobre o fenómeno da dependência seja maior, será mais fácil saber como superar um vício.

O que é um vício?

Um vício é a solução emocional encontrada para gerir sentimentos que encaramos como intoleráveis como, por exemplo, o sentimento de desamparo.

Quando nos sentimos totalmente presos ou desconfortáveis, sentimos necessidade de fazer alguma coisa que acabe com esse desconforto ou desespero, alguma ação substituta que nos ajude a lidar com as nossas emoções, o vício é essa ação de substituição.

O vício pode passar pelo envolvimento das pessoas com determinadas substâncias (por exemplo, cafeína ou tabaco), mas também pela adoção de determinados comportamentos (por exemplo, jogo patológico ou roer as unhas).

As substâncias e os comportamentos que causam dependência compartilham uma característica neurobiológica fundamental – ativam intensamente as vias cerebrais de recompensa e reforço, muitas das quais envolvem o neurotransmissor dopamina.

Não há uma causa única para o surgimento de uma dependência. Embora fatores genéticos ou outros fatores biológicos possam contribuir para a vulnerabilidade à condição, muitos fatores sociais, psicológicos e ambientais têm uma influência poderosa no uso de substâncias.

Embora todos os vícios tenham a capacidade de induzir uma sensação de desesperança e sentimentos de fracasso, bem como vergonha e culpa, a recuperação é a regra e não a exceção, e existem muitos caminhos para a recuperação.

Dependendo da adição, algumas pessoas podem obter um melhor desempenho físico, psicológico e social por conta própria – a chamada recuperação natural. Outras necessitam de apoio clínico através de serviços e profissionais especializados.

Neste artigo, vamos deixar algumas técnicas que podem ajudar a libertar-se de um comportamento ou substância viciante que tenha impacto na sua vida. São técnicas simples, que podem ajudá-lo no caso de ter, por exemplo, um padrão problemático de uso de tabaco ou um consumo recorrente e elevado de cafeína. Aprenda de seguida como superar um vício!

roer as unhas

Como superar um vício

É comum que as pessoas que adotam um comportamento ou o consumo de determinada substância viciante sintam a necessidade de dizer a si mesmas ou aos outros: “eu comprometo-me a parar”.

Tal não é surpreendente, já que ter um vício, geralmente, significa sentir-se fora de controlo e levar as pessoas à ideia de que deveriam finalmente tomar uma posição para recuperar as rédeas das suas vidas.

Em muitos casos, prometer parar um vício não é benéfico, já que grande partes das tentativas fracassam. Isto faz com que a pessoa que fez a promessa se sinta mal consigo mesma, e que as pessoas em redor deixem de confiar na palavra dessa pessoa.

O problema é que abandonar determinado vício não se resume a uma questão de força de vontade, é importante ter em conta os fatores psicológicos que estão por trás do mesmo. Mas então, como superar um vício? Aqui ficam algumas técnicas que podem ser de grande utilidade:

1) Refletir se realmente quer, ou não, abandonar determinado vício: é diferente de uma simples promessa;

2) Ter uma vontade e um plano definidos é positivo mas não garante o sucesso: aceite que falhar durante o percurso não é motivo de vergonha, nem motivo para desistir;

3) Procure e identifique que padrões de pensamentos desencadeiam determinado vício: o que passa pela sua mente antes de adotar determinado comportamento;

4) Escrever esses pensamentos e sentimentos que despoletam a ação viciante pode ser útil e pode ajudá-lo a encontrar um padrão;

5) Defina um plano alternativo do que fazer nos momentos em que sente necessidade de se envolver na atividade que para si é viciante: nos momentos de maior stress, envolva-se em alguma atividade ou aproveite para conversar com um amigo;

6) Aceite que cometer erros e que a perfeição não existe: lidar com um vício, seja ele qual for, é sinal de força e não de fraqueza;

7) Quando se quebra um vício, surgem emoções que o vício estava a ajudar a evitar: sentir essas emoções fortalece;

8) Sempre que se justifique, consulte um profissional especializado que o possa ajudar.

Em suma

Desde o mais pequeno e aparentemente insignificante vício até às adições de maior complexidade, sempre que combate um vício e desafia a sua autocrítica destrutiva, fortalece-se e liberta-se daquilo que o impede de atingir o seu potencial máximo.

Se se sente encurralado numa adição e não sabe como superar um vício, não hesite em pedir ajuda. Pedir ajuda não é motivo de vergonha, é um ato de coragem.

Veja também: