Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ekonomista
Ekonomista
28 Set, 2020 - 16:17

Vaticano: grande guia para visitar o Estado mais pequeno do mundo

Ekonomista

Vai à Roma e quer visitar o Vaticano? Siga o nosso guia e não perca o melhor dos museus e das atrações daquele que é o mais pequeno país do mundo.

Praça de São Pedro no Vaticano

Roma é uma cidade deslumbrante, com um passado e um património histórico e artístico inigualável. Para além das atrações que de imediato associamos à Cidade Eterna, como o Coliseu ou a Fontana di Trevi, esta é ainda a cidade que acolhe o mais pequeno país do mundo: o Vaticano. Visitar o Vaticano é obrigatório, mesmo para quem não é crente, tal a riqueza dos seus museus e espaços icónicos como a Capela Sistina.

Sabia que o Vaticano ocupa menos de meio quilómetro quadrado? E que apesar disso é visitado por mais de cinco milhões de turistas todos os anos, atraídos pelos seus tesouros artísticos? De seguida, encontra informações úteis para preparar a sua visita ao Estado da Cidade do Vaticano, sem esquecer as dicas para ver o Papa.

Visitar o Vaticano: dicas e informações úteis

Basílica no Vaticano

Como chegar ao Vaticano

A Cidade do Vaticano encontra-se no centro de Roma, pelo que é muito fácil lá chegar, uma vez chegado à capital italiana. Ainda que exista uma estação de metro relativamente próxima da Praça de São Pedro – Linha A, Estação Ottaviano – são muitos os turistas que optam por caminhar até lá.

Para ter uma ideia, são cerca 30 minutos a pé a partir da Fontana di Trevi, cerca de 20 minutos desde a Escadaria de Espanha e ainda menos do Bairro Trastevere e do Castelo de Sant’Angelo. Pode optar ainda pelo autocarro, Linhas 64 e 40, pelo tradicional Táxi ou pelos motoristas da Uber.

Melhor altura para visitar

Os meses com menor pressão turística em Roma e no Vaticano são os meses de inverno (à exceção das épocas festivas do Natal e Final de Ano), sendo a única altura em que é possível conseguir um périplo tranquilo pelos museus e pela fabulosa Capela Sistina. A não ser que compre uma visita guiada para “madrugadores”, disponível ao longo de todo o ano, com início às 7h da manhã (inclui pequeno-almoço).

Anote que aos domingos os museus estão fechados, a não ser no último domingo de cada mês das 9h às 12h30, com entrada gratuita. Isto significa que o sábado é o dia mais concorrido e, por isso mesmo, o dia a evitar.

Como a maioria das pessoas tende a optar por fazer a visita aos museus de manhã, opte pelo início da tarde. Mas se quiser evitar as filas a todo o custo, independentemente do dia e da hora, compre o seu bilhete online com antecedência (atenção que o valor dos bilhetes não é reembolsável).

Escultura Pietá no vaticano

As atrações obrigatórias

Uma vez no Vaticano, há lugares e edifícios incontornáveis que merecem a sua contemplação. Desde logo a Praça de São Pedro. Construída no século XVII de acordo com um projeto de Gian Lorenzo Bernini, consegue acolher cerca de 300 mil pessoas. No centro, surge um obelisco de 40 metros de altura do Antigo Egito. Num dos topos da Praça, a impressionante colunata surge unificada pela majestosa Basílica de São Pedro.

A Basílica de São Pedro é o maior templo católico do mundo, cuja capacidade ultrapassa os 60 mil fiéis. A sua cúpula faz parta da imagem de marca de Roma, estando todo o edifício classificado como Património da Humanidade pela UNESCO. De estilo renascentista, é fruto da contribuição de vários arquitetos e artistas, como Bernini, Rafael ou Miguel Ângelo, que tem aqui exposta a sua famosa escultura “Pietá”.

A sua viagem não deve deixar de fora o complexo museológico do Vaticano e demais espaços visitáveis, onde se insere a incrível Capela Sistina. Precisa de tempo para absorver toda o esplendor artístico aqui disponível, pelo que deve planear bem o seu roteiro e escolher aquilo que mais lhe interessa, uma vez que a lista é quase inesgotável:

  • Museu Pio-Clementino
  • Museu Gregoriano Etrusco
  • Museu Gregoriano Egípcio
  • Museu Gregoriano Profano
  • Museu Chiaramonti
  • Pinacoteca Vaticana
  • Museu Missionário-Etnológico
  • Museu Pio-Cristã
  • Coleção de Arte Religiosa Moderna e Contemporânea (Apartamentos Borgia).
  • Salas de Rafael
  • Capela Sistina
  • Galeria dos Candelabros
  • Galeria dos Mapas
  • Galeria da Sala da Biga
  • Galeria da Nova entrada
  • Jardins do Vaticano

O que ver na Capela Sistina

A Capela Sistina é, sem dúvida, o lugar mais procurado no Vaticano. É daqueles espaços que todos devíamos visitar pelo menos uma vez na vida. Verdadeira jóia da época do Renascimento, foi construída entre 1473 e 1481, durante a liderança católica do Papa Sisto IV, daí o seu nome. Já os tetos foram pintados por Miguel Ângelo entre 1508 e 1512. Anos depois viria a pintar a cena do Juízo Final sobre o altar.

Apesar deste ser o criador que mais associamos à riqueza artística da capela, a verdade é que o pequeno templo contém ainda obras de Botticelli, Rosselli, Lucas Signorelli e Perugino. Na sua visita, detenha-se sobretudo nos seguintes pontos de interesse:

– As nove histórias do Livro do Génesis representadas na parte central do teto;
– A Criação de Adão, também do Livro do Génesis, na parte central da abóbada;
– O Juízo Final, com as generosas dimensões de 13,7m x 12,2 m que decora a abside sobre o altar, representando o Apocalipse narrado por São João.

Pormenor da Capela Sistina

Ir à Roma e ver o Papa

Se para si é importante avistar o Papa quando for visitar o Vaticano – e não tenciona pedir uma audiência privada com Sua Santidade – tenha em atenção algumas dicas:

– Para poder assistir à missa dominical celebrada pelo Papa na Basílica de São Pedro, que acontece normalmente às 10h00, terá que ter bilhete, ainda que gratuito;

– Aos domingos às 12h, o Papa dirige-se à varanda do Apartamento Papal, faz um curto discurso, recita o Angelus e abençoa os fiéis que estão na Praça; não é necessário bilhete, mas convém ir cedo para garantir um bom lugar;

– Quando há Audiência Geral, às quartas-feiras, o Papa costuma percorrer a Praça de São Pedro no “papamobile” saudando e abençoando os devotos; é necessário ter bilhete, gratuito.

– Nem sempre o Papa está no Vaticano, consulte o calendário oficial para ter a certeza de que o chefe da Igreja Católica estará ali na altura pretendida.

Última dica: não é permitido entrar na Basílica de São Pedro (à semelhança de muitas outras catedrais e igrejas italianas), de ombros e pernas destapados; lembre-se disso e vista-se de forma adequada no dia da visita, para não ser barrado à entrada.

Veja também