Publicidade:

Contas poupança: melhores taxas do mercado

Um dos principais pontos que deve ter em atenção antes de guardar o dinheiro que poupou no banco é descobrir nas as melhores taxas nas contas poupança.

Contas poupança: melhores taxas do mercado
Saiba como guardar o seu dinheiro de forma mais rentável

Desde que a crise se instalou em Portugal, os portugueses foram sendo ‘obrigados’ a adquirirem hábitos de poupança. Para se ser bem sucedido nesta área, uma das principais coisas que deve fazer é pesquisar para descobrir as melhores taxas nas contas poupança.

Contas poupança: melhores taxas e outros benefícios

conta-poupanca-melhores-taxas

As contas poupança são produtos financeiros que têm o objetivo de salvaguardar o seu dinheiro e fazê-lo render. Uma conta deste tipo serve como uma espécie de mealheiro, que vai sendo reforçado à medida que os juros também contribuem para o seu aumento, durante o período de tempo em que o dinheiro fica na conta. Cuidado com as taxas que escolhe e conheça também algumas vantagens e desvantagens de ter este tipo de conta.

Simule as melhores taxas do mercado

Uma das maneiras mais fáceis e eficazes de conseguir escolher a melhor taxa do mercado é recorrer a simuladores online gratuitos, pois irão permitir-lhe verificar e comparar as percentagens e os ganhos de vários bancos existentes em Portugal. Veja na tabela abaixo alguns depósitos a prazo com as melhores taxas de juro do mercado, que rendem uma TANB a partir de 1%.

Banco Produto Prazo máximo TANB TANL Montante mínimo de constituição
Banco Português de Gestão Super Depósito G Plus 1,5 anos 1,125% 0,810% 100.000€
BPI Depósito Especial BPI 2 anos 2 anos 1,900% 1,368% 250€
Banco Privado Atlântico DP Valor Semestral 2 anos 1,200% 0,864% 500€
Finantia DP Finantia Rendimento 36 Meses 3 anos 1,200% 0,864% 50.000€
BNI Europa DP sem mobilização antecipada – 5 anos 5 anos 1,150% 0,828% 1.000€
Banco Invest  Invest Choice Novos Montantes 1 ano 1,400% 1,008% 2.000€

Vantagens de ter uma conta poupança

  • Ter o dinheiro guardado no banco e não em casa, pois isso pode ser um risco;
  • Ter o dinheiro a render e nunca perder o capital investido inicialmente;
  • Movimentar os capitais sempre que quiser.

Desvantagens de ter uma conta poupança

  • Se retirar o dinheiro da conta poupança antes do período acordado, pode sofrer penalizações, como por exemplo, perder juros;
  • As taxas de juro podem não ser atrativas quando comparadas, por exemplo, Certificados do Tesouro;
  • O rendimento a curto prazo é baixo.

O que se deve fazer antes de abrir uma conta poupança

1. Organize as suas finanças

Antes de pensar em descobrir as melhores taxas nas contas poupança, uma das coisas que deve fazer é colocar em dia as suas finanças desorganizadas e começar a criar fortes hábitos de poupança para que ao primeiro contratempo financeiro que tiver não decida recorrer a essa conta e, assim, fazer com que o seu esforço tenha sido em vão.

2. Escolha bem a conta poupança

A escolha da sua conta poupança consiste na opção entre produtos com capital garantido e produtos que não garantem capital. Ao optar por contas poupança sem capital garantido terá algum risco adicional, mas também existe a hipótese desta escolha lhe trazer riscos controlados que lhe permitam obter algum retorno extraordinário. Existem sempre riscos quando se tenta investir em algo que possa dar lucro.

Outra coisa que pode fazer é dividir o seu capital por várias contas poupança, como por exemplo colocar uma parte em Certificados do Tesouro Poupança Crescimento ou em Certificados de Aforro, e outra em fundos de investimento ou em Planos Poupança Reforma.

3. Vá reforçando a sua conta poupança

Uma conta deste tipo que permita desenvolver hábitos de poupança é aquela que permite fazer reforços periódicos e reforços pontuais. É bom que exista essa possibilidade, que lhe permitirá ver aumentar a quantia da conta poupança consoante os seus esforços do corte de custos. Por vezes, os seus sacrifícios podem render-lhe juros nas suas contas poupança.

4. Contas poupança: melhores taxas

Descobrir nas contas poupança melhores taxas é um dos passos mais importantes para que os seus esforços financeiros sejam bem sucedidos, por isso deve analisar bem as ofertas de contas poupança disponíveis no mercado. Os portugueses têm uma das taxas de Poupança mais baixas da União Europeia, apesar do rendimento disponível ter vindo a aumentar, e isto acontece porque as reduzidas taxas de juro dos depósitos a prazo não apelam à poupança.

Como as taxas de juro de mercado estão abaixo de 1% (à exceção de alguns produtos de poupança do Estado) é importante pensar se vale a pena poupar em contas que lhe garantem taxas de juro após impostos perto de zero. Cuidado assim quando escolher entre a taxa garantida ou taxa variável.

5. Tenha em atenção a escolha do banco

Quando estiver a analisar as entidades financeiras, não se foque apenas em encontrar nas contas poupança as melhores taxas. Quando escolher um banco, tenha também em conta se este:

  • É um banco sólido e com bons consultores financeiros, pois são estes que deverão ajudá-lo a escolher os melhores produtos ou contas poupança para aplicar o seu dinheiro;
  • Tem uma estrutura de custos reduzida (não pague comissões para subscrever produtos de aforro ou se relacionar com o seu banco, uma vez que não tem lógica ter de pagar para ser cliente do banco);
  • Tem uma vasta oferta de produtos financeiros, principalmente produtos de várias classes de ativos e diferentes entidades gestoras.

6 dicas para escolher a melhor conta poupança

conta-poupanca-melhores-taxas

1. Banco

Analise as opções de bancos antes de depositar o dinheiro numa conta poupança e perceba as ofertas de cada um, como os custos de abertura e manutenção de conta e também custos com cartões e transferências.

Aconselhamos que pense primeiro no banco onde já tem conta. Perceba se vale a pena abrir a conta poupança nesse mesmo banco e conheça as taxas de juro que este lhe pode oferecer. Informe-se ainda sobre taxas e faça as contas para saber qual entidade bancária lhe oferece a melhor taxa. Por vezes existem algumas vantagens para quem já é cliente do banco.

2. Decida quanto vai depositar

Pense no valor mínimo para depositar antes de abrir a conta e estabeleça essa meta. Se tiver um pé de meia de 4.000€, por exemplo, pode fazer uma simulação através deste valor para saber onde serão os juros mais lucrativos. No entanto, já existem bancos que pedem um valor mínimo para abrir a conta poupança, por isso tenha esta informação em atenção se optar por um deles. Os valores podem ir dos 25€ aos 100€.

3. Reforços e juros

Perceba se o banco permite que faça reforços na sua conta poupança. Se lhe for permitido fazer depósitos na conta, consoante as taxas de juro, esta será uma mais-valia. Tenha ainda em atenção aos períodos de pagamento de juros (mensais, trimestrais, semestrais ou anuais). As taxas de juro, quando comparadas com outras aplicações financeiras, podem não ser muito altas, mas fazer uma simulação com o valor com que tenciona abrir a conta pode ajudar.

4. TANB

Quando pesquisar nas contas poupança as melhores taxas, tenha em conta a Taxa Anual Nominal Bruta (TANB), nome dado à taxa que remunera as aplicações financeiras e determina o vencimento anual da sua aplicação, quer seja numa conta poupança, quer seja num depósito a prazo.

5. Determine o tipo de conta que prefere

Antes de abrir uma conta, decida primeiro se prefere uma conta poupança comum ou uma conta poupança a prazo (com período temporal específico), das quais, em princípio, não pode retirar o dinheiro antes do tempo.

6. Faça simulações

O melhor é optar sempre por realizar simulações de contas poupança e comparar num ficheiro Excel, por exemplo, as ofertas de cada banco e as taxas de juro aplicadas em cada caso. Pesquise primeiro o banco onde já tem conta. Tenha também cuidado com as “promoções” divulgadas pelas entidades financeiras.

Alternativas às contas poupança

Se não quiser abrir uma conta poupança, pode investir o seu dinheiro através de aplicações financeiras como:

 

Veja também:

Cátia Tocha Cátia Tocha

Formada em Ciências da Comunicação pela Universidade Autónoma de Lisboa, onde concluiu Licenciatura e Mestrado, começou o seu percurso como jornalista na Rádio. Hoje, escreve sobre diferentes áreas e tem já alguns anos de experiência na escrita para meios online.

O E-Konomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O E-Konomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].